O Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego) informou publicamente a preocupação com a implantação do Programa Mais Médicos sem a exigência que formados no exterior tenham seus diplomas revalidados por uma Universidade pública brasileira.

O posicionamento foi dado em nota enviada depois do governo federal divulgar as inscrições para o Programa Mais Médicos que estarão abertas a partir da próxima sexta-feira, 26, com prioridade para profissionais brasileiros formados no país.

O Ministério da Saúde divulgou o edital com 5.970 vagas distribuídas em 1.994 municípios em todas as regiões do Brasil. O programa, que visa garantir atendimento médico principalmente nas regiões de vazios assistenciais.

Também poderão participar os brasileiros formados no exterior ou estrangeiros, que continuarão atuando com Registro do Ministério da Saúde (RMS) em vagas não ocupadas por médicos com registro no país. As inscrições seguem abertas até 31 de maio e a previsão é que os profissionais comecem a atuar nos municípios no fim de junho.

Nota

No início do ano, nos posicionamos contra a recontratação de cubanos sem a revalidação de seus diplomas e mantemos esse posicionamento em relação a todos os brasileiros e estrangeiros que não
tiverem sua formação atestada.

A população brasileira não pode ser exposta a um atendimento de qualidade duvidosa. Não basta ter médico. Precisamos de médicos com formação adequada. Não aceitamos atuações politiqueiras
sem fundamentação científica por parte de um governo que não quer ouvir as entidades médicas.

A recusa de municípios goianos em aderir ao Mais Médicos comprova que temos profissionais aptos a prestar esse atendimento.

Que as vagas abertas sejam preenchidas, mas por médicos capacitados, com condições dignas de trabalho e prontos para oferecer aos brasileiros e goianos a assistência que merecem e devem receber.