No segundo dia da nova fase da campanha de imunização contra a COVID-19 em Goiás, o governador Ronaldo Caiado (UB) tomou a quarta dose da vacina na manhã desta terça-feira, 28, no Centro Municipal de Vacinação. Desta vez, o reforço aplicado é da vacina bivalente da Pfizer, que protege contra a cepa original do coronavírus e as subvariantes ômicron.

O governador, em coletiva, fez um apelo para que as pessoas acreditem na ciência e confiem na vacina como medida eficaz para combater o vírus. “Eu quero pedir a todas que reflitam e analisem. Eu sei que temos algumas pessoas refratárias, mas por favor acreditem na ciência acreditem que nós precisamos cuidar das pessoas, e nada melhor que a prevenção”, declarou.

Preocupado com a ausência de mais de um milhão de goianos que não tomaram nenhuma dose da vacina, Caiado pede compreensão da população. “Estou neste momento conclamado para que as pessoas se sensibilizem. Essa vacina bivalente tem um espectro muito mais amplo só da ômicron, que foi a última variante. Nós temos a capacidade de bloquear as três últimas variantes. Então, é uma vacina totalmente confiável, e garante para nós total segurança”, ponderou.

Momento que o governador recebe a vacina

Vacina bivalente

A ação marca o início do plano de vacinação contra Covid-19 para 2023. As pessoas estão sendo vacinadas com o reforço do imunizante bivalente da Pfizer. Os grupos mais expostos ao risco da doença que foram vacinados com ao menos duas doses da vacina podem receber a bivalente.

Neste primeiro momento, os grupos estabelecidos para receberem a vacina são pessoas a partir de 70 anos; pessoas que vivem em instituições de longa permanência a partir de 12 anos de idade e trabalhadores desses locais; pacientes imunocomprometidos acima de 12 anos; além de indígenas; ribeirinhos e quilombolas, todos a partir de 12 anos.

A Superintendente de Vigilância em Saúde, Flúvia Amorim chama atenção para a população apta a tomar a vacina. “A pessoa precisa minimamente ter duas dose de vacina, então ele precisa ter o esquema básico de vacina de duas doses para poder receber essa vacina bivalente e ser do grupo prioritário”, explica.