Um debate sobre a democratização do acesso à cannabis terapêutica ocorreu na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) na última sexta-feira, 25. O tema foi discutido em Audiência Pública que abordou os benefícios do medicamento no tratamento de doenças e a importância de um marco regulatório para todos os brasileiros.

O encontro aconteceu na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) da Casa. A sessão foi presidida pelo vereador Lucas Kitão, que é autor da Lei nº 10.611 de 2021 que autoriza a distribuição gratuita de medicamentos prescritos à base de cannabis medicinal pelo Sistema Único de Saúde (SUS), em Goiânia. 

Participaram do evento o deputado estadual Lucas Calil (MDB), que requereu a audiência atendendo pedido da Associação Sou Cannabis, que foi representada pelo presidente Denver Carniello Rezende e pela diretora Endy Lacet. Representantes da Associação Ágape Medicinal, do Instituto Arandu e da Associação Curando Ivo marcaram presença no debate.

Kitão defendeu a aprovação de um marco regulatório para liberar o uso da droga. “Já temos o Projeto 399/2015 que tramita no Congresso Nacional e é o primeiro passo para ter uma lei que regulamente e facilite a legislação e a discussão profunda da cannabis medicinal por meio do acesso à planta e para melhorar a qualidade de vida de pacientes de centenas de doenças”, disse.   

Preconceito

Os debatedores criticam a ignorância e os preconceitos sobre o tema de uso terapêutico do medicamento para que todos absorvam, sem medo, as modalidades médicas que estão aparecendo e para que todos tenham acesso, por meio do SUS.

 “Nosso interesse é deixar claro de que não é o último tratamento. O tabu tem que cair antes da necessidade, por isso o debate ajuda para acabar com os preconceitos”, afirmou o presidente da Associação, Denver Carniello.