O Conselho Federal de Medicina (CFM) decidiu nesta segunda-feira, 24, suspender “temporariamente” a resolução que restringiu a atuação dos médicos na prescrição de medicamentos de cannabis. A decisão que foi “sustada” pelo CFM permitia que o derivado da cannabis só poderia ser usado para tratar alguns quadros de epilepsia.

A resolução anunciada no dia 14 foi amplamente criticada por diversos setores. Médicos e entidades apontam que existe comprovação científica para o tratamento com canabidiol de diversas doenças e condições clínicas.

Na última sexta-feira, 21, pacientes que utilizam o canabidiol, familiares e médicos organizaram protestos contra a resolução em Brasília (DF), Salvador (BA), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP).
Nos atos, os manifestantes destacaram os benefícios do medicamento no tratamento de doenças cognitivas.

Depois das críticas e ainda antes de anunciar a suspensão dos efeitos da medida, o CFM decidiu abrir uma consulta pública para receber contribuições de toda a população sobre o tema. As sugestões podem ser feitas a partir desta segunda até 23 de dezembro por meio do site da entidade.