Universitários goianos organizam uma “nova UNE” com ideais liberais e de direita

De orientação conservadora e de direita, novo organismo estudantil é preparado por estudantes de Goiânia e seu estatuto está em fase de gestação. Reitor da Uni-Anhanguera, professor e cartorário Joveny Cândido apoia a iniciativa

Estudantes que não se sentem representados pela UNE querem fundar uma nova organização, independente dos partidos políticos de esquerda | Divulgação/UNE

Estudantes que não se sentem representados pela UNE querem fundar uma nova organização, independente dos partidos políticos de esquerda | Divulgação/UNE

Frederico Vitor

Está em curso a criação de um novo organismo de representação estudantil em Goiás e em Brasília, com a missão de contrapor ideologicamente a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a União Estadual dos Estudantes (UEE). Trata-se de uma agremiação com orientação conservadora e de direita, que promete contrabalancear as outras entidades que, segundo seus organizadores, estariam aparelhadas por militantes ligados a partidos de centro-esquerda e esquerda, como PT, PCdoB e PSol.

O intuito do novo grupo é reunir numa única frente, os estudantes secundaristas e universitários, de pensamento liberal e conservador, que não se sentem confortáveis em militar em organismos estudantis de viés esquerdista. “Desamparados” pelas entidades existentes, eles agora unem forças para formar a própria agremiação que promete avançar em todo território nacional.

O ganho de capilaridade e apelo social por parte de movimentos e partidos de direita, de cunho liberal ou conservador, tem ressurgido com força em todo o mundo, em especial no Brasil. Esta nova tendência é impulsionada com o momento turbulento vivido pelo País, onde há três crises instauradas — no campo político, econômico e ético.

Com a deterioração do discurso de esquerda, o do nacionalista exacerbado, de políticas estatizantes e de alto grau de assistencialismo e clientelismo, o neoconservadorismo que contrapõe tais diretrizes políticas tem ganhado novos adeptos e avançado sobre diferentes segmentos da sociedade, em especial na classe média urbana e letrada.

No meio estudantil não seria diferente. Enquanto nas universidades públicas, principalmente as federais, onde as agremiações oficiais estudantis são dominadas por grupos orientados por correntes ideológicas de esquerda, em seus diferentes matizes, nas instituições privadas, os estudantes simpatizantes do pensamento liberal ou conservador, se organizam em torno de um novo agrupamento estudantil que estaria “livre” das influências marxistas. Estudantes do Centro Universitário de Goiás (Uni-Anhanguera) lideram a formação deste novo grupo que ainda se encontra em fase embrionária na elaboração de seu estatuto.

A insatisfação com a UNE e demais representações estudantis não é recente. Os descontentes com os rumos destas instituições dizem que, nos últimos anos, tais entidades foram fortemente aparelhadas por partidos como o PT e PCdoB. Mais: os estudantes descontentes acusam a agremiação máxima dos estudantes do Brasil de apatia e omissão em relação aos percalços do governo federal, liderado pela presidente Dilma Rousseff (PT), ou de qualquer outro governo regional da base aliada do Palácio do Planalto.

Inclusive, por conta da insatisfação do domínio petista e comunista da UNE, que dura mais de 25 anos, foi criada uma nova entidade estudantil denominada Assembleia Nacional dos Estudantes Livre (ANEL).

Porém, esta nova liga tem uma força de atuação ainda muito limitada. O que de fato parece mover a ideia de agremiar os estudantes de pensamento de direita é a crise institucional, econômica e ética que abala o País. Os universitários liberais se queixam de não ver a UNE atuar contra esta grave situação que, diretamente, afeta grande parcela dos estudantes brasileiros, visto que a estagnação do crescimento econômico tem causado altas taxas de desemprego e reduzido os investimentos em educação.

“Queremos uma união dos estudantes democratas e liberais”

O advogado, doutor em Direito Constitucional, cartorário e reitor da Uni-Anhanguera, Joveny Cândido de Oliveira, é o grande incentivador da criação da nova entidade estudantil. Ele, que se formou em Direito na Universidade Católica do Rio de Janeiro e é ex-oficial da reserva do Exército, afirma que é um sonho antigo ver surgir no Brasil uma nova instituição de união dos estudantes de orientação política liberal de centro-direitista.

Ele conta que, em sua época de estudante, antes de se tornar segundo tenente de Cavalaria no extinto 1º Regimento de Carros de Combate situado na capital carioca, tentou se aproximar da UNE. Mas, ao perceber que a entidade estava dominada por quadros do Partido Comunista Brasileiro (PCB), se afastou da agremiação. “Desde aquela época, percebia que a UNE estava sob o comando de comunistas. Sempre observei com tristeza os estudantes caírem nos braços dos partidos de esquerda”, diz.

Joveny Cândido, que foi um dos fundadores da Aliança Reno­va­dora Nacional (Arena) em Goiás, extinto partido criado para dar sustentação ao regime militar, afirma que o antigo sonho de fundar um organismo estudantil de direita está prestes a se materializar. Ele revela que estudantes da Uni-Anhanguera, juntamente com estudantes de outras instituições privadas, se movimentam para criar esta que será uma entidade que se contrapõe à UNE.

Reitor Joveny Cândido: “É preciso uma união democrática e liberal dos estudantes brasileiros” | André Costa

Reitor Joveny Cândido: “É preciso uma união democrática e liberal dos estudantes brasileiros” | André Costa

Apesar de nascer em Goiânia, a União Nacional dos Estudantes Democratas — possível nome da organização — já conta com a participação de universitários de Anápolis e Brasília. Dessa forma, está formado o eixo de estudantes de pensamento ideológico neoconservador que pretende irradiar para todo o País o seu ideário. “Faremos uma nova união dos estudantes, democratas e liberais, que não tenham ligação com o PCdoB e demais legendas de esquerda”, afirma.

Joveny Cândido não acredita que haverá dificuldades para que o movimento se dissemine pelo País. Segundo ele, tudo depende do interesse de cada estudante dos respectivos Estados. O reitor da Uni-Anhanguera acredita que em pouco tempo a entidade estará presente nas principais capitais brasileiras, reunindo estudantes que compactuam dos mesmos pensamentos ideológicos. “Não importa o local, seja em Belo Horizonte, Fortaleza, Recife, Manaus, Belém ou Porto Alegre, este grupo vai trabalhar para cooptar os estudantes de direita”, afirma.

Inspiração na UDR

O reitor da Uni-Anhanguera lembra outros casos bem-sucedidos de organizações de direita que nasceram em Goiás e se expandiram por todo território nacional. Ele cita o exemplo da União Democrática Ruralista (UDR), liderada nos anos de 1980 pelo atual senador Ronaldo Caiado (DEM-GO). A entidade, que reunia proprietários rurais de todo o País, tinha como objetivo impedir a aprovação de projetos de lei a favor da reforma agrária.

Em relação ao atual panorama político, Jove­ny Cândido analisa que o Brasil vive um mo­men­to pendular da política, isto é, politicamente está se afastando da esquerda para a centro-direita. Ele acredita que o processo eleitoral de 2016 vai confirmar sua tese e aposta que os partidos de linhagem direitista vão impor uma dura derrota nas urnas às legendas de esquerda. “Houve um momento em que este pêndulo político foi para esquerda, mas agora retorna para direita”, analisa.

“A história das lutas sociais do País se confunde com a da UNE”

A história do movimento estudantil no Brasil remonta à época do Brasil Colônia, no século 16, quando estudantes brasileiros residentes no exterior fundavam clubes secretos para lutar pela Independência do Brasil. Alguns deles desempenharam papel fundamental na Inconfidência Mineira.

Em 1827 foi fundada a primeira faculdade brasileira, a Faculdade de Direito do Largo São Francisco. Este foi o primeiro passo para o desenvolvimento do movimento estudantil, que logo integrou as campanhas pela Abolição da Escravatura e pela Proclamação da República. Em 1901 foi fundada a Federação de Estu­dantes Brasileiros, que iniciou o processo de organização estudantil em entidades representativas.

Em 1937 é criada a UNE, a entidade máxima representativa dos estudantes do Brasil. Em 1964, os estudantes foram responsáveis por um dos mais importantes momentos de agitação cultural da história do país. Era a época do Centro Popular de Cultura (CPC) da UNE, que produziu filmes, peças de teatro, músicas e livros que tiveram grande influência no meio estudantil. Em 1979, ano da anistia e abertura política do País, as entidades estudantis começam a ser reativadas.

Ritley Rodrigues: “As forças de direita precisam dialogar com os alunos” | André Costa

Ritley Rodrigues: “As forças de direita precisam dialogar com os alunos” | André Costa

Abertura democrática

A vice-presidente regional da UNE e estudante de Geografia na Universidade Federal de Goiás (UFG), Déborah Evellyn, afirma que a entidade é uma instituição histórica e legítima na defesa dos interesses e defesa dos estudantes. Ela diz que a história das lutas sociais do País se confunde com a da própria UNE, portanto, uma entidade democrática e aberta a qualquer corrente ideológica. “A UNE não é uma entidade partidária e não é de única corrente política. Atualmente, em nossos congressos, há mais de 30 grupos diferentes”, diz.

Déborah Evellyn: “A UNE é uma entidade histórica e democrática”

Déborah Evellyn: “A UNE é uma entidade histórica e democrática”

Déborah Evellyn lembra que a instituição critica duramente as instituições privadas que, segundo ela, usam o conhecimento como mercadoria, e trabalha atualmente para a aprovação de um projeto de lei que amortiza os valores das mensalidades em universidades particulares. Em relação à acusação de aparelhamento por partidos políticos de esquerda, ela se defende dizendo que a entidade é democrática e aberta para todas as correntes. “A UNE está aí para ser disputada; ela têm seus fóruns e congressos abertos para qualquer estudante. Prezamos muito pela democracia”, afirma.

O presidente da União Estadual dos Estudantes (UEE) e aluno de Ciências Sociais da UFG, Ritley Alves Rodrigues, defende que a entidade de âmbito estadual é aberta para todos os estudantes, independente da inclinação ideológica. Inclusive, pontua ele, compõem a UEE quadros ligados ao PSDB e ao DEM, além dos partidos de esquerda, como o PSol. “Há espaço para todos nesta que é uma entidade histórica e de peso em Goiás”, diz.

Ritley Rodrigues considera um erro criar uma nova agremiação estudantil, já que poderá dividir ainda mais os estudantes. Ele explica que, para as forças de pensamento de direita ganharem representatividade nas entidades estudantis existentes, é necessária uma melhor organização para a disputa dos processos de eleição e de direção das instituições estudantis.

“A realidade que observamos é que, os estudantes que se identificam com a direita, não têm a cultura de passar de sala em sala estabelecendo um bom trato com os alunos. A hegemonia da direção é de esquerda porque eles mantêm diálogo constante com os estudantes. Este é o grande segredo”, afirma.

120 respostas para “Universitários goianos organizam uma “nova UNE” com ideais liberais e de direita”

  1. Bordô disse:

    O sujeito foi um dos fundadores do ARENA, partido responsável pelo assassinato sistemático de estudantes, e agora vai fundar a União Nacional dos Estudantes Democratas? Que moral ele tem pra isso!?!?

    Se o problema da UNE é o aparelhamento ideológico, a criação de outra organização aparelhada por outra ideologia está longe de ser a solução.

    • Poli Cam disse:

      A ARENA foi responsável pelo assassinato sistemático de estudantes? Quantos e quais foram os es-tu-dan-tes sistematicamente assassinados pela ARENA? Durante o regime militar, alguns terroristas revolucionários, por não se renderem, tombaram mortos, o que é da natureza dos confrontos armados.

      • Bordô disse:

        Completo ignorante quanto a história brasileira! Durante a ditadura militar, pessoas foram mortas por compor movimento estudantil, por fazer teatro, por fazer música, e por fazer jornalismo.

        Exemplo clássico foi o estudante secundarista Edson Luís de Lima Souto, que foi morto com um tiro no peito por protestar contra o preço da refeição no restaurante calabouço, no rio de Janeiro. Manifestação sem qualquer aspecto político ideológico. Esse episódio levou a famosa passeata dos 100 mil de 1968.

        Lógico, como sempre, a burrice e a paranóia recorre ao “fantasma do comunismo” para legitimar abusos contra a sociedade, violações de todos os princípios fundamentais do Estado de Direito, do pacto social, da civilização, do racionalismo, da modernidade, enfim, de qualquer coisa que nos separe de psicopatas paranóicos.

      • Fernando Cavalcanti disse:

        E quanto aos 138 mortos pela esquerda naquele período, 19 deles antes do AI-5, ou seja, antes do fechamento institucional? E quanto aos atos terroristas patrocinados pela esquerda antes de 1964?
        E comunismo naquela época estava longe de ser um fantasma. Procure a entrevista com o Eduardo Jorge ou o Gabeira, militantes de esquerda naquele período. Ninguém lutava pela democracia, eles foram sinceros em admitir. Lutavam para instaurar a ditadura do proletariado por aqui. Graças a Deus não tiveram êxito, ou estaríamos hoje racionando papel higiênico, com nossas filhas e mulheres se prostituindo por 1 dólar nas ruas.
        E modernidade, racionalismo e civilização há em todas as sociedades que ficaram bem longe da esquerda retrógrada praticada por PT e quejandos. Seus modelos são Cuba, Venezuela, Angola, Moçambique, enfim, o que há de mais atrasado no mundo em termos de civilização.

      • Dorothy Lavigne disse:

        Mentira! O estudante Edson Luis foi comprovadamente morto por um colega esquerdista mais nervosinho e usaram o cadaver pra promover a luta revolucionária,como de costume.

      • Roger disse:

        A luta pela democracia agora se chama terrorismo?

      • José Augusto disse:

        Luta pela democracia? Erro crasso amigo, luta pela ditadura do proletariado e isso já foi dito por vários que participaram da luta armada como Gabeira e outros.
        Lutaram pela democracia Ulysses Guimarães, Nelson Carneiro, Tetônio Vilela, Franco Montoro, Pedro Simon entre outros, os que tombaram, e segundo a própria comissão da verdade de um lado só, foram pouco mais de 350 terroristas que pegaram em armas, explodiram bombas, sequestraram aviões e diplomatas, assaltaram bancos e quartéis. Que tipo de reação esse bando poderia esperar?

      • Dorothy Lavigne disse:

        “luta plea democracia “, bobinho….
        huhauhuahuahuahuahu

    • Geraldo Bohessef Bou Assaf disse:

      Não me lembro do assassinato de nenhum estudante pelos militares, que não estivessem envolvidos com terrorismo ou apoiando o terrorismo, e vivi aquela época toda como estudante, e o que me lembro foram de seminaristas agredindo-nos na porta do colégio Arquidiocesano em BH , porque não queríamos participar das greves, comandados pelo frei Beto, que levou uma surra de um colega que era lutador de judô. Dizer que eles lutavam pela redemocratização do Brasil, é tão falso como uma nota de R$3, já que de 1961 a 1963, vivíamos uma democracia, e esses grupos já explodiam bombas e assaltavam bancos . Prefiro um governo que não se pode falar mal dele, mas que levou o Brasil em menos de 20 anos, da 49ª economia, para a 8ª, onde estamos até hj, passados 31 anos do fim desse governo, do um que pode falar mal, mas saqueia o Brasil e todas as empresas públicas, e depois manda a conta para o povo pagar.

      • Nehemias Wagner Da Silva Fraga disse:

        Concordo com você Geraldo Bohessef.

      • Bordô disse:

        Lamentável manifestação de ignorância histórica e social. Crianças foram torturadas durante a ditadura militar, índios e agricultores foram mortos durante a ditadura militar, jornalistas foram mortos durante a ditadura militar. Moradores de rua foram sequestrados para “aulas de tortura”.

        Opiniões como a sua mostram que ainda não vivemos em um país civilizado, inserido na modernidade e no racionalismo.

        A economia brasileira foi um desastre no período da ditadura, o país abria mão de ser avalizado pela FMI por razões ideológicas e por isso contraia empréstimos a 25% de juros dos mesmíssimos banqueiros que emprestavam a 5% para o FMI. A dívida brasileira começou nesse período, notadamente corrupto, ineficiente e meramente interessado na manutenção dos poderes nas mãos de elites.

      • Epaminondas disse:

        Todos concordam com o desastre que a Ditadura brasileira foi. Não precisa ser de esquerda pra ver isto, basta ser bem informado. O Chile pelo menos colhe alguns frutos de iniciativas econômicas dos “Chicagos Boys” — embora não justifique, poderia ter feito a lição de mercado liberal sem uma ditadura. Enquanto aqui, no Brasil, a ditadura foi estatista e promoveu coisas como a desastrosa reserva de mercado — uma tática bem mais a esquerda no espectro ideológico.

      • Dorothy Lavigne disse:

        “Lição de mercado liberal” na DITADURA chilena?!?!? hauhauhuahua como pode haver mercado liberal numa Ditadura?!? Mais um bobinho que acredita em qq lorota contada pelo MEC.

      • Epaminondas disse:

        Ai ai ai. Lá bem mais um radicalzinho. 42 ou 43? Não serve. É 8 ou 80. Se foi Ditadura, então só pode ter sido totalitária e centralizadora.

        É neste naipe de pensamento que poderiam dizer que Cuba é uma democracia deste a ascensão de Castro, já que tem eleições (noves fora que há apenas um único partido e Castro era o único candidato).

        Chile teve uma ditadura mas orientou sua economia para direção liberal. A Ditadura brasileira, conservadora, fez o inverso e orientou para o fechamento do mercado. Depois de recuperada a democracia, cada ação nos tempos de cada ditadura, teve seus reflexos.

      • José Augusto disse:

        Você precisa estudar mais …. a economia brasileira crescia em média 11 a 12% ao ano com pico de 14%. O que infelizmente aconteceu foram duas crises do petróleo (73 e 79), como naquela época importávamos cerca de 80% de nossas necessidades que cresceram fruto a recente industrialização, isso causou dificuldades para amortizar os empréstimos que usamos para construir a atual infra estrutura que temos e ao mesmo tempo suprir as necessidades de petróleo e evitar que o país parasse. O petróleo foi de U$1,50 o barril para mais de U$ 40,00.
        Se não fossem os militares hoje não estaríamos nesse forum pois desconheço internet a lamparinas. Naquela época fora construídas – em 21 anos – 25 usinas hidrelétricas, entre elas Itaipú. Rodovias foram ampliadas, a Petrobrás no começo da década de 80 já tinha multiplicado por 7 sua produção graças à bacia de Campos; portos foram construídos e outros ampliados e, pasme voce, portos no Brasil mesmo e não em Cuba. Até seu 13° salário foi regulamentado por Castelo Branco. E pasme de novo, a carga tributária sobre o cidadão era da ordem de módicos 22% contra os atuais 38% em que pese que naquela época os hospitais públicos eram de referência e de qualidade para todos a ponto de um Presidente (Tancredo Neves) ser internado e vir a falecer num deles, ao contrario do que ocorre hoje, as escolas públicas eram as melhores e ofereciam oportunidades iguais a todos, fosse pobre ou rico, negro ou branco, olhava-se apenas o mérito de cada um e eu te digo isso porque eu vivi isso, fui um menino pobre do interior que estudou a vida inteira em escolas públicas, inclusive a universidade, sem cotas, sem cursinhos, apenas com as boas escolas publicas daqueles malditos militares.
        Quanto aos empréstimos voce, ou mente, ou é desinformado. Quem “pagou a dívida externa” trocando juros externos que giravam em torno de 1,5% a 3% por juros da taxa SELIC aos banqueiros nacionais foi o molusco ladrão. No Governo Militar os juros eram FLUTUANTES contraídos no exterior o que foi agravado devido à crise do Petróleo. Durante a crise o dinheiro ficou mais caro e isso atrapalhou o fluxo de caixa brasileiro duplamente, juros altos e petróleo caro. E que ironia hein, hoje o Petróleo está de graça e essa esquerda corrupta que quebrou o Brasil está reclamando disso!!

      • Órion Costa disse:

        Sou de origem pobre, minha mãe dava comida pra fora e meu pai trabalhava abrindo estradas no interior do país. Tenho 72 anos de idade, agora, vivi nesta época e posso afirmar que o que você postou é a mais pura verdade. Na época do regime militar, estudei muito, me formei como administrador de empresas, fiz especialização na área de informática, trabalhei muito, constituí família, eduquei e criei meus filhos e foi uma época de grande progresso para todos que não eram vagabundos e oportunistas.

      • Marco disse:

        Também fui dessa época, estudei com credito educativohoje sou médico.
        Meu pai prosperou, era praticamente um feirante e chegou a ser dono de armazém. Será que esses rola bostas pro cubanos permitiriam isso?
        Lembro-me que passava carros de som convidando para empregos pelas ruas.
        prosperamos na indústria naval, aeronáutica, comunicação, indústria belica, automobilistica, agricultura.
        ainda tinhamos crédito edicativo que pagavam as universidades e nossa manutenção.
        CALEM-SE AQUELES QUE NÃO VIVERAM ESSE PERÍODO E SE GUIAM PELAS MENTIRAS DESSAS ESQUERDAS FALIDAS QUE NÃO DERAM CERTO EM LUGAR NENHUM DO MUNDO

      • Roger disse:

        E por acaso a corrupção só foi inventada no país após a queda da ditatura?
        A corrupção existe no país desde 1500. A única diferença, é que agora temos meios melhores para investigar, divulgar e punir a corrupção. Ao contrário do que acontecia na ditadura.

    • Snipery disse:

      Sr. Bordô, poderia citar pelo menos o nome de um dos estudantes que tenha sido assassinado pelo partido ARENA? Por que nos anais de toda a história da ditadura militar, apenas dois estudante morreram e assim mesmo em confronto com policiais durante um ato de manifestação. Um deles foi o estudante Edson Luis Souto e o outro, inclusive, Benedito Frazão Dutra, morreu porque foi impedido pelos próprios colegas de ser levado ao hospital a tempo de ser salvo. Afirmar que o partido da ARENA assassinou SISTEMATICAMENTE estudantes além de irresponsável, demonstra muita ignorância ou má fé.

      • Bordô disse:

        Foram 434 mortos políticos segundo levantamentos oficiais, pelo menos 23 alunos e 2 professores mortos só na UFRJ segundo apurações da própria universidade.

        Existem outras pesquisas sobre crimes praticados pelo regime e que são poucos divulgados e ainda há pouca informação, estima-se que cerca de 8,300 índios foram mortos pelo regime, muitas vezes em campos de concentração. tribos inteiras foram extintas durante a ditadura. Situação parecida ocorreu com moradores de rua e com camponeses.

        Dizer que somente dois estudantes morreram na ditadura é revisionismo infantil, bobeira apenas.

      • Newton Dantas disse:

        20 anos de “regime militar” e, segundo levantamentos oficiais, foram 434 mortos.
        Hoje morrem assassinadas mais de 150 pessoas por dia, mas você tá achando um absurdo 434 mortes políticas ocorridas durante um período de regime militar de 20 anos.
        O pior é perceber que você fala sobre essas coisas sem ter vergonha. Ah cara, vá arrumar coisa melhor pra fazer!

      • Bordô disse:

        150 mortos políticos por dia? Favor citar a fonte.

      • Newton Dantas disse:

        Leia direito o que eu escrevi antes de perguntar.

      • XQuest disse:

        150 não, são em média 164 brasileiros assassinados por dia no atual governo do PT. É só dividir 60.000 por 365 para com facilidade se chegar a esse número.

      • Clayton Cabeças disse:

        MAV detectado…. Você com esse ar de sabe tudo, e desrespeitando a todos de forma grosseira, me mostra apenas uma coisa. “Lavagem cerebral existe”. e em quanto você tenta se basear em “fatos” totalmente sem base, por que não prove com atitudes esse seu idealismo. que diga-se de passagem é muito mais selvagem que o dito Capitalismo. Há claro coisas dentro desse sistema que pode ser melhor, a ascensão social é uma luta digna… Mas me mostre uma aplicação de sei ideal que é superior ao comunismo… As Coreias quem quer ir pra qual lado, a divisão das Alemanhas, quem era o malvadão? Você descarta a todos aqui, mas quem precisa de rever os próprios ideais? Quem precisa de base para se ter se quer uma dialética equilibrada? será mesmo eu?

    • Epaminondas disse:

      Isto foi tão razoável de ser dito como se dizer que se alguém é de esquerda, defende genocídios como os praticados por Stálin ou Pol Pot — ou será que estes dois, nos dias de hoje nas salas de aula, são ditos que são de direita?

      • Bordô disse:

        Eu não disse que quem é de direita defende genocídios. Disse que quem defende a ditadura militar defende assassinatos sistemáticos de estudantes, o que é sim a mesma coisa que dizer que aqueles que defendem o regime de Pol Pot defendem genocídio.

        Como vocês são fracos de discurso! Dá dó!

      • Epaminondas disse:

        O ARENA foi o partido da situação da Ditadura, com integrantes civis. Número de mortos por seus participantes? Zero. Quem matou na Ditadura foram militares.

        Então daqui já vai uma diferença bem grande entre quem defende o ARENA (se é que ainda exista alguém que o faça — na lógica da esquerda, o que não é esquerda, é ditadura; é ditadura, apoia então as execuções) e quem de fato, matou na ditadura.

        Ser fraco de discurso é uma coisa. Fraco das ideias, outra bem mais chata.

      • Bordô disse:

        Quanta besteira! O partido que deu sustentação e legitimidade ao regime é responsável direto pelas mortes. Apoiou as mortes e tinha conhecimento. Se eram covardes demais para puxar o gatilho pessoalmente, ai é outra história.

        A diferença entre os defensores do ARENA e qualquer outra pessoa, é que os defensores do ARENA são psicopatas e intelectualmente frágeis. Não possuem informação, apenas teoria conspiratória, educação de quartel e besteiras ditas em blogs. E são pessoas com uma carga fetichista, que sentem prazer com o sofrimento do outro e buscam justificativa para tal. Vocês não são fracos de ideias, vocês são fracos de cognição.

      • José Augusto disse:

        Como disse o Newton Dantas e voce mesmo, foram cerca de 400 mortes em 21 anos ditos pela comissão da verdade de um lado só. Ai voce vem com a retórica de exterminaram milhares de índio, tribos inteiras e bla bla bla que te ensinaram em alguma aulinha de história dada por um professor de esquerda; mas vamos ao fatos concretos. Esses cerca de 400 terroristas que morreram com certeza não estavam distribuindo flores e veja que os militares nem foram esses monstros como querem pintar pois sobrou um bocado deles que hoje estão ai afundando o Brasil. Nessa conta de 400 vamos tirar uns 100 pois sabemos que havia os famosos JUSTIÇAMENTOS não é verdade? Ai o cara some .. põe na conta dos militares !!! Mas ai eu tenho certeza quase que absoluta que você nada tem a dizer sobre os mais de 10000 assassinados por Che em Cuba sem qualquer julgamento justo, aqui pelo menos tiveram o julgamento justo – vide Dilma, Franklin Martins, Genoíno, etc. E olha que Che em 64 em plena assembleia da ONU disse “Nos fuzilamos sim e continuaremos a fuzilar nossos inimigos”. Convenhamos né, 400 mortes de terroristas em 21 anos é um nada na história dos genocídios. Hoje morre mais do que isso em algumas horas, seja por confrontos, seja pela criminosa, omissa e corrupta gestão da saúde pública no Brasil.

    • Lincoln Jaime Rodrigues de Fre disse:

      VocÊs não estão vendo que esse tal Bordô é um mentiroso? Tem que se fazer movimento de direita sim, até por que numa democracia tem que ter os dois lados, se não não é democracia é refendo!

      • Bordô disse:

        Olha a infantilidade do debate… Eu estou argumentando, citando autores de renome e o tentando debater em um bom nível. Ai chega um tiozinho desinformado e rebate: “ele é um mentiroso”.

        Nossa cara, cresce! Já passou da idade!

      • Roberto disse:

        Ele não disse que não tem que ter direita, e sim que a direita não ganha eleições na une simplesmente por “não gostar” de conversar com os estudantes!

    • marly disse:

      E deixar a UNE comunista liderar e viver na mordomia por mais 25 anos sem nada fazer????

    • Adiel Cezar disse:

      Vc diz um bando de maconheiros que queriam implantar o comunismo no Brasil?

    • Nicéas Romeo Zanchett disse:

      Vivi toda aquela época e nunca soube do assassinato de um único estudante. É uma mentira deslavada para enganar os estudantes de hoje.

  2. Josey Wales disse:

    “compõem a UEE quadros ligados ao PSDB e ao DEM, além dos partidos de esquerda”

    Os dois partidos citados também são de esquerda, principalmente o PSDB.

    • Josias Beltrami Acauan disse:

      O DEM é de centro direita, o psdb é de esquerda.

    • Vitor Aff disse:

      bom, ja é um começo, ainda mais pq a gnt nao tem partido dito de ”’direita”’

    • Roger disse:

      Não é porque tem “Social Democracia” no nome que o PSDB pode ser considerado de esquerda. Ele é sim um partido de centro-direita. O DEM já é um partido de direita hidrófoba, praticante do populismo de direita.

      • Gustavo Lopes disse:

        Roger, PSDB é sim de centro-esquerda. Na realidade, isto explica a briga que tem-se aos socialistas marxistas (normalmente encontrados no PT, PSol, PCB, PCdoB em graus distintos) e os socialistas fabianos, ditos social-democratas (PSDB).
        O que os fabianos pregam é exatamente o que grande parte dos PSDBistas propagam e executaram: políticas voltadas ao Warfare State, regulamentação econômica (grande parte das agências reguladoras foram criadas por FHC), sindicalização, intervenções estatais medianas à fim de distribuição de renda.
        Percebe-se também que esta discussão já se perdura historicamente, já que ambos (socialismo marxista e fabiano) atritam entre si desde a Revolução Russa (com os bolcheviques e mencheviques).
        Porém, há quem diga que o PSDB se trata de liberais sociais, o que difere da social-democracia em si apenas em origem.
        Os Democratas estariam localizados na vertente do liberalismo consevador, dita direita tradicional.
        Sugiro o texto: http://static.psdb.org.br/wp-content/uploads/biblioteca/36575470.pdf

  3. fabio8000 disse:

    Tem meu apoio aqui em Porto Alegre.

  4. Alana Da Silva Motta disse:

    UNE legitima???? Um monte de pelegos que prestam serviço ao PT. Já passou da hora de disputar espaço para expor a pluralidade de ideias.

  5. Carol Lima disse:

    O autor da matéria peca feio em algumas afirmações: 1- reduzir o propósito da UDR a “impedir a aprovação de projetos de lei a favor da reforma agrária” é de uma desonestidade intelectual gritante; 2- dizer que a primeira faculdade do Brasil foi a do Largo de Sao Francisco é um equivoco imperdoável. 3- falar de entidades estudantis formadas por brasileiros que estudavam na Europa do Sec XVI (é isso mesmo? No auge da Contrarreforma Católica?) que desembocariam na Inconfidência Mineira, não merece nem comentário.

  6. Celio Azevedo disse:

    Apoiado! Do Rj.

  7. Renato Oliveira disse:

    Já chega , esses partidos de esquerda não tem monopólio das ações sociais! Diga chega UNE!

  8. Vinicius Maciel disse:

    Menos estado e mais liberdade. Tiraremos todos os partidos de esquerda, inclusive o psdb

  9. Éder Fonseca disse:

    Como a direita vai disputar espaço contra partido que bancam militantes dedicados, 24 hs/dia só para fazer movimento estudantil? A fundação de nova entidade, de viés declaradamente conservador, é bem vinda e necessária.

  10. Sérgio Paulo Santos disse:

    Liberal e conservador. Parecem coisas antagônicas. Gostaria de saber se são libertários.

    • salvaribeiro . disse:

      Liberal nesse contexto é em relação à economia. São pessoas que defendem a mercantilização de tudo, inclusive da educação.

      • Benjamin Rio disse:

        Educação é um bem. Não use “mercantilização” como se fosse algo pejorativo.

      • Epaminondas disse:

        Poucos tem coragem de dizer isto, Benjamin. Qual o problema em se mercantilizar a educação? A educação privada, mercantilizadíssima, é a que aprensenta melhor desempenho.

        Mas graças ao dogma que todos defendem — mesmo aqueles que dão um duro danado para que seus filhos tenham a melhor educação na rede privada — precisa existir educação gratuita. Gera os piores indicadores de educação, mas o importante não é qualidade, é ser gratuita.

        Claro que, na esfera superior, a educação pública dá de 10 na privada. Mas ela não é universalizada. O Estado não consegue servir educação de qualidade (e não é por falta de dinheiro, já que educação é um dos maiores orçamentos e você nunca vai encontrar um político dizendo que é contra se dar mais dinheiro para educação). O Estado é incompetente mesmo. Por isto consegue oferecer educação de qualidade apenas na pequena ilha da educação federal. Enquanto no grande continente da educação de base, gera os piores resultados.

      • salvaribeiro . disse:

        Sim, amigo, quando vc vende a sua educação vc fica sem ela. Muito inteligente a sua colocação.

      • David Rodrigues Lima disse:

        Interessante, que no Canadá praticamente nao existe escola estatal, e a educação lá é de altíssima qualidade!!

        Lá tem o chamado ‘voucher’. Se tu n sabe o que é isso eu explico de maneira bem simples:

        PRIVATIZA TUDO, e quem não puder pagar, o governo PAGA!!!

        Mais barato, mais lógico, do que o governo manter as escolas, construir, pagar salários de professores e funcionários, manter materiais, como papel, por exemplo…

        VIVA O LIBERALISMO!

      • Sérgio Paulo Santos disse:

        Eu sei. Mas eu faço esse contraponto entre liberal e conservador para destacar o ranço moralista que a direita brasileira mantém, representada pelos Bolsonaros e similares, e que não acrescenta valores mais evoluídos. Ao contrário, desagrega e mostra seu lado retrógrado e opressor. Por isso mencionei o Libertarismo como alternativa que une os verdadeiros ideais liberais, políticos, econômicos e sociais, mas que ainda está engatinhando no Brasil.

    • Geraldo Bohessef Bou Assaf disse:

      Liberal é onde tem menos estado, o estado fica encarregado só da saúde, educação e segurança, o restante é com a iniciativa privada. Não justifica o governo ter bancos, empresas de eletricidade, de petróleo, e saquear essas empresas sistematicamente, e depois mandar a conta para o povo pagar. É muito melhor pagar pedágios pra rodar em estradas como as de SP, do que pagar IPVA e outros impostos, e andar em estradas sem a mínima condições de segurança.

      • Sérgio Paulo Santos disse:

        Eu sei. Mas eu faço esse contraponto entre liberal e conservador para destacar o ranço moralista que a direita brasileira mantém, representada pelos Bolsonaros e similares, e que não acrescenta valores mais evoluídos. Ao contrário, desagrega e mostra seu lado retrógrado e opressor. Por isso mencionei o Libertarismo como alternativa que une os verdadeiros ideais liberais, políticos, econômicos e sociais, mas que ainda está engatinhando no Brasil

      • David Rodrigues Lima disse:

        As vezes, até a educação, e principalmente a SAUDE, nem são estatais! É tudo privatizado, e o governo ‘toma de conta'(na giria de nordestino) somente de FISCALIZAR, e garantir o acesso aos menos ricos, a esses serviços…

        Por exemplo: Nâo seria mais lógico, mais BARATO para o contribuinte, e mais JUSTO o governo privatizar tudo(saude e educação), deixar que os empresários cobrem pelos serviços, deixar, que, os empresários PAGUEM os salarios dos funcionários; deixar que os empresários mantenham o estoque/farmácia da instituição… do que o governo querer construir a escola/hospital, contratar a mão de obra, manter o estoque/famarcia…?

        LIBERAIS MESMO, (o que eu gostaria de ver), são os que implantassem esse modelo, a exemplo do que acontece no Canadá. O governo só serve mesmo pra fiscalizar e evitar abusos… De resto, deixa que os ‘capitalistas malvadões’ ‘tomem de conta’!

    • Nehemias Wagner Da Silva Fraga disse:

      Liberal não tem nada a ver com mercantilizar a educação e sim com ter menos Estado na economia, ou seja, menos estatais para serem roubadas por quem estiver no executivo, independente da ideologia que diz seguir.

  11. Petterson Cunha disse:

    Sou professor filiado, inclusive, ao Sintego -CNTE – CUT. Instituições claramente instrumentalizadas a serviço dos partidos centro -esquerdistase, principalmente do PT.
    Não só concordo com a criação de uma nova frente mais conservadora,como gostaria de participar de alguma forma.

    • Alana Da Silva Motta disse:

      É só tentar expor uma ideia diferente a do pessoal da UNE entre eles e terá a real reação, eles só são democráticos nessa reportagem, no mundo real é diferente, fora que eles chafurdaram na lama e sujeira do PT e seus desmandos. Daí a necessidade de criar outra frente.

  12. Marcel Fleming disse:

    Diálogo com a UNE? Só se for com o papai-noel e o coelhinho da páscoa. Diálogo para a esquerda brasileira só se estabelece se você pensa como eles. A simples tentativa de expor ideias liberais, ou menos “à esquerda”, já é motivo para te atacarem com unhas, dentes, foices e martelos. Não é discussão de ideias ou de valores: é ataque pessoal, com o objetivo de desqualificar o interlocutor.

    • marcelo disse:

      desqualificar teus argumentos? mas para isso vc precisaria ter algum, rs

      • Geraldo Bohessef Bou Assaf disse:

        Marcelo, e qual argumento vc tem ? Nenhum rsrsrsrs, por isso fez uma critica tão pobre, aliás, a esquerda não tem argumentos, os únicos são, elite branca, reaças, nazistas, fascista, mas nem sabem que tanto o nazismo como o fascismo eram vertentes do socialismo, a imprensa é PIG, quem não concorda com as besteiras ditas pela esquerda, tem complexo de vira lata, esses são os argumentos usados pra rebater qualquer questionamento, já que não sabem falar outra coisa que não seja o que esteja na cartilha, se sair do contexto do que a cartilha esquerdopata burra manda dizer, acontece como o que ocorre com a Dilma, acaba saudando a mandioca, estocando vento, mas isso, vcs fazem com perfeição, estocam ele no lugar do cérebro, ou vira roraimada, ou transforma Roraima em uma cidade. Enfim, como diz o Romário a esquerda calada é uma poeta, mas se abre a boca, vira uma dilmula.

      • Marcel Fleming disse:

        Marcelo. c.q.d. – NOTA: se não sabe o que a sigla quer dizer, pesquise. Vamos lá, o Google é pra todos…

    • Nehemias Wagner Da Silva Fraga disse:

      Exatamente.

  13. Lune Sepri disse:

    Devem ter percebido que esse psiquiatra tem toda a razão. http://tinyurl.com/pmo3lmg

  14. Alan Rodrigo Apio disse:

    “Déborah Evellyn lembra que a instituição critica duramente as
    instituições privadas que, segundo ela, usam o conhecimento como
    mercadoria, e trabalha atualmente para a aprovação de um projeto de lei
    que amortiza os valores das mensalidades em universidades particulares.”

    Aí, meu fígado..

  15. Witor Felipe disse:

    Olá, me chamo Witor Monteiro, estudante da universidade da Amazônia (unama) e tenho um total interesse pela iniciativa!
    PARABÉNS galera, podem contar comigo!!!
    Belém / Pará

  16. marcelo CB disse:

    Ja tinha que ter sido criado isso HÁ DECADAS!!!!!!

  17. brasileiro disse:

    Essa ANEL é comunista também. Só procurar o site deles, e ver a seção “quem somos”.

  18. Adriano Rech disse:

    opa, mas que bela noticia!!! sinal de que finalmente o povo esta acordando.

  19. wellington hipolito disse:

    PT é extrema esquerda. E o pessoal de direita, quando acontece qualquer evento, a mídia nos pinta como “extrema direita”

  20. Rodrigo disse:

    Ainda bem que Goiás não é estado que exporta tendências para o restante do país. Não conhecem histórias de países que foram governados por partidos de extrema direita? Não conhecem o fascismo, nazismo ? Serão universitários mesmo as pessoas que tomaram essa iniciativa?

    • Geraldo Bohessef Bou Assaf disse:

      Rodrigo, é por isso que a esquerda só forma burros. Quem disse que o nazismo e o fascismo eram da extrema direita ? A cartilha esquerdopata ? Partido Nacional Socialista do Trabalhador Alemão, era o partido Nazista. Tudo no Estado, nada fora do Estado, e nada contra o Estado, ou seja, socialismo puro, esse era o lema dos fascistas. Tanto o nazismo como o fascismo eram outra vertente do socialismo. Portanto seu argumento não procede.

      • Nehemias Wagner Da Silva Fraga disse:

        Geralmente quem faz esse tipo de comentário e que ainda manda as pessoas lerem história, são bem desinformadas. Amam chamar de fascista ou nazista quem é contra o socialismo, ao assistencialismo e ao “roubismo (rsrs) das estatais”.

    • Nehemias Wagner Da Silva Fraga disse:

      O fascismo e o Nazismo não eram de partidos de direita, eram regimes totalitários semelhantes ao regime socialista da URSS. A ideologia do Nazismo foi praticada pelo Partido Nacional SOCIALISTA dos TRABALHADORES Alemães (NSDAP), os nazistas foram um dos vários grupos históricos que utilizaram o termo “nacional-socialismo” para descrever a si mesmos. Os nazistas procuraram um terceiro modo de gerenciar a economia do seu país, sem que este tivesse ideais comunistas ou capitalista. Apesar do nome Socialista, o Nazismo era contra o socialismo marxista. Já o fascismo é uma forma de radicalismo político autoritário nacionalista. Os movimentos fascistas compartilhavam certas características comuns, incluindo a veneração ao Estado, a devoção a um líder forte. Benito Mussolini, em A Doutrina do Fascismo, afirmou que o fascismo era uma “evolução” do socialismo. O fascismo era antiliberal e anticomunista. Dessa forma, dizer que nazismo e fascismo são de extrema-direita… posso dizer que é uma piada.

      • Epaminondas disse:

        Resposta irretocável. O artigo fala de uma união de estudantes e o sujeito vem falar sobre “extrema direita”, fora a ignorância histórica sobre Nazismo e Fascismo.

      • Bordô disse:

        Quanta ignorância e desinformação copiada do Olavo de Carvalho. Basta ler o Mein Kampf, escrito pelo próprio Hitler, onde ele se diz antagônico ao socialismo, ao marxismo, ao comunismo e a social democracia.

        “Nacional socialismo” diz respeito a uma determinismo em relação a sociedade nacional alemã “ariana”, e não a socialismo marxista ou qualquer outra. As políticas sociais e economicas tocadas por Hitler não tem NADA a ver com socialismo.

        Von Mises sim, ideólogo do “libertarianismo” ou anarco-capitalismo, foi um notório defensor do fascismo austriaco e de Benito Mussolini.

        Recentemente o parlamento alemão lançou um documento sobre partidos alemães em que descreve o NAZI como um partido de extrema-direita:

        https://www.bundestag.de/blob/189776/01b7ea57531a60126da86e2d5c5dbb78/parties_weimar_republic-data.pdf

        Na acadêmia, é consenso absoluto de que o NAZI foi um partido de extrema-direita. Nenhum historiador relevante, de país nenhum do mundo nega isso. Apenas blogs e “movimentos” adeptos de teoria conspiratória é que de uns tempos para cá passaram a insistir nesse beco sem saída argumentativo.

      • Epaminondas disse:

        Um dos motivadores do levante genocida do nazismo foi a crise econômica no qual a Alemanha amargava. E resolveram perseguir quem? Judeus, a quem consideravam a elite econômica culpada, já que eram ricos e o povo estava na miséria. Viam os judeus, essencialmente, como representação do mal que era o capitalismo.

        (E hoje qual dos lados expressa ódio contra Israel? Direita ou esquerda???)

        Só aqui, é duro colocar este pessoal à direita. Mas ainda teimam que o “socialismo” em “nacional socialismo” não era “socialismo”. Poderiam pelo menos dizer a desculpa esfarrapada de sempre, que os nazistas não aplicavam o socialismo real, utópico, por isto deu tudo errado. É o que invocam para justificar URSS ou Cuba.

        Mas não se prenda a minhas palavras, procurem pelo Pacto Molotov–Ribbentrop, aonde Stálin e Hitler apertaram as mãos, no naipe “você não me ataca que eu não te ataco“ — curioso como não observamos um pacto entre Hitler e Churchill, para validar que o nazismo era uma penca de conservadores de direita.

        Não sou especialista em Mises para contestar se era defensor do nazismo. Mas considerando que ele legou documentos apontando a centralização econômica estatal — característica socialista clara — do regime nazista e como ele também refutou como o socialismo não tem como dar certo, acho que carece fontes que ele se empolgasse com uma suástica.

        Se for me refutar, por favor, coloque nomes nos “historiadores relevantes” que contestam que o nazismo não era socialista.

        Ademais, Olavo de Carvalho é um boçal. Espantalho útil na argumentação da esquerda, quando sequer quem não é de esquerda se sente representado pelas boçalidades arcaicas que o sujeito que se jacta de ser astrólogo, diz.

      • Bordô disse:

        Se você ler o Mein Kampf, que o próprio Hitler escreveu, está lá, claramente, que ele responsabiliza o judaismo e o comunismo (que ele considera uma expressão judaíca) pela crise da Alemanha, e não o capitalismo. É só ler na fonte:

        http://bibliotecadigital.puc-campinas.edu.br/services/e-books/Adolf%20Hitler-1.pdf

        “Se o judeu, com o auxilio do seu credo marxista, conquistar as nações do mundo, a sua
        coroa de vitórias será a coroa mortuária da raça humana e, então, o planeta vazio de
        homens, mais uma vez, como há milhões de anos, errará pelo éter.” (página 40)

        Tá vendo como você e Hitler pensam igual!? Hitler é a cara do comentarista desinformado de internet!

        A esquerda não faz oposição ao judaismo ou a Israel. A esquerda faz oposição ao sionismo, como Albert Einstein também fez e muitos outros judeus o fazem, em função das barbáries praticadas pelo regime.

        Hitler TINHA um pacto com o Reino Unido! Chama-se Acordo de Munique! Foi feito quando Chamberlain era primeiro ministro. Churchill assumiu apenas em 1940. Não sabe nada heim, hahahahah!

        Hitler não é socialista por usar a expressão “nacional-socialismo” da mesma forma que ele não é hindu por usar a suástica, que é um símbolo original do hinduísmo. Ele utiliza a expressão “nacional socialismo” inspirado em Proudhon, filósofo do iluminismo, que usou a expressão socialismo com outro significado e antes do surgimento do marxismo.

        O ônus da prova é seu, que é o revisionista histórico! Se tivesse o básico de leitura, não diria essa bobeira! Mas que seja: David Irving, Eric Hobsbawm, Henri Michel, Basil Lidell Hart, Max Hastings, Allan Bullock, e qualquer outro historiador da segunda guerra. Note que estou citando historiadores dos mais diversos países e correntes.

  21. Crux disse:

    A ANEL é do PSTU… tão ruim quanto.

  22. Fransco Amorim disse:

    Até que enfim! Estou dentro!

  23. Fransco Amorim disse:

    O Brasil está sofrendo o maior roubo e abuso de sua história e esta UNE está se omitindo escandalosamente! Que estudante com vergonha na cara que entrar pra este lixo omisso? É óbvio que a única saída é acabar com ela e criar outra instituição livre dos tentáculos do PT e do Foro de São Paulo.

  24. Felipe Araújo disse:

    Estudantes da Anhanguera em defesa do neoliberalismo?
    Quais as propostas, aumentar cursos a distância e venda de diplomas online? é por isso que lutam?

    • Epaminondas disse:

      Olha, não te conheço. Mas só de usar o termo “neoliberalismo”, já posso dizer uma porção de coisas sem medo de errar. É termo que é usado por um só tipo de opinião. Geralmente, quem usa também o termo “presidenta”. E dependendo da (falta de) classe, “coxinha” também é frequente.

      Aumentar cursos à distância foi uma democratização do acesso a cursos superiores. Afinal, construir faculdades não são coisas simples ou que só dependa de dinheiro (capital humano para preencher uma não brota do chão quando você semeia moedas). O EAD permite que mais pessoas tenham chance de estudar. Não é um modelo ainda maduro e que consiga competir com indicadores de eficiência do ensino tradicional, mas o ensino tradicional também amargou muitas gerações até atingir estes números que hoje exibe.

  25. Benjamin Rio disse:

    Será bem-vinda. Chega desse blá blá blá esquerdista-psicopata em TODAS as entidades estudantis e de representatividade sindical.

  26. Nehemias Wagner Da Silva Fraga disse:

    É curioso como quem é de esquerda se incomoda quando alguém que não é de esquerda se manifesta. Quem é de esquerda pode se manifestar, quem não é de esquerda não pode. Se estudantes se unem numa organização de esquerda, está tudo beleza, mas se estudantes querem criar uma organização contrária a ideologia de esquerda, é a pior coisa do mundo. É por isso que não creio que estejamos num país democrático.

  27. Pedro Quintanilha disse:

    Vou contar a minha história dento da UCB em Brasília, O CAECO e CAADM, foram os primeiros CA empresa do Brasil com estatuto, CNPJ, C/C e junto ao CAADM ajudamos na fundação da 1ª Empresa Junior do Brasil e etc… Tínhamos um Excelente relacionamento com a Gestão da UCB, tínhamos um aluno dentro do conselho diretor , tínhamos cunho sem partido político… Sofremos até Greve do DCE em Nome da UNE, por sermos apolíticos , fomos perseguidos por não ceder-mos ao PT,PCdoB, MR8(PMDB),PSTU que já iniciava suas bases… Cansamos de Debater com o então Deputado Agnelo Queiros e a pres. regional da UNE a EX-senadora Maninha… Tempos difíceis… em 1995 entregamos o CA… que se não me engano terminou fechado vários anos depois de nossa gestão e perdeu todas as conquistas que fizemos… foi uma Pena.

  28. Epaminondas disse:

    As pessoas não são de direita só porque não ficam fora do lado da esquerda. É só que elas acham que não dá pra relativizar a ética em nome da “justiça social” e reconhecem a importância do livre mercado, inclusive para prover bem estar social, educação, saúde e moralidade. Isto as jogas num roll ingrato e genérico de “conservadores” (ou como o artigo sugere, “neoconservadoras” — ???).

    Bom são os representantes da UNE e congêneres, dizendo que suas entidades tem espaço para quem defende o livre mercado. Quem defende a coisa de cota, ocupação, catraca livre, transporte público gratuito, a máfia das carteirinhas de estudante (que qualquer analfabeto pode tirar, só basta pagar a taxa e levar a foto 3×4 — quem não topa com esta máfia, que arque em pagar o dobro que os ingressos subiram para compensar) e ensino gratuito, sabe quando vão querer ouvir sobre liberalismo econômico?

    No dia que chover canivete aberto.

    E vamos rever uns conceitos aí: Depois de 14 anos do PT no poder federal, quem é conservador e reacionário é quem deseja que o PT continue no poder. E quem defende o livre mercado anda muito mais preocupado com a sustentabilidade dos pobres do que quem comemora quando mais gente passa a depender de Bolsas, e não quando menos.

  29. Roger disse:

    Boa sorte na tentativa de explicar para os estudantes que a extinção das políticas públicas para educação saúde e seguridade social, etc, são boas para o país.

  30. Fátima disse:

    Se esses estudantes neoliberais, conservadores e que se referenciam na direita são tão organizados e tal, pq não disputam a UNE? é mais fácil criar um brinquedo novo? vai ser patético.

  31. Maria de Fátima Alvarenga disse:

    Apóio!

  32. William Ferraz disse:

    Eu gostaria de entrar em contato com os organizadores deste movimento, aqui em São Paulo, posso auxiliar este moviemento. Cansado de UNE, UBES e seus baderneiros que não possuem bandeiras nem propostas concretas para os estudantes, defendem uma ideologia política falida.
    Sou presidente da Representação Discente de uma das maiores faculdades de Direito de SP, tenho certeza que podemos ajudar muito este movimento.

  33. William Ferraz disse:

    Gostaria do contato de algum dos organizadores para apoiar em São Paulo a iniciativa.

  34. Gustavo Carvalho GO disse:

    Presido o DCE de uma Faculdade aqui em Rio Verde e realmente, embora possível, é bem árduo se opor a toda baboseira q a liderança das diversas correntes pseudo-comunistas q comandam sistematicamente a UNE e com interesses nada coletivos – na maioria são meras marionetes do PCdoB, PT, PSOL e cia ltda – nos Congressos. Participei de 2 em 2014, me opus ao q havia de ridículo, fui vaiado pelos “macaquinhos” de auditório mas fiz meu papel de representar de forma legítima os estudantes de nossa instituição de ensino superior. É ótimo saber q existe um movimento contra esse fisiologismo surgindo e se fortalecendo. Quero fazer parte!!

    Atte,

    Gustavo Carvalho
    (64)9904-5747 Vivo/WhatsApp

  35. Washington Xavier disse:

    O PDS – Partido da Defesa Social, de ideologia centro-direita, formado por forças da Segurança pública integrada, apoia essa iniciativa. Em Belo Horizonte e todo o Estado de MG já pode contar com apoio maciço.

    http://www.pds80.org.br

    http://www.facebook.com/pdsnacional

  36. AMAURI disse:

    Que o PT cometeu erros históricos na condução de seu governo, especialmente no período Dilma Roussef, não parece haver dúvidas. Acho que o partido perdeu inúmeras chances de mostrar que era de fato diferente de tudo aquilo que a história dos partidos no Brasil havia mostrado. Agora, cheguei à conclusão de que o maior prejuízo que o governo do PT trará ao Brasil não é a corrupção (já instalada desde o descobrimento), a institucionalização dela (outra falácia), mensalões, petrolões ou crise econômica. O maior prejuízo que o governo de esquerda trará ao Brasil é ressuscitar uma face sombria da direita, que pensávamos estar enterrada. Não só através de seus líderes mumificados como também de apoiadores, muitos tão jovens que só conhecem os descalabros da ditadura e seus partidos pelo wikipédia e livros. Essa conta, não tenho dúvida, é creditada ao PT.

  37. Manoel da Nóbrega disse:

    Deixem a UNE CUBA. Venham para a UNE BRASIL.

  38. Hugo Desmascarador disse:

    Excelenteee !!!!

  39. Fernando Cavalcanti disse:

    Olavo tem razão.

  40. Francisco Lúcio disse:

    Agora vejam só, nos temos um sujeito cognominado Bordô, um verme esquerdista, com a mente completamente cauterizada e lavada pela religião marxista, reclamando de ” mortos políticos”, que se diziam lutar contra uma ditadura, indo treinar guerrilha, tiro ao alvo, confecção de bombas, táticas de emboscada onde mesmo ? EM OUTRAS DITADURAS como Cuba, China, União Soviética, Argélia e o caralho a quatro, até a Coreia do Norte estava envolvida em algum grau ! Puta que o pariu, que lógica, que coerência!
    O sujeito vem com bosta de argumento genérico que qualquer estudante iniciante em Direito Penal desmonta, já que não conta aqui em que circunstâncias foram mortos : a esmagadora maioria morto em combate, atirando também.
    É um Patife completo. Patife e psicopata, como bem mostrou em seus estudos o autor Dr. Andrei Lobachevski em o seu Ponerologia-Psicopatas no Poder.
    Um idiota desses vir falar em Civilização, quando a ideologia dele torturou e matou mais de 100 milhões de seres humanos, cercou liberdade de imprensa, queimou milhares de igrejas e fuzilou milhares de clérigos, homossexuais, reduziu em Cuba os negros candomblecistas a campos de concentração, fuzilou crianças pelo simples fato de se tem filhas de opositores. Se eu fosse falar das monstruosidades feitas em nome do socialismo/comunismo isso aqui não iria caber. E Marx não foi deturpado coisissima nenhuma, até mesmo reclamou junto com Engels, de não haver tido mais violência e mais opressão na Comuna de Paris.
    Bota a cabeça no vá do sanitário e puxe a descarga, seu jumento.

  41. Herdes Wanzeler disse:

    Nossa, cara a criação de novas UNES de Direita por todo o Brasil será maravilhoso!!! Precisamos acabar com esse aparelhamento do Comunismos que estão agredindo nossos estudantes de direita impedindo até de usar uma camisa do Bolsonaro. Ontem eu estava em um ônibus coletivo e um monte de jovens e adolescentes de esquerda entraram chingando e gritando falando que são “negros” e que odeiam “brancos”… Cara, porque os Petistas Comunas vivem se Vitimizando e expondo a sua opção sexual? Ninguém é obrigado a saber o que você faz entre 4 paredes! É isso que estão aprendendo nas escolas e Universidades? Outra coisa, nunca existiu “Ditadura” no Brasil, o que existiu de Verdade foi o REGIME MILITAR. Esse sim nos livrou de terroristas que queriam implantar o Comunismo no Brasil.

  42. Herdes Wanzeler disse:

    QUE MARAVILHA!!! Isso é muito bom, novas UNES de DIREITA nas Universidades do Brasil vai ajudar muito a interromper a lavagem cerebral que a esquerda está fazendo na cabeça dos jovens e adolescentes nas escolas e universidades. Vamos acabar com essa conversa de que houve uma “ditadura” no Brasil. O que houve de verdade foi o REGIME MILITAR que defendeu o Brasil de Terroristas como Mariguela, Cheguevara, e hoje Dilma e Lula, que naquela época assaltavam Carros fortes, treinavam em Cuba e assassinavam milhares de famílias brasileiras. Eles queriam (e ainda querem) implantar o Comunismo no Brasil a qualquer custo, mas não conseguiram porque os nossos Militares nos defenderam. Fora Dilma!! Fora PT!!! E Lula na Cadeia!!!

  43. Joel disse:

    Parabéns! Endireita Goiás!

  44. Matheus Antonio disse:

    Eu concordo plentamente em uma criação de um Movimento que Defenda a Direita, querer impor um Comunismo é coisa do passado, além do mais parecem que a UNE parou no tempo, desejando ainda um Comunismo, torcem pela Desmilitarização, Governos que estão pensando em Crescimento Econômico e Sustentável, Ampliação de Novas Estradas, isso por que irá favorecer boa parte da População e o foco será mais uma vez Ignorar o Bolso das Universidades que não estão desfavorecidos, Torturas como aconteceu no Regime Militar esta errado, mas foi necessário para encontrar pessoas que queria impor um Comunismo Esquerdista, por outro lado houveram muitos crescimentos e desenvolvimentos, Novas Universidades, estradas rasgaram o Brasil, que os Militares se voltem para este novo movimento, e que haja futuramente uma Nova Intervenção Militar e acabe com a UNE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.