Trindade executa força-tarefa para proteger crianças e adolescentes contra o câncer

Secretarias da Saúde e da Educação aderem a campanha nacional e iniciam vacinação nas escolas da cidade

Campanha de vacinação contra vários tipos de câncer visa proteger meninos e meninas trindadenses | Foto: Reprodução

Fábio PH
Especial para o Jornal Opção

Cartão ou caderneta de vacinação do adolescente na mão, é hora de buscar a imunização contra vários tipos de câncer. Por intermédio das Secretarias Municipais de Saúde, sob o comando de Branca Ferreira, e da Educação, cuja titular é Magda Batista, a partir do início das aulas neste mês ocorre uma campanha de vacinação contra o vírus HPV e a meningite tipo C para os adolescentes das escolas públicas e privadas. O objetivo é ampliar e facilitar o acesso destas vacinas ao seu público-alvo.

Mesmo os adolescentes que já receberam essa vacina na infância devem receber um reforço aos 12 anos. Também está disponível a vacina quadrivalente contra o papilomavírus humano (HPV) para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. A importância de os meninos também se vacinarem contra o HPV é a proteção contra o câncer de pênis, garganta e ânus, tipos da doença que são diretamente relacionados ao HPV. Já as meninas são protegidas contra cânceres de colo de útero, vulva, vaginal e anal, lesões pré-cancerosas, verrugas genitais e infecções causadas pelo vírus.

Este é o primeiro ano em que meninos passam a fazer parte do público-alvo da vacina. Estudos feitos em outros países que já adotaram a vacinação de meninos mostram que sua inclusão contribui para a diminuição do câncer de colo do útero e vulva das mulheres, já que isso possibilita a diminuição da circulação do vírus na população, o que beneficia o público feminino.

O HPV é transmitido pelo contato direto com pele ou mucosas infectadas por meio de relação sexual, mas também pode ser transmitido da mãe para o filho no momento do parto. Para que os adolescentes estejam devidamente protegidos, deverão tomar duas doses da vacina, a segunda administrada seis meses após a primeira. Caso o pai, a mãe ou o responsável pelo adolescente não autorize a vacinação, será encaminhado um termo de recusa, o qual deverá ser preenchido, assinado e enviado à escola.

Além dessa programação nas unidades de ensino, a vacina contra o HPV estará disponível em todas as unidades de saúde do município de Trindade, durante todo o ano, para a faixa etária indicada. l

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.