Prêmio Sebrae Mulher de Negócios homenageia empresárias goianas

Com a conclusão da etapa estadual, vencedoras se preparam para representar Goiás no final do ano em Brasília

As premiadas Geni Rodrigues, Isabela Hanashiro Paixão e Rut Vinhal Fernandes: força feminina no empreendedorismo | Fotos: Fernando Leite/ Jornal Opção

Marcelo Mariano

O Serviço de Apoio às Micro e Peque­nas Em­presas em Goiás (Sebrae-Go) promoveu, na quarta-feira, 9, a entrega do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios. Na oportunidade, mulheres de todo o Estado foram homenageadas em razão de seus esforços no meio empreendedor. Trata-se de um prêmio que tem como diferencial a avaliação e o reconhecimento das histórias das empresas, além, é claro, dos quesitos técnicos.

Vencedora na categoria “Produtora Rural”, Geni Rodrigues mora em um assentamento de reforma agrária no município de Santa Isabel e sua atividade consiste em extrair polpa de frutas típicas do Cerrado. Com vendas para mais de 70 escolas de seis cidades da região, Geni ressalta o impacto da assessoria do Sebrae para o seu negócio. “Consegui abrir a mente para o mundo. Enxerguei o tamanho do mercado e agora tenho cada vez mais vontade de trabalhar para preenchê-lo”, conta. Para ela, o prêmio é um sonho realizado que serve para evidenciar a importância da mulher no mercado de trabalho.

Isabela Hanashiro Paixão trabalha com joias de prata, desde o processo criativo até a feitura, e faturou o prêmio na categoria “Microempresária Individual”. Segundo a joalheira, que atua nesta área há 12 anos, não basta ter apenas paixão pelo negócio. É necessário entender o mercado e o Sebrae a ajudou neste sentido. Sua maior dificuldade foi na formação de preço e, tendo agora uma maior noção de gestão e empreendedorismo, pretende focar no e-commerce. Apesar do sofrimento com erros cometidos, Isabela diz que o prêmio mostra que ela sempre esteve no caminho certo.

Fabiana Lopes da Costa Nunes, Eunice Pereira Barbosa e Lucy Gomes Maranhão posam com seus prêmios | Fotos: Fernando Leite/ Jornal Opção

Na mesma categoria, Iasminy de Paula Berquó foi premiada pelo seu desempenho à frente do Sítio Boca do Mato, situado na cidade de Mambaí, onde ela produz alimentos naturais, como licores artesanais e pasta de pequi, uma espécie de patê para passar em pães e bolachas. Em 2014, deu-se início o vínculo de Iasminy com o Sebrae, que deu a ela uma visão empreendedora por meio de um plano e estrutura de negócios. “Fico feliz em saber que vale a pena passar pelos obstáculos porque os sonhos podem ser realizados”, comenta sobre a premiação.

Ainda em “Microempresária Individual”, Eunice Pereira Barbosa e Lucy Gomes Maranhão empataram na terceira colocação. Eunice vende produtos naturais de porta em porta em Caldas Novas, atendendo a turistas com distribuição via transportadora e correios, enquanto Lucy possui uma empresa de organização de eventos em Senador Canedo. Além da felicidade com o reconhecimento proporcionado pelo prêmio, ambas destacam o papel do Sebrae no desenvolvimento de seus respectivos empreendimentos. “Procurei o Sebrae desde o primeiro dia. Eles me ajudaram muito com as consultorias e a registrar a minha marca”, salienta Eunice. “Não teria tido tantos problemas se tivesse conhecido o Sebrae antes de abrir o meu negócio”, complementa Lucy.

Marina Marchezini Lopes e Ana Monfardi: “O prêmio nos dá a certeza de que estamos no rumo certo” | Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção

Rut Vinhal Fernandes sagrou-se vencedora na categoria “Pequenas Empresas”. Em sociedade com sua prima, ela possui uma loja de tortas doces e salgadas. Emocionada com a premiação, Rut afirma que sempre tiveram o desejo de crescer, mas não queriam fazê-lo sem conhecimento e orientação. O negócio, que começou em casa, passou por uma feira de alimentos e agora possui loja própria, teve seu desenvolvimento facilitado com a participação do Sebrae. “Já nos deparamos com certas situações em que não sabíamos o que fazer e o Sebrae auxilia na tomada de decisões”, expressa.

Fabiana Lopes da Costa Nunes é proprietária de uma escola de idiomas em Anápolis. Não havia opções deste segmento na região em que mora e muitas pessoas a procuravam para que pudesse ministrar aulas particulares. O negócio expandiu e o número de alunos também. Assim, a empresária procurou o apoio do Sebrae, especialmente nas questões de administração e gestão de pessoas. Com sua família e equipe de educadores sempre por perto, Fabiana foi se adequando ao perfil empreendedor à medida em que participava das palestras. Ela considera o prêmio como um incentivo a mais para seguir crescendo.

Iasminy de Paula Berquó e o analista do Sebrae: “Fico feliz em saber que vale a pena passar pelos obstáculos” | Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção

Com a missão de desenvolver a aventura segura e o ecoturismo sustentável com consciência a partir da preocupação com o meio ambiente, Marina Marchezini Lopes e Ana Monfordi inauguram, há um ano, em Formosa, um albergue que, ao mesmo tempo, funciona como uma operadora de turismo. O Sebrae esteve ao lado delas desde o início e as fizeram pular etapas, ganhando qualificação e gerando visibilidade no mercado de turismo. “Vamos acordar todos os dias, olhar para o prêmio e falarmos que estamos no rumo certo”, dizem.

Empatada com Marina e Ana na terceira posição da categoria “Pequenas Empresas”, Rita de Cássia Silva Oliveira possui uma ótica em Itumbiara. Ela avalia que o Sebrae prestou uma grande contribuição no início, principalmente nas áreas administrativa e financeira e, agora, em inovação e comunicação. Rita diz ser gratificante ver o número de mulheres empreendendo e sendo reconhecidas. “Tenho muita sede de aprendizado e espero que outras mulheres também busquem isso”, sugere.

O prêmio

Analista Thais Oliveira: “O empreendedorismo feminino é uma onda que só tende a crescer” | Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção

O Prêmio Sebrae Mulher de Negócios é realizado desde 2004 no âmbito nacional. Em Goiás, a primeira edição aconteceu em 2006. À época, não existia nenhuma premiação específica para as mulheres e esta veio com a ideia de ser uma forma de empoderamento feminino. De acordo com Thais Oliveira, analista do Sebrae e coordenadora das ações de empreendedorismo feminino no Estado, mulheres estão cada vez mais empreendendo. Na sua visão, é uma onda que só tende a crescer.

A edição deste ano foi a 11ª porque em 2016 o prêmio passou por uma reformulação. Recursos foram colocados em outras frentes e, em virtude disto, o número de inscritas, que vinha crescendo desde o início, caiu. Ao todo, 122 candidatas se inscreveram nas três categorias de premiação: “Produ-tora Rural”, “Micro­em­presária Indivi­dual” e “Pequenas Empresas”.

Rita de Cássia Silva Oliveira: “É muito gratificante ver o grande número de mulheres empreendendo” | Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção

As inscrições, cujo início se dá em fevereiro, são feitas por meio de um relato online a fim de contar a história por trás do empreendimento, além da resposta de 16 perguntas. O Sebrae, então, convida voluntários devidamente capacitados para fazerem uma avaliação a partir da qual é criado um ranking por categoria. As dez primeiras colocadas recebem visitas e a classificação final é decidida por uma banca de juízes, composta por parceiros que tenham projetos voltados para as mulheres, como o governo estadual, o Banco do Brasil, a Caixa, o Cevam, a Universidade Federal de Goiás (UFG) e a BPW. As vencedoras de cada categoria se classificam para representar Goiás na etapa nacional, em Brasília, no mês de dezembro.

Thais Oliveira explica que muitas mulheres passam a conhecer o Sebrae ao verem a possibilidade de disputar o prêmio. Daí surge a aproximação e, consequentemente, a valorização dos seus negócios. O contato com aquelas que já conheciam a instituição, por sua vez, se intensifica. “O prêmio é, ao mesmo tempo, uma forma de entrada e uma maneira de manter as maneiras próximas objetivando a melhoria da gestão”, frisa.

Cronograma da etapa nacional

Foto: Divulgação

“Empresárias e empreendedoras em potencial encontram no Sebrae um parceiro”, diz diretora

Para Luciana Albernaz, empreendedorismo feminino é capaz de elevar índice nos campos social, econômico e cultural dos países Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção

A Diretora de Administração e Finanças do Sebrae-Go, Luciana Albernaz, fala sobre o empreendedorismo feminino, o Prêmio Sebrae Mulher de Negócios e demais ações direcionadas a este público:

“O empreendedorismo feminino cresceu cerca de 35% na última década e meia, período em que cerca de oito milhões de mulheres abriram suas empresas como forma de alcançar autonomia financeira. Os índices são da mais recente pesquisa Global Entre­preneurship Monitor (GEM). O número de mulheres em cargos de liderança no Brasil subiu em relação aos dois anos anteriores, de acordo com uma outra pesquisa – International Business Report (IBR) – Women in Business, realizada pela Grant Thornton, em 36 países. A presença de mulheres em cargos de CEO aumentou de 5% em 2015 para 11% em 2016.

O Sebrae reforça a importância de dar visibilidade ao empreendedorismo feminino em virtude de sua capacidade de elevar, positivamente, índices nos campos social, econômico e cultural dos países. E uma das ações do Sebrae para dar visibilidade ao empreendedorismo feminino é o Prêmio Sebrae Mulher de Negócios. A premiação já está em sua 13ª. edição nacional e aqui em Goiás esta é a 11ª. edição. Desde 2006 já recebemos 1.810 inscrições de histórias que podem inspirar tantas outras empreendedoras. E por isso mesmo, consideramos que todas são vencedoras, pois ultrapassaram desafios, geraram renda e oportunidades de emprego para centenas de pessoas. O prêmio é uma parceria entre o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM) e a Federação das Associações de Mu­lheres de Negócios e Profissionais do Brasil (BPW), com apoio técnico da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ).

Empresárias e empreendedoras em potencial encontram no Sebrae um parceiro. Todas podem se beneficiar dos programas, capacitações, ações de mercado, inovação e sustentabilidade voltados para os pequenos negócios. O Sebrae está de portas abertas no cumprimento da sua missão de sempre apoiar as pequenas empresas e buscar parceiros e instituições que também podem atuar de forma cooperativa e colaborativa em favor desse segmento que é a força motriz da nossa economia.”

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.