Por que as ferrovias do Brasil transportam apenas carga?

Segundo geógrafos, o fracasso do Brasil em integrar os trilhos na estratégia de viagem urbana evidencia “um modelo de crescimento capenga”

Antiga locomotiva a vapor da Estrada de Ferro de Goiás | Foto: Reprodução / MP-GO

Em todo o mundo, 1,9 bilhão de pessoas deslocam-se diariamente sobre trilhos. As ferrovias são o terceiro modal mais comum de transporte no critério “distância viajada” e, segundo os dados da Universität Mannheim, Alemanha, este meio de locomoção está se tornando cada vez mais comum. As razões para usar os trens são várias e, segundo os pesquisadores do tema, o fracasso do Brasil em integrar os trilhos na estratégia de viagem urbana evidencia “um modelo de crescimento capenga”. 

Embora o País esteja em 9º lugar na dimensão total da malha ferroviária, o Brasil cai para a posição número 103 quando se considera a área territorial total dividida por quilômetro de ferrovia. Além disso, os trens brasileiros são quase exclusivamente dedicados ao transporte de carga, e não de pessoas.

Razões para viajar sobre trilhos

Além da maior eficiência no transporte de cargas, existem motivos convincentes para estimular também a viagem de pessoas sobre os trilhos entre cidades ou dentro do próprio ambiente urbano. Um desses motivos é a saúde pública.

Segundo o censo referente a 2019 da Confederação Nacional do Transporte (CNC), foram registrados 67,4 mil acidentes em rodovias federais brasileiras que resultaram em 5,3 mil mortes (o número salta para 46 mil mortes quando se considera acidentes de trânsito em área urbana, a 8ª principal causa de óbitos no Brasil, segundo a Secretaria de Vigilância em Saúde). Comparativamente, apenas 907 pessoas morreram em todo o mundo em função de acidentes nos trilhos no ano de 2019. 

Outra razão que tem ganhado importância com o debate sobre a sustentabilidade ecológica é a eficiência ambiental comparada entre rodovias e ferrovias. Uma análise dos modos de transporte de 41 países da OCDE publicada no Journal of Transport Literature revelou que o modo ferroviário é mais eficiente ambientalmente do que o modo rodoviário e que se em todo o mundo o tráfego de carga ferroviária fosse transferido para caminhões, a emissão mundial de CO² aumentaria em mais de 2% (48 milhões de toneladas de CO² por ano).

Ferrovia Norte-Sul | Foto: Reprodução

O mesmo artigo, publicado por pesquisadores da Universidade Federal Fluminense (UFF), afirma que entre os países europeus, aquele cujo transporte pode ser apontado como mais sustentável é a Letônia. O motivo é seu sistema ferroviário, considerado muito forte, em que cerca de 60% da carga é transportada pelas ferrovias, contribuindo bastante para a redução das emissões de gases poluentes.

Histórico brasileiro

A primeira ferrovia completará dois séculos em quatro anos. Primeiro criado na Inglaterra, em 1825, o modo ferroviário veio ao Brasil por iniciativa do Barão de Mauá em 1854, que construiu 14,5 quilômetros de trilhos no Estado do Rio de Janeiro, ligando o Porto de Mauá à Serra de Petrópolis. As linhas passaram por um rápido crescimento entre os anos 1870 e 1900, quando saltaram de 750 quilômetros para mais de 15 mil; e, depois nos anos 1930, quando dobraram de tamanho. 

Denis Castilho é doutor em Geografia pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e professor do Instituto de Estudos Socioambientais (Iesa). Uma de suas linhas de pesquisa consiste na análise e mapeamento da rede ferroviária em Goiás e no Brasil ao longo da história. O pesquisador afirma que o crescimento da malha ferroviária no Brasil está atrelada à produção agrária e mineral. 

“Foi por meio da ferrovia que a modernização territorial se expandiu por diferentes regiões do país, dando origem a cidades e novas relações sociais de produção”, escreve ele em seu capítulo do livro de ensaios Geografia da Inovação, ainda a ser lançado pela Consequência Editora, e a que o Jornal Opção teve acesso prévio. 

A cidade de Goiandira é um exemplo de povoamento que surgiu no ponto de encontro dos trilhos do ramal ferroviário que ligava a cidade mineira de Araguari à cidade goiana de Catalão. Com principal função de escoar a produção do interior do País para portos nas regiões litorâneas, locais afastados dos trilhos tinham de transportar a mercadoria até as estações ferroviárias por tropas e boiadas.

Construção da Estrada de Ferro madeira-Mamoré | Foto: Acervo Fundação Biblioteca Nacional

Segundo o economista e coordenador do Núcleo de Estudos Urbanos, Josef Barat, autor do livro A Evolução dos Transportes no Brasil, diversos fatores levaram ao encolhimento da malha ferroviária após o apogeu na primeira metade do século 20. Alguns dos motivos são: a crise econômica de 1929, que reduziu a demanda pelas exportações de café; a fundação da Petrobrás em 1954, que exerceu papel fundamental na produção de asfalto e combustível; o lobby político da indústria automobilística; a resistência de sindicatos à modernização das tecnologias ferroviárias; a falta de gestão com um plano eficiente de investimento de forma unificada no transporte ferroviário do País.

Notadamente, a construção de Brasília representou um marco do rodoviarismo, que trouxe a construção de rodovias radiais por todo o Centro-Oeste e Norte do País. Na década de 1960, a malha ferroviária brasileira começou a encolher, perdendo em média 10 mil quilômetros a cada 20 anos. 

As ferrovias de hoje

Atualmente há expansão de algumas malhas que cruzam Goiás, como a Ferrovia Norte-Sul. Entretanto, Denis Castilho explica que o crescimento é bastante tímido para um país de proporções como as do Brasil. Há apenas duas malhas que perpassam o Estado de Goiás: a Ferrovia Centro-Atlântica (antiga Estrada de Ferro Goyaz) e a Ferrovia Norte-Sul. A principal função dessas ferrovias é o transporte de commodities como grãos e derivados, minérios, combustíveis, produtos siderúrgicos, segundo dados da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). 

A malha da Ferrovia Centro-Atlântica e suas conexões integram o Porto de Tubarão, no estado do Espírito Santo. Mas no caso de Goiás, a principal conexão da malha é com o porto de Santos, onde a companhia VLI Logística opera o Terminal Integrador Portuário Luiz Antonio Mesquita. A Ferrovia Norte-Sul se conecta à Ferrovia Carajás no Norte do país. Essa última dá acesso ao Porto de Itaqui, no estado do Maranhão.

História pessoal

Denis Castilho compartilha duas histórias que ajudaram a moldar sua compreensão sobre as Ferrovias no Brasil. A primeira se passa durante a quinta edição do evento “Brasil Nos Trilhos”, que foi organizado em um hotel de Brasília pela Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF) em 2017. Neste encontro estavam os proprietários das principais ferrovias do Brasil.

“O que ficou claro nesse evento é que esse setor corporativo se apropria dos trilhos para uma função específica: exportação de commodities”, explica Denis Castilho. “Todas as ferrovias estão subordinadas à área logística de mineradoras como a Vale (principal acionista da empresa VLI) e de exportadoras de produtos agrícolas como o Grupo Cosan (que possui a operadora de logística Rumo)”.

Denis Castilho explica que, nesse ambiente onde decisões importantes sobre as direções do desenvolvimento das Ferrovias são tomadas, o transporte de pessoas não é cogitado. Temas como integração urbana e outras discussões populares na Europa e no mundo também não são discutidos. 

O segundo episódio de insight do pesquisador veio em um evento do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea), em que o próprio Denis Castilho era um palestrante sobre o tema Integração Regional:

“Comecei minha exposição citando a experiência que tive em Portugal. Conheci a região do Douro via trem, além de ter ido de Lisboa à Porto por trilhos também. Eu disse que fiquei impressionado com ciclistas que pedalam até a ferrovia, deixam suas bicicletas em um compartimento apropriado dentro do vagão e, ao chegar no destino, vão caminhando ao trabalho em outra cidade. Ao mencionar isso no Crea, percebi que esse tipo de discussão é inimaginável no Brasil. Urbanistas, arquitetos e engenheiros nem cogitam o transporte por trilhos no cotidiano.”

Entrevista / Denis Castilho

O verbo queima, a palavra sangra | Jornal UFG

Denis Castilho: “Das estações cheias de vida e de trocas, hoje temos poucos pátios que atendem grupos e demandas muito específicas. Com isso, pode haver crescimento para alguns, mas não desenvolvimento ao país e ao conjunto da sociedade. ” | Foto: Reprodução / UFG

A logística no país poderia se beneficiar de maior malha ferroviária? Como?

Sem dúvida. Um país não se desenvolve sem a multimodalidade. O Brasil é muito dependente do transporte rodoviário, o que gera desequilíbrio e uma dependência onerosa (até mesmo irracional) no sistema de circulação. Se observarmos o que acontece em países da Europa, nos Estados Unidos e especialmente na China, o desenvolvimento econômico em suas diversas escalas passa também pelos trilhos – o que vale não apenas na escala das exportações, mas também para as demandas internas e regionais. Ao contrário do que muitos insistem dizer, o transporte por trilhos é mais seguro, possui custo final menos oneroso para diversos produtos e ainda diversifica e amplia as operações logísticas.

Como acontece esse desenvolvimento?
Principalmente se investindo em corredores estratégicos (até porque as exportações realmente representam uma demanda importante do país), mas também em sistemas regionais de interligação para atender demandas internas de produção e circulação. Isso também vale para as áreas metropolitanas e adjacências. A eficiência dos trilhos na mobilidade intraurbana e inter-regional é inquestionável. Representa eficiência, integração, desenvolvimento e se constitui como um dos instrumentos para dirimir problemas de mobilidade em áreas densamente urbanizadas. 

Quais os maiores desafios para esse aumento da malha?
No Brasil, em especial, há dois paradigmas que precisam ser superados. O primeiro diz respeito à dependência ao rodoviarismo. Uma complexa cadeia produtiva e logística se voltam tanto a esse paradigma a ponto de tornar a economia do país capenga. Além da deseconomia que essa dependência gera, e isso foi evidenciado na greve de caminhoneiros iniciada em maio de 2018, a forma como as rodovias estão organizadas e apropriadas ainda traz desafios importantes a uma integração que atenda, de fato, a circulação e a mobilidade tão necessárias ao desenvolvimento do país.

Mas há outro paradigma que precisa ser superado. Trata-se de uma ideia muito proeminente no país de que ferrovias servem apenas para o transporte de commodities ou para atender as demandas de exportações. Por trás desse paradigma, há uma forte articulação de grupos corporativos que torna o sistema ferroviário nacional bastante seletivo. 

Das estações cheias de vida e de trocas, hoje temos poucos pátios que atendem grupos e demandas muito específicas. Com isso, pode haver crescimento para alguns, mas não desenvolvimento ao país e ao conjunto da sociedade. 

É possível haver desenvolvimento sem repensar a logística?
Se o País quer pautar um desenvolvimento sério e mais distribuído, tem que investir em eixos estratégicos, mas também em uma escala de caminhos (seja rodovias, estradas ou trilhos) bem distribuída. Nossas vicinais, por exemplo, são de péssima qualidade. O produtor rural, por exemplo, para acessar os mercados, conta com vicinais e rodovias que lhe oneram muito. Isso gera prejuízo a alguns e exclusão a outros. Há milhares de produtores impedidos de desenvolver uma determinada atividade econômica justamente por conta das condições de nossas vicinais. Com o transporte caro (e agora será ainda mais inflacionado com alta dos combustíveis), como vamos discutir desenvolvimento local, regional e nacional?

95 respostas para “Por que as ferrovias do Brasil transportam apenas carga?”

  1. Avatar Genesio disse:

    Trem não paga pedágio!

    • Avatar fabio antunes de araujo disse:

      O Brasil precisa tomar vergonha na cara e despertar para o óbvio, reativando terminais extintos como a Bahia e Minas e a Leopoldina, só como exemplos a um custo que não fica um terço do custo de um trecho de asfalto de Vitória a Guarapari que já duram mais de 5 anos e nao
      Está pronto ainda por um custo astronômico.

    • Avatar Moacir Rodrigues de Carvalho disse:

      A viagem de trem é muito mais confortável.
      Algo político está atrás desse não desenvolvimento de transporte de pessoas sobre trilhos.
      É uma pena não termos esse conforto!

      • Empresários de ônibus estão por trás deste desprogresso. Eles fazem com que os trens se torne algo supérfluo. De má qualidade e as pessoas tendem a ir atrás dos transportes rodoviários.

      • Avatar Roberto Pansonato disse:

        Concordo plenamente. Tive oportunidades de viajar pela Europa e pelo Japão de trem e em termos de conforto e eficiência esse modal é imbatível.

      • Avatar Jovier disse:

        É um massacre o que fizeram com as ferrovias. O governo omisso conivente ou não com grandes grupos corporativos retrógrados e parasitas cedeu de início ao lobby da borracha e seus sub produtos, exemplo as multi nacionais, dos pneus e do petróleo e hoje do minério e grãos. Precisamos mais que nunca empresários do quilate de barão de Mauá. Com visão global de um país que só se tornará viável se tiver revolução nas suas estruturas básicas, em especial; ferrovias, hidrovias e aeroportuária.
        Com apenas um comboio de trens quantas carretas tiraremos das estradas quantos passageiros transportar
        iriamos? Teriamos uma vertiginosa diminuição do custo em toda a escala de produção comércio e serviço. E o que dizer das hidrovias? diminuiriam drasticamente o custo Brasil.

    • No Brasil paga! O modelo de privatização adotado por FHC privatizou as setoriais da antiga RFFSA a grupos formados por empresas do agronegócio, bancos de investimento e fundos de pensão, cujo controle era dos primeiros, verdadeiros interessados nas malhas ainda existentes. Se a mercadoria não é grão Pará exportação, na formação do seu preço está o seu custo total para transportar sua mercadoria até o destino (veículo, pessoal, manutenção, combustível e pedágios rodoviários do trecho pretendido) e, na safra te dão um desconto de 10% e na entressafra de 15 a 20%. São considerados os pedágios existentes para chegar ao teu destino!

    • Avatar Luis Alberto Secchin disse:

      Genésio, paga sim e caríssimos. As concessões são valores absurdos e acima de qualquer pedágio de qualquer rodovia do país.
      A questão é que este “pedágio” vem em forma de construções de outras ferrovias e que não geram renda para o lobby rodoviário, então, isso deixa de ser politicamente ($) viável.

  2. Avatar Marco Aurélio disse:

    Gostaria de ainda poder ver as Capitais desse país interligados com ferrovias com trens de alta velocidade. Todas as Capitais ligando a Brasília.

    • Avatar fabio antunes de araujo disse:

      Porque não uma ferrovia do Oiapoque ao Chuí com ramais para o interior ligando o Oeste ao leste? Já pensaram nisso? Esse seria o Brasil do primeiro mundo.

    • Avatar Salomão G. Feitosa disse:

      Isso é o sonho de muitos brasileiros, seria uma alavanca ao turismo interno, geraria milhares de empregos e abriria milhares de estabelecimentos nos ramos de hotelaria e restaurantes. A falta de visão dos detentores das linhas férreas é incrível, eles próprios poderiam explorar o transporte de passageiros.

      • Avatar Mayra F Moraes disse:

        Super concordo….estive em Livorno e de lá pegamos um trem para Pisa…trajeto rápido fácil, super econômico…nao me conformo o Brasil continuar tão atrasado assim…..

  3. Sou totalmente a favor do incremento das ferrovias no Brasil, inclusive no de transporte de passageiros.

  4. Avatar Edson Amaro de Souza disse:

    O pessoal acha que ecologia é preservar o mico leão dourado, um bicho que quase ninguém viu. Ecologia é também discutir um transporte público mais saudável para as pessoas e o meio ambiente. Ferrovias são fundamentais agora pra salvar o planeta.

    • Avatar Walder disse:

      Os contratos de concessão do governo deveriam exigir ao menos um vagão de passageiros , além dos de carga. Como sempre o povo sempre fica de fora dos grandes projetos.

    • Avatar Renato L M disse:

      Trem é vida. Trem é glamour. Trem é interagir com a natureza. Mas trem não dá os lucros que as rodovias dão.
      Como por ex: Os pedágios, combustíveis, multas, etc..
      Mas como aqui no Brasil tudo é atrasado… Não vejo novidades nisso. A malha ferroviária na Europa é sem dúvidas sensacional 👏👏

  5. Avatar Cyro Laurenza disse:

    Excepcional visão de Ítalo Wolff nos trás esperanças de 40 anos de luta para melhor estratégia na Mobilidade Humana descartado pela importância das cargas em detrimento de quem as constrói, exporta e consome!

  6. Avatar ALOIZIO BARROS DE SOUZA disse:

    Matéria fantástica. Como ferroviário vejo com tristeza o que vem acontecendo com nossas ferrovias. O estrago começou no governo de Washington Luís e culminou no governo JK. Parabéns pela belíssima reportagem e que o Brasil acorde para os trilhos.

  7. Avatar Carlos Alberto Sá Pereira disse:

    Temos que dar prioridade aos transportes de grãos, mineração, combustíveis. Transporte de passageiros só depois de implantadas as ferrovias. Povo brasileiro tem transporte rodoviário que serve muito bem.

    • Avatar José do Carmo disse:

      Olá Carlos Alberto! Tenho 69 anos, as ferrovias principalmente de São Paulo eram requintadas no transporte de passageiros em todos sentidos e sua maior concorrente eram os aviões. E daí entrou o FHC “PSDB” e começou a não dar atenção às ferrovias com intuito de sucatear e justificar perante o público as privatizações para carga somente. Lembrando que tínhamos a Braseixos, Cobrasma e até a GE fabricante de Máquinas, etc., etc……

    • Avatar Luis Alberto disse:

      Essa é a visão que leva o nosso país ao buraco! Entenda trens como qualquer sistema de transporte sobre trilhos. Isso é científica, política e economicamente comprovado como absurdamente mais eficiente para transportes, sejam eles quais forem, do que os rodoviários. Em um país continental como o nosso, isso deveria ser regra, principalmente em regiões metropolitanas com a disseminação de metrôs.
      E discordo terminantemente quando se diz que “transporte rodoviário que serve muito bem”. No Brasil? com as estradas sucateadas e pedágios abusivos que temos? com o preço do combustível nos patamares que estão? Serve bem somente àqueles que tem carro de luxo com condições de pagar pedágios e combustíveis nos preços atuais e que trafegam somente por vias de alto padrão.
      Ande pelo país, no interior, no nordeste, capitais como São Luis do Maranhão, ande de carro pela marginal Tietê em horário de pico ou em qualquer outra capital do país e diga novamente se atende bem mesmo.

    • Avatar ELIAS SILVA DE BRITO disse:

      As rodovias brasileiras servem muito mal. Quando não são os caros pedágios do sudeste, são as péssimas condições das estradas no norte e nordeste.

    • Avatar LUIZ FERNANDO MARQUETE disse:

      A reportagem acaba de explicar justamente o oposto…

  8. Avatar DIRCEU FLASMO DE OLIVEIRA disse:

    Sou suspeito de defender o transporte ferroviário de passageiros porque até os finais dos anos 60 era o principal meio para viajar de Curitiba para nossas férias em Corupá/SC, e que prazer isso nos dava .
    Nas viagens de turismo à Europa e EUA via como esses países disponibilizam transporte rápido e confortável de trem e , ao contrário daqui, muito mais cômodo que o rodoviário por ônibus, como comprovamos na viagem rodoviária a Holanda e Belgica.
    A revolução lançada pela China na construção e operação de uma vasta estrutura ferroviária de carga e passageiros, notadamente nos trens de alta velocidade, me leva a sonhar para o nosso País de um futuro igualmente promissor, vindo de líderançss esclarecidas que nos levem à modernidade .

    • Avatar Benôni Schuvartz disse:

      Nasci no 1° Batalhão Ferroviário, meu pai sempre trabalhou nas ferrovias e hoje quando falo do modal ferroviário, ele sempre vem com custos. Lembra que é mais caro que o rodoviário. Conformes dados apresentados nos boletins ferroviário que lê. Procurei na reportagem e nos comentários números que me ajudasse nestas eternas embates entre os modais, mas não achei. Gostaria de saber se tem algum que me auxilie.

  9. Avatar Eduardo William Yazbek disse:

    Dou boas vindas a quem se propõe a discutir transporte ferroviário de pessoas que a meu ver tem todas as vantagens em relação ao rodoviário. É preciso quebrar o lobby que impede o desenvolvimento das ferrovias. O atual abandono do pais pelas montadoras cria um momento propicio ao transporte sobre trilhos. É preciso coragem e vontade politica ($$$$) para isso.

    • Avatar Thiago Bispo De Almeida disse:

      Eu sou a favor do aumento de transporte ferroviário com passageiros.
      Além de ser mais seguro é também mas barato os custos das obras.
      Eu creio que vai ser bom para o turismo também.

    • Avatar Robenilson Tavares Da Silva disse:

      Já está na hora de pensar em outras formas de transporte de passageiros,e o ferroviário e o mais viável. É um transporte mais barato,rápido e que traria desenvolvimento a pequenas cidades. Já imaginaram uma linha cruzando todo nordeste,como seria rápido e barato.

  10. Avatar Nicola lomiler filho disse:

    Viagem de Trem e positivo delicioso e náo pagaPedagio🤗🤣💕adoraria se o governo Federal trabalha e neste Projeto🤗🤣💕 o faça BOUSSONARO será Ótimo🤗🤣 Nicola de Assis.sp

  11. Avatar Bernard Daedger McDuart disse:

    O lobe implacável no meio político liderado por montadoras de caminhões e ônibus e os empresários do setor do transporte de cargas e de passageiros fizeram de tudo para destruir a nossa malha ferroviária, hoje somos quase totalmente dependentes de um único modal, mais caro, mais poluente, e com maior número de acidentes, triste mas agora somos reféns de única classe.

  12. Avatar Paulo Lemos disse:

    Morei na Italia, em Milão, e, sei muito bem como é fundamental ter um sistema de transporte integrado onde, incrivelmente, a funcionalidade e dinâmica do sistema de transporte me deixou surpreso. Ali ônibus, trens, metrôs e até bicicletas fornecidas pelo setor público convivem em harmonia a tal ponto, tornando-se desnecessário o uso de veículos particulares.
    Por outro lado, o sistema de transporte ferroviario nacional e internacional é bastante utilizado. Realmente, o sistema ferroviário tanto para cargas como para o transporte de pessoas em toda a Europa é uma realidade que se atualiza a cada dia e está anos-luzo distante de nós…uma pena…Isso é desenvolvimento, é cultura, é suporte para países inteligentes e preocupados com a economia e o social.

  13. Avatar Ubiratan disse:

    Há 18 anos eu ouvi de um hoje ex funcionário da Ferroban, hoje Rumo Logística, que:
    “CARGA NÃO RECLAMA! Não reclama de atraso, de falta conforto, das condições das vias e vagões” Se você andar por muitos trechos, verá que linhas, máquinas e equipamentos em péssimas condições. A estações então nem se fala, muitas foram completamente abandonadas ou destruídas.

  14. Avatar MAURICIO LUCIDIO DE AVELLAR COUTINHO disse:

    Em 2018 viajei para a Alemanha. De Munique viajei para várias cidades. Todo o deslocamento entre estas cidades foi feito por trem. Fui a Salzburg na Áustria. Grafing, Lago Chiemsee, Garmisch, Schwabisch Hall, Rothenburg ob der Tauber, Ebersberg dentre outros locais.
    Mas concordo que primeiro temos que estimular o transporte de carga pesada para depois termos condições de explorar o transporte de passageiros. Afinal de contas o investimento é alto e temos que pagar com aquilo que trás retorno financeiro para o Brasil.

  15. Avatar André Luiz Rodrigues Teixeira disse:

    Com a máfia instituída nas concessões de rodovias vai ser muito difícil a ampliação das ferrovias.
    Serão preciso anos e anos para desmontar o esquema.

  16. Avatar Hildiceia disse:

    Encantados com carros!. Não queremos nós misturar porque o Brasil tem diversidade de gente ,inclusive muito muito pobres! Uma bagunça! Mas seria ótima solução pro povo.pro planeta!

  17. Avatar Geraldo Arruda disse:

    Tem que construir ferrovias para transportes de passageiros sim t que restaurar sim tem que implantar o trem de alta velocidade sim nesta porta deste pais , esta merda deste pais não faz nada de Bom para o Povo .

  18. Avatar Alexander Ferreira de Castro disse:

    Não vi mensão no texto ao processo de privatização das ferrovias, não vou entrar aqui no mérito de ser a favor ou contra privatização, mas o fato é que o processo foi mal elaborado, tínhamos sim, no Brasil, transporte de passageiros, Moro na região metropolitana de BH, e daqui partiam trem para São Paulo e Rio de Janeiro se não me engana, algo relatado por meus pais, sogro e sogra, pessoas já vívidas, além da sobrevivente, mas que foi descontinuada durante um tempo também a Vitória-Minas( que é um sucesso diga se de passagem), e os trens Maria fumaça para turismo. As adquirintes simplesmente abandonaram um monte de ferrovias, pegaram só a que interessaram a elas. Talvez adaptações seriam suficientes, agora teremos que partir quase do zero. Parabéns pela reportagem, sou um apaixonado por trem, e defensor desse modal de transporte.

  19. Avatar Paulo Torres disse:

    O Brasil estava próximo do Império Britânico, cujas empresas vieram implantar ferrovias, como faziam na Índia e na China. A indústria automobilística porém somou-se ao autoritarismo político e as ferrovias com projetos de dimensão estratégica e seus ferroviários organizados em fortes sindicatos perderam espaço. Do que os ingleses trouxeram na passagem do século passado ficamos com o futebol praticado pelos ingleses com brasileiros nos canteiros de obras, através dos “Operários Ferroviários” que hoje ainda figuram no futebol brasileiro. Já as ferrovias estratégicas ao país perderam espaço para estradas asfaltadas táticas, inauguráveis rapidamente em eleições e suas respectivas emendas orcamentárias, mesmo que de tapa-buracos…

  20. Avatar Alberto disse:

    Infelizmente, tivemos um JK que priorizou a construção de uma capital em detrimento a modernização do País como um todo, notadamente da estrada de ferro que já existia, apenas esperava que fosse modernizada, ao invés disso estatizou, decretando assim a sua falência, que foi completada no período militar.

  21. Avatar Geraldo Campos Campos disse:

    Fico muito triste em ver comentário contrário a transporte ferroviário trem e a solução.

  22. Avatar Elias José Amorim disse:

    Eu nasci andando em trasporte sob trilhos e de fôrma são seguro barato ecológico e econômico e rápido olha Pará vale só dá lucro para todos o presidente está certo

  23. Avatar Lucil Corsini disse:

    Bela reportagem.
    Parabéns aos envolvidos.

    Temos que colocar o Brasil nos trilhos, em todos os sentidos, visto que estamos caminhando acelerado para o abismo econômico, social e político.

    Para voltarmos aos trilhos é fácil, pois a infraestrutura (antigas linhas ferroviárias) está pronta é só reformar.

  24. Avatar Paulo disse:

    Ferrovia não gera tributo, ou gera muito pouco. Então, não há interesse governamental no planejamento e incremento desse modal.

  25. Avatar Jair Paiva disse:

    Importante reportagem! Parabéns!!
    Acredito que o principal motivo de não termos trilhos ligando o Brasil está citado: lobby das montadoras que financiaram JK. Além disso, é bom lembrar: no pós guerra, estavam abarrotados de ferro, borracha etc.
    Acrescente a isso nossa elite política vendida e não patriótica, sem planejamento etc.. uma pena.
    Todos os países continentais, como Rússia, China, índia e EUA têm um transporte ferroviário forte!

  26. Avatar Zenaide disse:

    Fazia parte da estratégia dos governos militares (1964/1985) acabar com a malha ferroviária, pois com ela em funcionamento “o País poderia ser paralisado por greves dos comunistas”. Afinal, os sindicatos dos ferroviários, naquela época, mostravam-se poderosos no mundo todo. JK já tinha optado pelo desenvolvimento da indústria automobilística, com a instalação dessa indústria no País.
    Portanto, aos militares coube continuar com essa política, transferindo o transporte de carga para o setor rodoviário. Fazia parte da nefasta política de Segurança Nacional.

  27. Avatar Jander disse:

    Quando se fala que existe uma elite do atraso por trás da ineficiência nacional, o exemplo do que acontece com o transporte ferroviário ilustra perfeitamente isto. Um lobby de corporações se apropriaram da malha ferroviária para aumentar seus lucros em prejuízos enormes para o restante da nação como um todo. Até quando vamos assistir este e outros insultos a soberania do povo brasileiro?

  28. Avatar Celco de Souza disse:

    Eu sempre defendi que o Brasil precisa de dois eixos ferroviários, um que ligasse leste-oeste e outro norte-sul, cruzando um com o outro de forma que não se houvesse distância maior que 3000km, de transporte para acessar uma ferrovia em qualquer parte do País .Aumentando a eficiência no suprimento de qualquer produto de e para qualquer região do País. Isto é sonhar demais?

  29. Avatar Luís disse:

    Olá , na minha opinião a maior burrice , foi ter acabado ou quase , com os trens de passageiros

  30. Avatar danielle sampaio disse:

    Tudo mentira apenas um motivo é real ferrovia não cobram pedágio apenas por isso

  31. Avatar ivan santos tonete disse:

    Lamentável,ao invés de modernizar destruíram nossas ferrovias. É sempre assim que acontece neste país quando há algo para beneficiar de verdade existe o povo brasileiro.Depois vem cidadão com esses discurso falidos. Coitado do povão não fazem nada em seu benefício.

  32. Avatar Edalmo disse:

    Só iremos ver esse país maravilhosa crescer quando os políticos esquecerem de olhar para o próprio bolso, lamentável.

  33. Avatar Helton disse:

    A única ferrovia com transporte de passageiros que conheço em nosso país é a Vitória/Minas que liga a Belo Horizonte a Vitória. Lamentável…

  34. Avatar MOZART FERNANDO VIEIRA ROSA disse:

    Sou totalmente contrario a interpretação do autor sobre os problemas ferroviários, bem como de todo o texto em si. Minha opinião é avalizada por algo não citado em nenhum momento que são os balanços das empresas principalmente da RFFSA o que explica muita coisa. Gostaria de um direito de resposta.

  35. Avatar José Eustáquio queiroz disse:

    Passo por uma estação
    Por outra
    E mais outra.
    Passa o trem
    Que não passou por minha terra
    Que não passou por minha vida
    Que pena
    Tantas estações esquecidas
    De um trem que se foi com o tempo.
    Que pena. Se esse trem tivesse passado por minha infância,
    Eu teria um vagão de lembrancas. Taquinho

  36. Avatar Cláudio Gomes disse:

    País subdesenvolvido, aproveita pouco de ferrovias e transporte marítimo.
    Governantes de cabeça oca.

    • Avatar Paulo Soares disse:

      De cabeça oca, mas bolsos cheios! Vários políticos são oriundos de empresas rodoviárias.

    • Avatar Elbio Pellenz disse:

      A cabeça é oca , mas os bolsos individuais e corporativos são recheados.
      Não adianta querer discutir o plano logístico do pais sem antes sabermos que país queremos para nós e nossos filhos. Por exemplo, podemos ter trens maravilhosos, surpreendentes e de vertiginosa implantação como a recente malha chinesa. Para conseguir isso tiveram que escolher um governo forte e centralizado. Agora eles têm os trens. Será que podem usá-los do jeito que quiserem ?
      Liberdade, liberdade.
      Os trens que haviam por aqui (antes da década de 70, ou antes de Getúlio se quiserem), serviam preferencialmente às oligarquias (carga/café e passageiros), mas todos eles foram pagos pelo conjunto da população, isto é, o governo, em benefício de parcelas selecionadas da população.
      O modelo se mantem. Todos falam nos benefícios do modal ferroviário, mas todos esperam que o governo (i. é, todos os os pagadores de impostos, diretos e indiretos) banque os investimentos fixos (construir a VP, as estações, os sistemas etc).
      O transporte ferroviário de alta velocidade da CEE é tão caro quanto o transporte aéreo e só funciona porque os governos subsidiam.
      Quando tem subsídio quer dizer que os mais fracos estão pagando o bem estar dos usuários.
      A Europa só consegue pagar isso porque, ainda hoje (mas está acabando), se beneficia do período do mercantilismo colonial.
      O sonho, bem como o choro, ainda são livres por aqui. Benditos.

  37. Avatar Marco Antônio Muniz disse:

    Infelizmente, um país que nem preserva o seu riquíssimo patrimônio ferroviário, como esperar q invista em transporte ferroviário de passageiros.

  38. Avatar Jane Beatriz Azambuja Schossler de Sa disse:

    Seria maravilhoso viajar de trem pelo Brasil !

  39. Avatar Salomão G. Feitosa disse:

    Lembro-me que, em uma prova de vestibular que fiz em 1979, havia uma pergunta referente ao tema. Era essa: “Qual a causa da falta de transporte ferroviário no Brasil?
    Lembro de duas entre as 4 ou 5 opções de resposta.

    ( ) O relevo do território brasileiro com montanhas e serras não permite o desenvolvimento do transporte ferroviário.
    ( ) Falta de vontade política.

    Olhem o cinismo da pergunta e opção de resposta. Naquela época, isso a 42 anos, já tinham ciência de que faltava coragem e interesse político para incentivar o desenvolvimento ferroviário.

    O transporte de passageiros através de trens é o sonho de muitos brasileiros, pena que hoje aos 63 anos dificilmente verei isso acontecer nesse país com tantas belezas naturais, tanto potencial para o turismo interno, e com grandes possibilidades de surgimento de novas cidades ao longo das linhas férreas, desafogando dessa forma as grandes metrópoles, gerando empregos, hotelaria e restaurantes, e outros que seriam essências para a integração do todo.

  40. Avatar Francisco disse:

    Porque foram privatizados e como carregar carga para fora é muito mais vantajoso financeiramente não há interesse em transportar passageiros. As ferrovias são particulares, os lucros se sobressaem a causa social da mobilidade no país!!! O Brasil tem dono(ou donos).

    • Avatar Renato L M disse:

      Trem é vida. Trem é glamour. Trem é interagir com a natureza. Mas trem não dá os lucros que as rodovias dão.
      Como por ex: Os pedágios, combustíveis, multas, etc..
      Mas como aqui no Brasil tudo é atrasado… Não vejo novidades nisso. A malha ferroviária na Europa é sem dúvidas sensacional 👏👏

  41. Avatar OSMAR CELIO DERETTI disse:

    Resido em Londres UK, e vejo como é importante o transporte ferroviário para a população em Geral, pena que temos um Congresso, que não trabalha para o bem da População.
    Mataram o sonho de Barão de Mauá no Berço, hoje pena os co um transporte rodoviário sofrido, para tudo.
    Sonho .dia através meu BRASIL de trem em alta velocidade.
    Quem viver verá?

  42. Avatar DORIVAL MORALES RUIZ FILHO disse:

    Boa tarde,
    Eu tenho uma tese do porquê as ferrovias não transportam pessoas. Por causa do lobby gigantesco que existe no Brasil. As montadoras de automóveis e caminhões, além de fabricantes de pneus, autopeças e toda a cadeia produtiva que cerca o transporte rodoviário.
    Simples assim!
    Viva o clientelismo!!

  43. Avatar Jack disse:

    Outro que depredou as linhas férreas foi FHC, deu o maior prejuízo a RFFSA. As linhas aéreas não querem concorrência. O trem de aço Rio São Paulo, foi destruído na maior covardia por Dilma Rousseff. Enfim deve rolar muito arrêgo para que os trens sejam abandonados. Ainda tem muito trilho por aí. Brasil corrupto.

  44. Avatar Marcio Afonso de Vasconcelos disse:

    Perfeito sua colocaçso, somos muito dependentes das rodovias ruins e pedsgeadas caras. Voce esta perfeiro em toda sua pesquisa e penso da mesma forma sobre a logistica ideal para um pais com essas dimensoes e qto rmprego e novad oportunidades regionIais de novos negocios em todad as estaçoescque tem muita ociosidade no cotidiano do transporete de cargas. O Msg levv seria a solução ideal e ecologicamente correta e perxeita para levar as pessoas em um nivel de qualidade, baixissimo ruido e altas celocidades reduzindo drasticamente o tempo de deslocamento das pessoas.

  45. Precisamos entender como funciona as coisas para ter uma ideia do sistema atual tudo está dominado pelo capital (grandes companhias) Monsanto,CSN,grandes mineradoras eles tem domínio sob os políticos manobram o dinheiro do governo compram as estatais a 100 anos e bom entender que esse patrimônio e do povo que não tem ação sob decisões nos outros países Suissa,alemanha,etc o povo faz parte do governo não adianta achar argumentos

  46. Avatar Célio Henrique disse:

    Gostaria de chamar atenção pelo transporte de passageiros que o Brasil tem nas suas capitaise entornos. O desmonte do trasnporte de PASSAGEIROS , que aconteceu anos 80/90. Sem dúvida nenhuma afetou toda a classe trabalhadora. O transporte sobre trilhos é a alternativa para diminuir os grandes congestionamentos e os níveis altíssimos de acidentes nas grandes cidades.

  47. Avatar Gabriel Sardella disse:

    Nossa pais e vendido por nós brasileiros quê tem que trabalhar dia a dia e não temos tempo para nós mesmos enfrentar o cistema corrupto nojento e imortal.

  48. Avatar Marcos Murilo disse:

    É uma pena que desmontaram o sistema ferroviária de passageiros. Eu mesmo na década de 70 viajei muito nos trens de passageiros no Brasil, confesso que era mais luxuosos que os transportes atuais e muito mais eficientes que os rodoviários.

  49. Avatar Eder disse:

    Seria de suma importância o transporte sobre trilho. É muito ruim, pessoas com câncer fazer horas de viagem pra buscar tratamento em outras cidades e estados de ônibus. Sem falar outras doenças. Já passou da hora de voltar o transporte de pessoas sobre trilhos no Brasil.
    Fico sonhando ao invés de ir do sul do Rio pra capital, pela linha vermelha, amarela, avenida Brasil, aquele caos, rapidamente estaríamos na capital sobre trilhos

  50. Avatar Rogério Jáddison Monteiro disse:

    Falta vontade dos políticos, pois às rodovias recebem mais recursos do governo e sempre estão precisando de recursos, a malha ferroviária não requer tanta manutenção e não há interesse desses políticos que são contra o desenvolvimento do país.

  51. Avatar Osmar Barra disse:

    Investir em Ferrovias é mais importante o transporte para a Economia, para todos veja quantos vagões transportam em relação aos caminhões ou carretas.
    Um caminhão transporta 03 carroceiras. Um trem em torno de 30 vagões.

  52. Sempre falei da perda que tivemos com a estagnação do transporte ferroviário. Tínhamos uma malha grande, por regiões inosptas do Norte centro e oeste brasileiro. Abandonaram tudo, por quer por vontade política.
    Concordo com todas respostas acima. Tenho comigo que amém do desenvolvimento do turismo, o custo iria impucionar o mercado, baratear custos de produção e ajudar no desenvolvimento nacional.

  53. Avatar Kako O Sapo disse:

    É porque não existe o lobby ou a bancada do trem…apartir do momento que o o trem for interesse 💸 político você vai ver uma enorme corrida por ferrovias….mas porque fazer isso….e perder a boquinha das gigantes da logística que patrocina as campanhas? Ou das gigantes aéreas que fazem o que quer e a Anac bate palmas…acordem essa é a terra do esperto do lobista…as coisas só acontece se houver interesse…💸💸💸 Político

  54. Avatar Mônica Aviani disse:

    O sucateamento da malha ferroviária, o distanciamento da própria beleza e bem estar/saúde, a decentralizacao da mobilidade, o apagar da memória histórica…
    A falta de atitude política em favor do que realmente é melhor para o povo, e não para o que os governantes querem, mais uma vez é profundamente lamentável.

  55. Avatar Gilton disse:

    A reportagem omite a questão da sustentação financeira do próprio sistema ferroviário para transporte de passageiros. Diferentemente da Europa, Japão, China e India, o Brasil não possui a densidade demografica necessária para que esse modal seja viável a nível nacional. Talvez em algumas áreas do Centro-Sul do país seja viável, mas o custo de muitas desapropriações torna o investimento muito grande.

  56. Avatar Cláudio disse:

    Incompetência.
    O atual governo, pelo que os fatos históricos indicam é o único em décadas a criar movimentação de evolução na malha ferroviária.

    Barão de Mauá, foi caçado, destruído por forças que existem até hoje para manutenção de um Basil colônia.

    Há necessidade de educação básica ser um fator de investimento como único caminho para desenvolvimento nacional em todos o seguimentos entre eles logística, infraestrutura do transporte ferroviário progredir

  57. Avatar Werner Schumachet disse:

    Sempre ia de Porto Alegre a Uruguaiana de trem, primeiro com o Minuano e depois com o trem Húngaro, ambos tinham vagão restaurante. Tudo virou sucata. Aliás a capital gaúcha cometeu o erro de acabar com o bonde, agora criam corredores para ônibus a passo de tartaruga, como eram os percursos dos bondes antigamente. Infelizmente, o nosso país só os interé$$e$ predominam, pois quem manda no país é o $ENTRÃO,

  58. Avatar Werner Schumacher disse:

    Outro absurdo nesse país é o transporte fluvial e mesmo marítimo entre estados costeiros, sem cabimento isso tudo

  59. O trasporte ferroviário é a tendência no mundo todo menos no Brasil ,devido ao monopólio rodoviário que impede o aumento deste segmento ferroviário mas vai ter que acontecer embora mais tarde ,para continuarmos sendo pais subdesenvolvidos.

  60. Avatar Peterson disse:

    O governo prefere aumentar pedágios,combustível..etc.
    As montadoras investem cada vez em carros confortáveis, agora a era dos elétricos.
    A FALTA, desse tipo de transporte ferroviário, é bom para Petrobrás, pois o povo reclama dos preços, mas acaba lotando a cada feriado as praias, lugares do interior com seus carros independente do valor do combustível.
    Eu vejo, que ajudaria em questão de trabalho, você poderia trabalhar em uma empresa, em outra cidade.
    Agora a questão do turismo, acho que o povo só ficaria no começo empolgado, o povo logo ia deixar de lado.

  61. Avatar Vilmar José Silveira de Lima disse:

    Porque houve uma opção política pela rodovia em combinação com a implantação da indústria automobilística. Além disso o trem foi usado politicamente em mobilizações políticas, influenciando tomadas de decisões que comprometeram sua preferência. O Brasil acreditou que poderia alavancar seu desenvolvimento utilizando caminhões que ofereciam uma resposta mais imediata.

  62. Avatar Eduardo disse:

    Os grandes problemas para as ferrovias fracassarem no Brasil para transporte de pessoas, foram JK e a indústria automobilística. O trem para transporte de passageiros é usado no mundo todo, menos no Brasil. Uma vergonha!

  63. Avatar Marcelo Xavier disse:

    Penso que parte da ausência de malhas ferroviárias pelo pais se deve a uma intencional desinteresse do capital financeiro externo em viabilizar o crescimento economico do Brasil, e em anular o enorme potencial que temos, e em manter nossa eterna dependência econômica. Não interessa ao mundo um Brasil competitivo.

  64. Avatar Agenor Alves Filho disse:

    Hoje no Brasil à VALE tem dado atenção no que diz respeito à trem de passagero

  65. Avatar SERGIO NATAL disse:

    As ferrovias brasileiras foram sucateadas de propósito, tanto no aspecto material quanto de recursos humanos para serem vendidas a preço vil, infelizmente não há interesse e engajamento político visando a retomada da malha ferroviária nacional

  66. Avatar Marcelo disse:

    Infelizmente desenvolvimento está intimamente ligado a custo operacional. Um km rodado em rodovia ultrapassa em dez vezes o custo por rodovia, sem contar a demora em congestionamento e custos com acidentes e o número de mortes que é maior que qualquer guerra (60mil por ano). A ganância de alguns sobressai ao interesse de milhões. Como bem comentado anteriormente, o Brasil tem dono, e por isso todas as capitais têm um escritório do consulado Americano pra manter sob forte vigilância da Cia toda e qualquer tentativa de desenvolvimento brasileiro. Vide no que virou o pré sal e o desmonte da Petrobras com quase 65% dos ativos vendidos em dois anos. A Embraer só e nossa porque os gringos devolveram.

  67. Avatar Carlos Alberto disse:

    Basta ver quem são os donos das empresas de ônibus. Os donos de empresas de ônibus gastam milhões para comprar políticos. A prova cabal está no RJ, onde o tal do Barata manda em todos os políticos. Nenhum governador do RJ teve coragem de enfrentar a máfia dos donos de empresas. O RJ tem apenas três linhas de metrô e 4 de trens q já existem a mais de 70 anos. Nunca criaram um km sequer de ferrovia. Muito pelo contrário, acabaram com os trens para campos, são Paulo e para Sepetiba.

  68. Infelizmente o egoísmo do empresariado brasileiro predomina impedindo o desenvolvimento sustentável do país. Aqui, no Rio a via férrea da Leopoldina começou a ser dilapidada na gestão Cabral. Lembro q fiz com minha mãe e irmãos uma viagem onde fomos até Macaé antes de chegar ao nosso destino. Hj é impossível visto todas as tentativas foram impedidas pelo corporativismo cruel e de nossos péssimos políticos.

  69. Avatar José Mauro de Oliveira Batalha disse:

    Lá vem o trem. E todo mundo para pra ver. E dentro do trem a vida vai passando. Fica o sonho do retorno deste tempo, e hoje com mais recursos eficiência. Brasil ouve o apito, acorda a Tempo e deixa o trem passar.

  70. Avatar Jose Lucio Mattedi disse:

    No Brasil, para compensar, em termos de transporte de passageiros, e lucro iniciar com o triângulo RJ, SP e BH

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.