Líderes apostam na força do PMDB e no preparo de Daniel Vilela

Bancar a candidatura do jovem deputado federal ao governo é melhor que apoiar o senador Ronaldo Caiado, do DEM, dizem deputados e prefeitos peemedebistas

Deputado federal Daniel Vilela: o nome do PMDB para a disputa ao governo em 2018 pelos peemedebistas, mas não é unanimidade entre os orreligionários

O PMDB goiano tem a melhor estrutura partidária no Estado, implantado em praticamente todos os 246 municípios. Essa estrutura reforça a tese que a ampla maioria dos peemedebistas defende, de que o partido não pode prescindir de disputar a sucessão estadual com nome próprio, como sempre fez desde a redemocratização.

Em que pese isso, o PMDB está dividido entre as pré-candidaturas de seu presidente regional, o deputado federal Daniel Vilela, e a do senador democrata Ronaldo Caiado. A atração que Caiado exerce sobre esses peemedebistas está centrada, sem sombra de dúvida, na liderança que o senador desfruta nas pesquisas de intenção de votos.

Efetivamente, Ronaldo Caiado tem liderado as pesquisas. Mas o que se esquece é que liderar pesquisas com tamanha antecedência da eleição nem sempre, ou quase nunca, é garantia de vitória. Em recente reportagem no Jornal Opção, experientes profissionais do marketing político deram depoimentos nesse sentido.

Antônio Lorenzo, da Serpes, disse que levantamento de intenção de votos com tal antecipação do pleito não está medindo nada no sentido do que vai acontecer daqui a dez meses: “Mede mais o conhecimento, o que a mídia está repercutindo, e não a decisão por um nome”.

O jornalista Gean Carvalho, que trabalha com pesquisas há muitos anos, lembrou que o histórico de eleições, principalmente para governador, é de viradas. De 1986 para cá, todas foram viradas, quem começou na frente perdeu, incluindo as reversões de Marconi, que estava atrás em 1998, em 2002, em 2010 e em 2014.

“Fora a eleição de Iris contra Paulo Roberto Cunha em 1990, todas foram viradas, sem exceção: Santillo sobre Mauro Borges, Maguito sobre Ronaldo Caiado, Marconi sobre Iris duas vezes e sobre Maguito, Alcides Rodrigues sobre Maguito. E não só em Goiás, viradas são constantes no Brasil afora”, lembrou Gean.

Mas os peemedebistas adeptos do senador Ronaldo Caiado — como os prefeitos Adib Elias, de Catalão, Ernesto Roller, de Formosa, Paulo do Vale, de Rio Verde, e Iris Rezende, de Goiânia, entre outros menos representativos — se deixam levar pelo atrativo da liderança nas pesquisas por parte do democrata. E vão além, contradizendo a tese de que o PMDB “tem de ter a cabeça de chapa”, mesmo com estrutura infinitamente superior à do DEM.

Segundo esses líderes, ter a cabeça de chapa não adiantou nada ao partido nas últimas cinco eleições, em que o PMDB perdeu o pleito para o tucano Marconi Perillo. Foram quatro eleições em Marconi disputou diretamente com o PMDB: em 1998, o partido perdeu com Iris Rezende; em 2002, perdeu com Maguito Vilela; e em 2010 e 2014, perdeu novamente com Iris Rezende. No pleito de 2006, o PMDB perdeu com Maguito outra vez, desta vez enfrentando Alcides Rodrigues, que venceu apoiado por Marconi.

Muitos peemedebistas dizem que uma das razões para as cinco derrotas consecutivas foi justamente ter disputado com apenas dois nomes, Iris e Maguito. Chegou a hora, portanto, de renovar. É aí que entra Daniel Vilela. Embora jovem (34 anos), é experiente. Em 2008, foi eleito vereador por Goiânia, com 8.380 votos. Na eleição de 2010 concorreu ao cargo de deputado estadual e teve 37.382 votos, um dos dez candidatos mais bem votados. Em 2014 foi eleito deputado federal, com mais de 179 mil votos, sendo o segundo mais votado de Goiás. 

Marchar com Ronaldo Caiado é continuar na política da não renovação. Além de ser de uma corrente política centenária, os Caiados, representantes de uma prática política que ficou no passado, o senador não tem nada de renovação. Para se ter uma ideia, ele foi candidato à Presidência da República em 1989, e candidato a governador de Goiás em 1994.

Por essas razões —a estrutura do PMDB, as qualidades pessoais de Daniel Vilela e a continuidade política que Caiado representa—, muitas lideranças peemedebistas importantes defendem que o partido tenha candidatura própria e que o candidato seja o jovem deputado federal.

Deputados e prefeitos querem Daniel Vilela em vez de Ronaldo Caiado

Deputado estadual Wagner Siqueira

Foto: Assembleia Legislativa

Temos de começar avaliando os outros pré-candidatos. Há o senador Ronaldo Caiado, que foi eleito com a ajuda do PMDB, e é conhecido por todos os goianos, o que está mensurado em pesquisas, e mesmo com esse alto conhecimento tem cerca de 45% das intenções de votos. Já o nosso pré-candidato, deputado Daniel Vilela, é conhecido por menos de 40% da população, mas cresceu quase 400% nas pesquisas em 2017. É o que mais cresceu e representa a mudança. Daniel tem origem política forte, com os Vilelas, de Jataí, é um jovem preparado, que fez um bom trabalho onde esteve. Como deputado federal é um dos mais influentes.

O pré-candidato do governo, o vice-governador José Eliton, está em campanha há dois anos com esse Goiás na Frente, apresentando-se no interior, despachando com os prefeitos, e mesmo assim não teve o crescimento que Daniel Vilela teve.

Outro fator positivo para Daniel é que neste ano ele se consolidou no próprio PMDB. No primeiro semestre do ano, havia muita dúvida se ele iria até o final como pré-candidato, quem seria o nome, mas depois, principalmente com o recente encontro do partido, a posição dele se consolidou. O PMDB está unido em torno do nome de Daniel Vilela, que tem mais de 95% dos prefeitos e dos vereadores do partido. Daniel ganhou musculatura no PMDB e isso reflete também nos outros partidos que querem aliança, que agora têm confiança de conversar com ele. Antes os partidos tinham dúvida, “o PMDB vai com você ou vai com Caiado?”

Agora, com a pacificação em torno do nome dele, Daniel tem mais condições de buscar as alianças e tem feito isso muito bem. Nós temos o espaço para lançar a chapa majoritária, com a vice e as duas vagas pro Senado. A possibilidade de Daniel Vilela se tornar governador no ano que vem é muito grande, eu estou muito confiante. A expectativa no PMDB é essa e contamos que o senador Ronaldo Caiado vai nos ajudar, pois é um quadro muito interessante para fazer uma composição que nos permita mudar o quadro político do Estado.

Prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha 

Gustavo Mendanha | Foto: Fernando Leite

O PMDB é grande, é forte em Goiás por ter disputado todas as eleições para o governo. Ganhando ou perdendo a eleição, a chama do partido continua acesa. É importante para o PMDB ter um candidato. O primeiro ponto que defendo é esse: o PMDB ter candidato próprio.

O segundo ponto é que Daniel Vilela tem todas as qualificações, todos os predicados que a população está ansiando de um governante. Ele é jovem, é inovador, tem capacidade, preparou-se para ser governador e não tenho dúvida de que, vencendo as eleições, ele vai promover uma revolução no Estado de Goiás.   

Sobre as pesquisas, a marca do PMDB é tão forte que o deputado Daniel Vilela aparece bem colocado, mesmo não sendo tão conhecido do eleitorado. Aliás, como foi o meu caso na eleição para prefeito. Nesse momento, quando eu não tinha sido escolhido, eu tinha 0,9%, quando fui apresentado, estava com 3%, nem tinha dois dígitos. Daniel já está com 15%, mesmo desconhecido pela grande população goiana. Ele já está em segundo lugar. O primeiro lugar, Ronaldo Caiado, é conhecido de todos. Então Daniel tem um potencial de crescimento muito grande. Depende muito mais da articulação do partido, que tem as grandes prefeituras de Goiás, grandes líderes que vão se engajar, vereadores e prefeitos, e isso vai massificar o nome de Daniel Vilela. Não tenha dúvida de que ele disputará à altura e em condições de ganhar a eleição para o governo de Goiás.

Deputado federal Pedro Chaves

Pedro Chaves | Foto: Renan Accioly

Defendo o nome de Daniel Vilela como candidato do PMDB por conhecê-lo há muitos anos. E nestes três anos que ele está em Brasília, em primeiro mandato, apesar do pouco tempo ele tem mostrado muita maturidade e ocupou espaços importantíssimos na Câmara Federal, como a presidência da comissão especial que analisou a reforma trabalhista, e relatou outras matérias importantes. Em três anos ele ocupou espaço que muitos demoram três ou quatro mandatos para conseguir. Daniel é referência na Câmara em várias ações tanto no parlamento quanto no PMDB. Ele cresceu muito rapidamente m Brasília. Daniel é novo, mas muito preparado e experiente, com uma bagagem política muito significativa. E para nós goianos, ele é a renovação do PMDB, pronto para ser candidato. E tem trabalhado para isso, realizando encontros pelo interior, e a cada encontro se fortalece mais dentro do PMDB. Muitos líderes que tinham dúvida, após esses encontros saem defendendo nome dele. Daniel é o nosso candidato, sem dúvida nenhuma.

Prefeito de Quirinópolis, Gilmar Alves

Divulgação

O PMDB vai ter candidato, não tenho dúvida. O PMDB de Goiás nunca deixou de ter candidato para governador e não vai ser agora que isso vai acontecer. Nós apoiamos Ronaldo Caiado para senador, em 2014, mas para a eleição ao governo em 2018 nós temos pré-candidato, que é o deputado Daniel Vilela. É um político jovem, articulado politicamente, uma pessoa tranquila, que está trabalhando bem como deputado federal. Ele é o candidato do partido para disputar o governo.

E não digo isso com soberba, porque nenhum partido é tão forte que possa dispensar alianças, e o PMDB de Goiás também não pode. Mas temos estrutura, militância, comandamos as maiores prefeituras do Estado, como Goiânia, Aparecida, Rio Verde, entre outras. Nosso partido tem estrutura e musculatura para uma eleição majoritária e Daniel Vilela é a renovação que a política goiana precisa.

Deputado estadual Paulo Cezar Martins 

Foto: Alego

Em primeiro lugar, o PMDB tem 5 deputados estaduais, 40 prefeitos, quase 800 vereadores, 50 diretórios provisórios, no restante do Estado tem diretórios formatados. Temos militância, história, um quadro de cerca de 60% do colégio eleitoral goiano nas prefeituras que o partido comanda. Diante disso eu pergunto: por que o PMDB vai deixar de ter candidato próprio ao governo estadual?

Em segundo lugar, temos um candidato jovem que foi vereador, deputado estadual, é deputado federal e criou uma liderança grande em Brasília. Então, não temos como não ter essa candidatura própria. Se há líderes peemedebista que não veem isso, então eles estão cegos.

Daniel Vilela tem todas as condições para disputar a eleição e chegar bem. Ele tem juventude, mas é experiente, e tem conteúdo. Temos respeito pelo senador Caiado, mas Daniel Vilela é o único que tem condições de chegar com competitividade ao final da eleição, porque ele oxigena a política goiana. O PMDB está estruturado e tem um nome a altura para disputar a eleição. Daniel é a renovação que o povo goiano quer.  Daniel é melhor candidato até mesmo que seu pai, Maguito Vilela, que nunca teve muita paciência para ouvir. Daniel tem essa paciência e é o melhor nome para o PMDB, sem dúvida.

Ex-prefeito de Jataí Humberto Machado 

Arquivo

Daniel é um político jovem, simpático, e que inspira modernidade. É preparado, tem pós-graduação em Administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), está supercapacitado para governar o Estado e fazer mudanças radicais, tirar Goiás de uma mesmice. Eu participo do grupo de elaboração do plano de governo dele e vejo Daniel disposto a fazer transformações enormes na estrutura administrativa do Estado, no tocante ao endividamento e na implementação de ações que elevem a qualidade de vida do povo goiano. Daniel é dinâmico, jovem, representa a modernidade e o futuro, ele está preparado para isso e está fazendo um plano de governo inovador.

Em relação às pesquisas, importante observar que Daniel Vilela teve um crescimento muito grande, saindo do zero ou de um porcentual insignificante e hoje sua candidatura já é discutido no Estado. Há seis meses, sua candidatura era incerta, mas hoje ela é discutida como viável. Com mais seis meses, até as convenções, a candidatura de Daniel estará consolidada, tranquilamente. Acredito piamente que ele vai crescer e chegará com chances de vitória. Daniel tem potencial muito grande de crescimento nas pesquisas, principalmente quando suas ideias começarem a chegar aos goianos, e ele vai começar a divulgar isso no primeiro semestre de 2018. A candidatura de Daniel Vilela é um projeto viável e o PMDB estará unido com ele.

Prefeito de Buriti Alegre, André Chaves

Reprodução/YouTube

Daniel mostrou competência, eficiência e dinamismo como deputado federal já em seu primeiro mandato. Além disso, ele é a renovação que nós tanto esperamos. A política de Goiás está polarizada entre Marconi Perillo e Iris Rezende há muito tempo e está na hora de darmos uma sacudida nisso. Daniel representa um modelo novo de fazer política.

Quanto às pesquisas, é natural que Ronaldo Caiado lidere, por ser o mais conhecido, é político há mais de 30 anos, foi candidato a presidente do Brasil em 1989. O vice-governador José Eliton também tem destaque, pois assumiu o governo várias vezes. Daniel tem totais condições para crescer nas pesquisas futuras, na medida em que passe a ser mais conhecido. Isso aí é tranquilo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.