Iris Rezende deixa a política sob críticas e elogios do Legislativo goianiense

Com quase 87 anos, o emedebista decidiu que era a hora de parar

Prefeito Iris Rezende anunciou sua retirada da política | Foto: Prefeitura e Goiânia

Prestes a completar 87 anos, com quase 70 deles dedicados à política, o prefeito Iris de Rezende, do MDB, encerrou oficialmente sua carreira pública. O ato, que já vinha sendo anunciado ao longo de 2020, foi oficializado em sua última coletiva de imprensa, ocorrida na sexta-feira, dia 18 de dezembro. Com mandatos de governador, prefeito, senador e ministro (da Agricultura e Justiça) na conta, Iris pode ser considerado um verdadeiro animal político que, agora, pendura as chuteiras.

Em uma pesquisa feita pelo Ibope/Tv Anhanguera que ouviu 602 em novembro deste ano, Iris teve na menos que 72% da aprovação dos goianienses. Dos entrevistados, apenas 24% reprovavam o emedebista. É uma amostra o legado irista que ficará.

As homenagens ao longo do ano, e as que virão, não são poucas. No dia 22 de setembro, quando o emedebista octogenário foi à Câmara Municipal de Goiânia prestar contas de seu mandato relativas ao segundo quadrimestres de 2019, foi surpreendido por uma salva de palmas, de pé, por partes dos vereadores. “Chorei o tempo quase todo. Nunca vi um político no Brasil receber as manifestações unanimemente de um parlamento como fui”, disse Iris na ocasião.

No último dia 17 de dezembro, quinta-feira, o prefeito da capital de Goiás recebeu mais uma homenagem da Câmara por seus quase 70 anos de política, e as homenagens se estendem a nível nacional. Um requerimento apresentado pelo senador goiano Luis do Carmo, do MDB, e aprovado pelo Plenário do Senado na quarta-feira, dia 16, determinou a realização de uma sessão especial de homenagem a Iris Rezende.

Senador Luiz do Carmo | Foto: Reprodução

Ao Jornal Opção, o senador informou que a sessão deve ser realizada no mês de março ou abril, em data que ainda será definida. O parlamentar não poupou elogios ao prefeito de Goiânia. “O Iris foi o melhor político que já pisou em Goiás. Ele uniu carisma com boa administração e, hoje, praticamente tudo o que tem em Goiânia e em Goiás, tem a mão do Iris. Essa administração dele está sendo a melhor da vida dele”, disse.

Em Goiânia, os vereadores da Câmara Municipal, como o vereador Izidio Alves, do MDB, se referem a Iris como uma “pessoa espetacular” e que fez de sua última gestão “a melhor de todas”. “Sou suspeito para falar do Iris. Sou amigo pessoal dele. E amigo, muitas vezes, é aquele que observa alguns erros, erros que secretários cometeram, mas que é normal também. Quem nunca errou, como sabe o que é o acerto?”, questiona.

“A última gestão, de despedida de um cara que trabalhou muito por Goiânia, por Goiás também, é a melhor. É homem que tem o maior respeito, o maior carinho pelas pessoas”, elogia izídio.

A vereadora Sabrina Garcêz, do PSD, cita Iris como uma pessoa com “inquestionável poder de articulação e execução”. Para a parlamentar, que sempre teve, segundo a própria, um mandato “independente do prefeito”, Iris deixa um legado de obras e infraestrutura em Goiânia.

O reconhecimento é justificado. Foram complexos viários (como da Avenida Jamel Cecílio), viadutos (como o que liga o Setor Universitário ao Novo Mundo), trincheiras (como a da Rua 90 com Avenida 136), CMEIS e uma infinidade de ruas asfaltadas – esse último sendo uma marca registrada de Iris em Goiânia e em Goiás.

No entanto, Sabrina também tem suas críticas à gestão do prefeito. De acordo com ela, Goiânia ainda é carente em termos de industrialização e o desenvolvimento econômico da capital está muito aquém do ideal.

“Eu acredito que nós precisamos de uma gestão que cuide das pessoas, trabalhe o desenvolvimento econômico da cidade e isso, infelizmente, nós não tivemos. Goiânia ainda é uma cidade que vive exclusivamente do comércio e que tem sua arrecadação baseada apenas no IPTU [Imposto Predial e Territorial Urbano] e no ISS [Imposto Sobre Serviços]. Nós não temos industrialização aqui na cidade de Goiânia”, completa.

O vereador Anderson Bokão, do Dem, assim como Sabrina, vê a figura pública de Iris Rezende com bons olhos. Segundo ele, Iris “é um gestor que não haverá outro igual” em Goiás. “Um dos maiores no Estado de Goiás e no Brasil, e acredito que ele finaliza a história com o pé direito”, diz. Bokão cita, como exemplo de benfeitoria desta gestão de Iris, o fato de o prefeito ter, segundo ele, “colocado as contas prefeitura em dias”.

Vereador Anderson Bokão | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

De acordo com a Prefeitura de Goiânia, Iris assumiu a capital em 2017 herdando um déficit mensal de R$ 31 milhões e uma dívida consolidada de R$ 1 bilhão. No entanto, após ações de reequilíbrio fiscal, conforme a prefeitura, o emedebista entregará a cidade com R$ 250 milhões em caixa e R$ 775 milhões contratados, para o pagamento da conclusão das obras que estão em andamento.

Entretanto, o parlamentar atribui a saída de Iris da política justamente ao insucesso da entrega de obras no tempo previsto.

Bokão chegou a falar em má administração por parte de “alguns secretários”, sem citar nomes, e que isso pode ter influenciado Iris a não disputar um segundo mandato como prefeito.

“O que desmotivou demais o prefeito Iris Rezende foi não conseguir entregar com êxito todas as obras que ele queria entregar no seu plano de governo, e foi muito mal administrado com alguns secretários. Isso fez com que a gestão dele ficasse meio capenga”, conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.