O Supremo Tribunal Federal (STF) enviou à Procuradoria-Geral da República (PGR) um pedido de análise sobre a ação que busca suspender a posse de deputados bolsonaristas e investigar o envolvimento dos parlamentares nos atos golpistas do dia 8 de janeiro. Alexandre de Moraes deu 24 horas para o órgão se manifeste sobre o pedido.

A posse dos deputados eleitos em 2022 ocorre na próxima quarta-feira, 1º de fevereiro. A decisão do ministro parte de um pedido feito pelo Grupo Prerrogativas e abarca os seguintes parlamentares eleitos:

Luiz Ovando (PP-MS);

Marcos Pollon (PL-MS);

Rodolfo Nogueira (PL-MS);

João Henrique Catan (PL-MS);

Rafael Tavares (PRTB-MS);

Carlos Jordy (PL-RJ);

Silvia Waiãpi (PL-AP);

André Fernandes (PL-CE);

Nikolas Ferreira (PL-MG);

Sargento Rodrigues (PL-MG);

Walber Virgolino (PL-PB).

Na ação, o grupo pede que seja concedida medida cautelar para suspender a diplomação dos deputados citados, a fim de impedir a posse, na próxima quarta-feira. Solicita ainda a abertura de um inquérito para apurar a responsabilidade sobre os crimes praticados no dia 8.

*com informações do site Metrópoles