A jurista e ex-deputada estadual Janaina Paschoal considera o governador Ronaldo Caiado (União Brasil) como o candidato a presidente ideal para a direita política em 2026. Em entrevista exclusiva ao Jornal Opção, ela vê o governante goiano como o mais experiente e preparado para a disputa. Inclusive à frente de outros possíveis presidenciáveis, como o governador Tarcísio de Freitas (Republicanos), e até o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

Na avaliação de Paschoal, a direita possui uma grande quantidade de possibilidades para enfrentar uma possível reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Entretanto, a jurista vê que a melhor estratégia possível seria focar o apoio em apenas um candidato. Dessa forma, ela vê que centralizar os votos aumenta as chances para vencer qualquer eventual candidato petista ou garantir uma oposição forte em caso de derrota nas urnas.

A ex-deputada estadual acredita que vários nomes fortes deveriam focar as candidaturas em outros cargos, principalmente aqueles com possibilidade de reeleição, como o governador de São Paulo. “O Tarcísio é um excelente nome, mas ele tem uma reeleição praticamente garantida aqui. Por isso, não acho nada interessante ele abrir mão deste segundo mandato e correr o risco de não ser eleito presidente da República”, avalia.

Paschoal ainda destaca que outros nomes, incluindo os governadores Romeu Zema (Novo) e Eduardo Leite (PSDB), em Minas Gerais e Rio Grande do Sul respectivamente, deveriam focar esforços para o Senado Federal. A política acredita que eles seriam nomes fortes para serem eleitos nos respectivos estados, já que não podem buscar a reeleição.

“Me parece ser mais inteligente os dois (Zema e Leite) viabilizarem candidaturas para senador na próxima eleição presidencial. Nós teríamos um Senado mais forte e com uma mentalidade mais à direita, mesmo sendo mais na área econômica. Se todos eles forem candidatos a presidente, vamos perder essa oportunidade de fortalecer o Legislativo”, pontua a professora de direito na Universidade de São Paulo (USP).

Além da possibilidade de eleger mais nomes, uma candidatura focada em um nome também é visto por ela como ideal para 2026. “Precisamos pegar um nome, montar uma chapa forte, com um vice forte também. Temos que juntar e concentrar esforços”, afirma. Esse nome para Paschoal seria o atual governador de Goiás.

“Caiado é a melhor opção entre todos os nomes citados porque ele já foi deputado e senador, ainda é da área da saúde e um nome do agro. Sempre foi um quadro de direita durante a sua vida política, diferente de outros nomes que oscilaram. Pode não agradado em alguns momentos e posso discordar em outras situação, mas ele é o nome declarado da direita e nunca se envolveu em escândalos”, justifica a ex-parlamentar.

“Hoje é o candidato ideal”, destaca a advogada. “Mesmo que o (Jair) Bolsonaro consiga reverter a inelegibilidade, ainda vejo que o Caiado deveria ser lançado porque o ex-presidente ainda tem muita rejeição e perderíamos outra vez com ele”, acrescenta, ainda relembrando que o governante goiano já foi candidato a presidente em 1989.