O ex-presidente Jair Bolsonaro gastou R$ 27,6 milhões em despesas no cartão corporativo, que incluem hotéis de luxo, lanchonetes, sorveterias, padarias, entre outros. Em um único dia, um restaurante na área periférica de Boa Vista, capital de Roraima, aparece como beneficiário de um pagamento de R$ 109,2 mil em um pagamento no dia 26 de outubro do ano passado. A lista de compras foi revelada na noite desta quarta-feira, 11, após um pedido da Fiquem Sabendo – agência de dados públicos especializada na Lei de Acesso à Informação (LAI).

O local do gasto “Sabor de Casa” é uma microempresa que vende almoços entre R$ 17 a R$ 23. Com essa faixa de preço, é como se o restaurante tivesse vendido 4.750 marmitas em um único dia para a Presidência da República. Naquele dia, Jair Bolsonaro estava na cidade, visitando refugiados venezuelanos que chegavam a Roraima

Conforme explicado no Portal da Transparência, o Cartão de Pagamento do Governo Federal (CPGF) funciona como um cartão de crédito e tem a finalidade de atender a despesas de pequeno vulto e eventuais, como viagens e com serviços especiais, que exijam pronto pagamento. Ele permite gastos sigilosos, mas em caráter de exceção, pois seu objetivo também é garantir a transparência dos gastos público.

Em 2021, com a repercussão do aumento da fatura, o ex-capitão justificou que os gastos eram ‘com emas’, e também que não sabia dos altos custos de suas férias. Sobre o gasto com animais, mesmo sem tê-los em casa, Bolsonaro gastou R$ 2,3 mil em pet shop.

*com informações da Agência Fique Sabendo