As articulações da federação Brasil da Esperança (PT-PCdoB-PV) estão avançadas e, de acordo com interlocutores, chapa deve vir robusta, com nomes como: Edward Madureira, Fabrício Rosa, Isaura Lemos, Katia Maria e Wolmir Amado. Pelas novas regras eleitorais, a federação pode lançar 38 nomes – o total do número de vereadores mais um. O entendimento atual é de que o PT indique 27 nomes e os outros 11 seriam divididos entre PC do B e PV, respeitando a cota de mulheres.

Em conversa com o Jornal Opção, Fabrício Rosa, que foi o candidato de esquerda com mais votos na última eleição, comenta que a ideia da federação é fazer uma boa bancada. “Tanto para ajudar na eleição de Adriana Accorsi, quanto para ajudá-la a governar já que na última eleição o partido fez apenas uma cadeira (Mauro Rubem)”, explica. Fabrício lembra ainda que os quadros da federação tem outros nomes de peso, como o ex-vereador Djalma Araújo, Ana Rita, Marina Santana (ou alguém de seu grupo), Ademildo Godoy (Sindipit-dog), Divinho (da feira Hippie), Ludmila (Sintego) e outros.

Sobre as expectativas para 2024, Fabrício diz que continuará atuando na defesa dos direitos humanos, nas pautas LGBTQI+, das crianças e adolescentes, da segurança policial cidadã. Na PRF, ele participa no enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes, ao tráfico de pessoas, ao trabalho escravo e ao trabalho infantil. Durante a entrevista com Jornal Opção, o doutorando em Direitos Humanos participava de evento online sobre o tema.

Em 2018, Fabrício teve 46 mil votos como candidato ao Senado pelo Psol e, em 2020, 4.200 votos para vereador em Goiânia. No ano passado, foi candidato a deputado estadual sendo primeiro suplente, com 20.432 votos.