A cúpula nacional do Solidariedade deve trocar o comando do partido em Anápolis, e pode apoiar a pré-candidatura a prefeito do deputado Antônio Gomide (PT), seguindo o posicionamento nacional da sigla. As articulações ocorreram em Brasília.

Por outro lado o deputado estadual, Julio Pina (Solidariedade) nega que a articulação tenha ocorrido. “Semana passada o presidente nacional, Eurípedes Júnior, falou com o Coronel Adailton e fez o pedido para apoiar o nome do PT da cidade”, disse o deputado. Adailton foi procurado Jornal Opção, o parlamentar não retornou as ligações e nem mensagens. O espaço segue aberto.

A presidente do PT em Goiânia, a ex-deputada federal, Neide Aparecida, conversou com o Jornal Opção e confirmou que Gomide e o deputado federal Rubens Otoni alinharam as alianças com o Solidariedade. Por enquanto, ela não soube antecipar se a articulação poderá favorecer a pré-candidatura de Adriana Accorsi, em Goiânia.

Um interlocutor de Gomide também e confirmou à reportagem as negociações com o partido. O aliado ressaltou que há diálogos com outros partidos, incluindo da centro-direita, além do campo da esquerda.  

Desde março do ano passado, o Solidariedade é presidido por Eurípedes Júnior, que comandou o Pros. Essa sigla passou por diversas crises, inclusive disputas judiciais, até ser incorporada pelo Solidariedade.

Agora, o partido deve sofrer uma debandada, a primeira deles é do ex-deputado federal Lucas Vergílio, atual titular da Secretaria de Relações Institucionais (SRI), que sinalizou filiação ao União Brasil, do governador Ronaldo Caiado.

Comando estadual

A nova guinada no partido em Goiás deve remover ou forçar a saída do presidente estadual, o titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana (Seinfra), Denis Pereira. Em Goiânia, o Solidariedade é base do prefeito Rogério Cruz (Republicanos), mas pode apoiar Adriana Accorsi (PT) na disputa pelo Paço. O secretário foi procurado, mas não retornou os contatos. O espaço segue em aberto.