O partido Cidadania em Goiás teve sua chapa cassada na Câmara Municipal de Goiânia. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO), a legenda não teria respeitado o mínimo de 30% de candidaturas femininas. Mesmo assim, a sigla apresentou nesta quarta-feira, 26, recurso à decisão do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“Estamos otimistas e confiantes, pois já vencemos questionamentos de igual teor por sete vezes no TRE-GO e não há porque acharmos que será diferente no TSE. A verdade será restabelecida”, destaca o presidente da legenda, Gilvane Felipe.

O ministro Ricardo Lewandowski cassou a chapa do Cidadania para vereador de Goiânia nas eleições de 2020. Com a decisão, os vereadores Marlon Teixeira e Professor Márcio – que foi diplomado na última sexta-feira, 21 – perdem seus mandatos.

Diante disso, os dois nomes que devem tomar posse são os de Igor Franco, que disputou o pleito de 2020 pelo Pros e, agora, está filiado ao PRTB, e Welton Lemos (Podemos). A confirmação só será feita após novo cálculo do Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) que irá acontecer no próximo dia 7 de novembro.