Cerca de 115 caminhões se dirigiram, nesta quarta-feira, 9, ao Quartel General do Exército em Brasília. Os veículos estão sendo direcionados, segundo a Polícia Militar do DF, a uma área específica do Setor Militar Urbano (SMU), onde bolsonaristas já promovem atos golpistas contra a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na eleição presidencial.

Na terça 8, a Comissão Especial de Direito Eleitoral da Ordem dos Advogados do Brasil – que também participou da Comissão de Transparência das Eleições – enviou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) seu relatório sobre o pleito deste ano. No documento, o órgão atesta que “não houve qualquer fato que aponte suspeita de irregularidades no processo de votação”. “Evidenciou-se, ao contrário, a postura transparente da Justiça Eleitoral na preservação da lisura e da segurança no processo”.

Desde que Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi eleito presidente, manifestantes fazem atos golpistas e pedem, em bloqueios de estradas e em frente aos quartéis, “intervenção federal” ou “militar”.

Mais cedo, os 115 caminhões formaram uma fila de aproximadamente quatro quilômetros entre o Riacho Fundo e o Núcleo Bandeirante.

Conforme apurado pelo jornal Folha de S. Paulo, empresários do Mato Grosso e Goiás enviaram caminhões de suas empresas, junto com seus funcionários, para os protestos.