Depois de ter sido dispensado do Vila Nova, o meia Marcos Vinicius Alves Barreira, conhecido no meio futebolístico como Romário, foi apresentado como reforço no Goiânia para a disputa do Goianão 2023. À época, a diretoria do Vila Nova disse apenas que a dispensa era por ato considerado como “falha grave”.

Na verdade, Romário foi dispensado por conta do escândalo denunciado pelo próprio Vila Nova e que desencadeou na operação ‘Penalidade Máxima’. A investigação está no âmbito do Ministério Público de Goiás (MP-GO), que investiga se houve manipulação de resultados em jogos da série B de 2022 e, se isso teria sido estendido para os estaduais de 2023 e a série A.

Na oitava colocação na tabela do campeonato, o Galo Carijó soma 14 pontos conquistados atualmente. Em entrevista ao Jornal Opção, o presidente do Goiânia Alexandre Godoi informou que assim que veio à tona a investigação, o jogador também foi dispensado pelo clube.

Indagado se a diretoria do Galo não percebeu alguma movimentação que pudesse caracterizar uma venda de resultado em jogos do Goiânia no Campeonato Estadual, Alexandre alegou que ficou sabendo do escândalo pela imprensa. 

“Quando vimos as notícias na mídia, logo tratamos de dispensá-lo. Nossos resultados negativos dentro da competição foram por falhas técnicas mesmo. Por isso, dispensamos outros jogadores”, declara. Godoi acrescenta que está à disposição para colaborar com as autoridades no que for preciso. “Queremos o futebol transparente”, emendou.