Versão da Netflix de “Cavaleiros do Zodíaco” causa polêmica entre os fãs

Em trailer, Shun, guerreiro de Andrômeda, aparece como mulher

Shun nas duas versões: a original e da Netflix | Foto: Reprodução

A Netflix divulgou no último sábado (8/12), durante a Comic Con Experience, em São Paulo,  o primeiro trailer do remake de “Saint Seiya: Os Cavaleiros do Zodíaco”, que deve estrear em 2019 pelo serviço de streaming.

Mas a novidade acabou virando motivo de grande polêmica entre os fãs, que descobriram que o cavaleiro Shun, de Andrômeda, será uma mulher na nova versão.

O roteirista Eugene Son explicou no Twitter que as mudanças na personagem partiram dele e justificou a igualdade entre os gêneros no mundo atual e por isso a necessidade de uma personagem mulher no quinteto antes masculino.

Os fãs que descordam questionam porque a mudança se deu justamente com o cavaleiro que era considerado o mais sensível e feminino do quinteto, e por que Shun, agora como mulher, não usa máscara, uma condição obrigatória para as demais guerreiras da trama, as amazonas.

Baseado no mangá homônimo de Masami Kurumada, o anime “Cavaleiros do Zodíaco” foi produzido originalmente pela Toei Animation. Teve sua estreia no Japão no canal de TV Asahi em outubro de 1986 e durou até 1989. No Brasil, estreava em 1 de setembro de 1994, às 18h30, na extinta Rede Manchete e alcançou um sucesso avassalador no Brasil.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Mauro de Khriszaor

Eeeeeee!! Olhe só pra mim, eu sou a Netflix! com tantos e excelentes personagem feminino na franquia tive a idéia mais preguiçosa.
Tá faltando mais representatividade na Liga da Justiça chamo a Supergirl? Chamo a Batgirl? Que nada!
melhor transformar o Bruce ou Clark em uma mulher! E quem reclamar é preconceito.