Tarcísio Meira ampliou o horizonte de expectativa dos criadores de teledramaturgia no Brasil

O primeiro beijo gay na TV brasileira foi entre o ator e Ney Latorraca, numa adaptação de uma peça de Nelson Rodrigues

Carlos Augusto Silva

Tarcísio Meira em Irmãos Coragem | Foto: Reprodução

Tarcísio Meira, para além de ser um galã, foi um ator que ampliou o horizonte de expectativa dos criadores de teledramaturgia no Brasil.

Sob a direção de Walter Avancini, fez o protagonista de “Irmãos Coragem”, a primeira novela assistida, sem constrangimento, por qualquer homem pai de família no Brasil. Antes desse evento, novela era mesmo coisa de mulher.

Tarcísio Meira tornou-se o espelho do homem brasileiro diante da tela, aquele que era como os outros homens, ou o que era como os outros homens queriam ser. Mas ele foi mais do que isso.

Tarcísio Meira beija Ney Latorraca em adaptação de peça “Beijo no Asfalto”, de Nelson Rodrigues, para a televisão | Foto: Reprodução

A solidez de sua postura — chegando até a limitar suas expressões e gestos nas interpretações — fez dele figura tão sólida que coube até na cena do beijo homossexual — verdadeiro primeiro beijo gay da TV — com Ney Latorraca, fazendo uma adaptação da peça de Nelson Rodrigues, “Beijo no Asfalto”.

Independentemente de gostarmos ou não do ator, devemos respeitar a figura.

Carlos Augusto Silva, crítico literário e professor, faz doutorado na Universidade de São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.