Som do Silêncio: mais que um filme, uma experiência sensorial

Filme independente e baixo orçamento, produção impressionou tanto pelas atuações e qualidade geral de execução que concorre a seis estatuetas da Academia

Rhiz Ahmed como Reuben, em Som do Silêncio | Foto: Reprodução

Indicado ao Oscar 2021 em seis categorias (Melhor Filme, Melhor Ator, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Som, Melhor Roteiro Original e Melhor Edição), O Som do Silêncio é uma experiência sensorial pelos ouvidos de Reuben, o protagonista, e um dos melhores filmes de 2020. Disponível na Prime Video, a produção é do diretor estadunidense Darius Marder, que também foi roteirista de O Lugar Onde Tudo Termina.

Em O Som do Silêncio, Riz Ahmed é Reuben, um baterista de uma banda de noise punk que repentinamente perde a audição. O músico está em meio a uma turnê de shows com a banda que tem com sua namorada, Lou. A surdez não apenas interrompe seus sonhos, seu único projeto de vida, como também faz com que Reuben se perca de si e não saiba mais exatamente quem ele é.

Cena de Som do Silêncio | Foto: Reprodução

O protagonista é um ex-viciado em drogas. Lou, sua namorada, e a música foram a salvação na vida de Reuben. Sem audição, ele procura por todas as alternativas médicas possíveis. Entretanto, seu problema de surdez é muito mais sério e definitivo do que imaginava. Para piorar, os custos de qualquer procedimento que tente são altíssimos.

Sem saída, ele conhece Paul, diretor de uma clínica para deficientes auditivos. O local, que exige um acompanhamento com reclusão social, ensina os deficientes auditivos a conviverem e aceitarem sua nova condição.

Aí o filme tem duas propostas muito interessantes. A primeira delas é explorar a surdez do Reuben e propiciar ao espectador uma amostra dessa experiência. Aí brilha o trabalho da equipe de edição de som. O filme inicia com ruídos altíssimos. Primeiro, a banda de Reuben toca seu noise punk durante um show. No decorrer, o filme evolui para a maneira como Ruben passa a escutar: sons abafados, vozes encaixotadas, chiados diminutos. Logo após ele realizar uma cirurgia coclear, escutamos vozes metalizadas, assim como ele.

Cena de Som do Silêncio | Foto: Reprodução

Outra proposta é fazer Reuben se redescobrir sem escutar. O protagonista é um músico e sua audição faz parte de sua identidade. Ele tenta obsessivamente recuperar algo que não tem mais volta, como um dependente daquilo. A clínica não é mais que uma clínica de reabilitação. O filme explora além da regressão auditiva de Ruben, sua saúde mental.

É um filme independente e baixo orçamento. Foi gravado cronologicamente e teve muitas de suas cenas improvisadas, segundo o diretor, Darius, contou. Mas com atuações tão boas e uma sensibilidade tão grande para transmitir o que o corpo de Reuben vibra e sente, essa produção tem alto nível de qualidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.