Rosa Berardo terá mostra com dois filmes inéditos e um restaurado

Cineasta paulista, radicada em Goiânia, apresentará três curtas-metragens no Cine Lumière Bougainville, que debaterão assuntos fundamentais para a sociedade nos dias de hoje, como liberdade, repressão, escolhas e psiquiatria

Rosa Berardo: “Reunimos filmes que falam de aspectos muito importantes para a sociedade, que marcam o destino de um povo ou uma pessoa” | Foto: Divulgação

O Cine Lumière Bougainville vai apresentar nesta terça-feira, 28 de novembro, a mostra “Rosa Berardo: Acaso, Ditadura e Memórias”, com a exibição de dois curtas-metragens inéditos: “Alarme Falso” e “Marcas da Ditadura na Vida de um Ator”, dirigidos por Rosa Berardo, uma das mais consagradas cineastas brasileiras.

A mostra exibirá também uma versão restaurada do filme “André Louco”, adaptação da obra de Bernardo Élis, premiado na Suíça e que marcou a retomada do cinema goiano no início dos anos 90. “Reunimos filmes que falam de aspectos muito importantes para a sociedade, que marcam o destino de um povo ou uma pessoa”, conta Rosa Berardo. “Esses aspectos, às vezes, passam pela ordem social e política vigente; outras vezes, passam por segundos ou minutos que tomamos para refletir e mudar nossas escolhas ou opiniões sobre nosso destino”, diz a cineasta.

Depois de remasterizado e digitalizado, “André Louco”, de 1990, com o ator Toni Cotrin no papel principal, volta às telas. Com roteiro adaptado e direção de Rosa Berardo, feito em película 35 milímetros, é considerado o filme da retomada do cinema goiano. Foi também o primeiro filme feito por uma mulher em Goiás. A narrativa mostra o ponto de vista da cidade em relação à normalidade e à loucura, ao contar a história de André, jovem considerado louco pela população.

“Alarme Falso”, de 2017, com Gustavo Duque e Bela Carrijo, tem roteiro de Carlos Moreli. O filme mostra como as decisões e escolhas que fazemos em nossas vidas podem transformar nosso destino de maneira irreparável.

Já no documentário “Marcas da Ditadura na Vida de um Ator”, também de 2017, Rosa Berardo assina roteiro, direção de fotografia e direção-geral. O filme traz à tona um fato político, de profunda gravidade, que envolveu a vida do ator goiano Almir de Amorim, vítima da ditadura militar brasileira.

Doutora em Cinema pela Universidade de Sorbonne, na França, e pós-doutora pela Université du Québec à Montreal, Rosa Berardo tem uma longa trajetória na área do audiovisual, participando como diretora e júri em diversos festivais de cinema pelo Brasil e no exterior.

O evento começará às 19 horas, com uma coletiva de imprensa, seguido da apresentação dos filmes, um debate sobre as temáticas representadas no cinema da mostra e um coquetel de encerramento. Além da diretora, estarão presentes a atriz Bela Carrijo e os atores Gustavo Duque e Almir de Amorim.

Serviço

Local: Cine Lumière Bougainville, Shopping Bougainville, Setor Marista

19:00 – Coletiva com a imprensa com as presenças da diretora Rosa Berardo, atrizes e atores integrantes dos elencos dos filmes.

19:30 – Exibição dos curtas-metragens – Alarme Falso, Marcas da Ditadura na Vida de Um Ator e André Louco.

20:30 – Debate seguido de Coquetel de encerramento.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.