Princesas de Maquiavel: livro manifesta papel da mulher na politica

Livro reúne artigos de lideranças femininas sobre a importância de ampliar a participação delas nos poderes Legislativo e Executivo

Atualmente as mulheres representam 51,8% da população brasileira, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 2019. No período entre 2014 e 2019, quase 10 milhões de mulheres tornaram-se gestoras da própria casa e 2,8 milhões de homens perderam esse posto devido ao crescimento da participação feminina no mercado de trabalho. No cenário político, entretanto, a igualdade e equidade de gênero ainda é uma realidade distante. As mulheres somam apenas 14,6% de parlamentares na Câmara dos Deputados e 13,6% do Senado. A baixa representatividade feminina se repete em ministérios e secretarias diversas.

Se as mulheres são a maior parte da população brasileira, por que não ocupam mais espaço em órgãos políticos? Os motivos variam desde a falta de respeito às cotas, a ataques preconceituosos, passando por desafios no período eleitoral e dificuldades criadas pelos partidos. Muitas leis ainda precisam ser criadas para melhorar esse cenário, assim como movimentos que estimulem o crescimento das mulheres na política.

Levando tudo isso em conta, a cientista política Juliana Fratini acaba de organizar e lançar o livro Princesas de Maquiavel: por mais mulheres na política (Matrix Editora, 208 págs., R﹩ 45,00), uma coletânea de artigos. O título do livro, que faz um trocadilho com O Príncipe, a principal obra de Maquiavel, publicada em 1532, propõe uma reflexão sobre a condição feminina e a dinâmica do poder. Seu objetivo é valorizar o papel da mulher na política e estimular o debate sobre como diminuir o machismo, combater a misoginia e aumentar o engajamento feminino, respeitando as diferenças.

Na lista de autoras estão nomes de diferentes espectros políticos, como Mara Gabrilli, Senadora pelo PSDB eleita por São Paulo; Fernanda Melchionna, Deputada federal do PSOL-RS; Gleisi Hoffmann, Presidente do PT-PR e deputada federal, entre outros, além de lideranças empresariais como Luiza Helena Trajano e Ligia Pinto, cofundadoras do Grupo Mulheres do Brasil. O ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), é o único homem participante que, junto com Julia Rocha de Barcelos, assessora da presidência do TSE, faz uma avaliação importante sobre como melhorar o ingresso da mulher na política institucional. “Todos tiveram liberdade para escrever sobre suas trajetórias e sobre a participação das mulheres na política. As visões são diversas, mas é possível identificar dificuldades impostas para o gênero feminino em todos os artigos”, diz Juliana Frantini.

No atual momento da nossa história, o livro contribui para o melhor desempenho da democracia e com a qualidade de vida das mulheres, fora e dentro do contexto político.

Sobre as autoras

A Ponte – Amanda de Albuquerque e Mariana Carvalho, cofundadoras

Adriana Ventura – Deputada federal pelo NOVO-SP

Alda Marco Antonio – Coordenadora do #PSDMulher

Cynara Menezes – Jornalista editora do site Socialista Morena

Debora Thomé – Cientista política

Duda Alcântara – Porta-voz da Rede Sustentabilidade na cidade de São Paulo

Elas No Poder – Por “Elas no Poder”

Fernanda Melchionna – Deputada federal do PSOL-RS

Gleisi Hoffmann – Presidente do PT-PR e deputada federal

Grupo Mulheres do Brasil – Luiza Helena Trajano e Lígia Pinto, cofundadoras

Iracema Portella – Deputada federal pelo PP-PI

Joice Hasselmann – Deputada federal pelo PSL-SP

Julia Rocha de Barcelos – Assessora da Presidência do TSE

Juliana Brizola – Deputada estadual pelo PDT-SC

Leila Barros – Senadora do Cidadania eleita pelo DF

Luciana Santos – Presidente do PCdoB e vice-governadora de Pernambuco

Luís Roberto Brarroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

Madeleine Lacsko – Jornalista especialista em cidadania digital

Mara Gabrilli – Senadora pelo PSDB eleita por São Paulo

Renata Abreu – Presidente do Podemos-SP e deputada federal

Simone Tebet – Senadora do MDB pelo Mato Grosso do Sul

Teresa Surita – Ex-prefeita de Boa Vista pelo MDB

Vamos Juntas – Talita Nascimento, presidente, e Larissa Alfino, diretora de operações

Vera Lúcia de Camargo Braga Taberti – Promotora de justiça e assessora eleitoral

Vote Nelas – Gisele Agnelli, socióloga, cofundadora

Zenaide Maia – Senadora do PROS pelo Rio Grande do Norte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.