Olivia de Havilland estrelou sete filmes de Michael Curtiz e brilhou em “E o Vento Levou”

A atriz contracenou com Errol Flynn em oito filmes. Atuou também nos filmes “Nascida para o Mal”, “Na Cova da Serpente” e “Com a Maldade na Alma”

Herondes Cezar

Olivia de Havilland em três tempos diferentes | Fotos: Reproduções

A atriz americana Olivia de Havilland morreu no dia 25 de julho, em Paris, de causas naturais. Tinha 104 anos.

De Havilland era a última estrela sobrevivente da Era de Ouro de Hollywood. Ela ganhou dois prêmios Oscar, pelos filmes “Só Resta Uma Lágrima” (To Each His Own, 1946) e “Tarde Demais” (The Heiress, 1949).

Nos anos 1930 e 40, ela contracenou com Errol Flynn em oito filmes, sete deles dirigidos por Michael Curtiz: “Capitão Blood” (Captain Blood, 1935), “A Carga da Brigada Ligeira” (The Charge of the Light Brigade, 1936), “As Aventuras de Robin Hood” (The Adventures of Robin Hood, 1938), “Amando sem Saber” (Four’s a Crowd, 1938), “Uma Cidade que Surge” (Dodge City, 1939), “Meu Reino por Um Amor” (The Private Lives of Elizabeth and Essex, 1939) e “A Estrada de Santa Fé” (Santa Fe Trail, 1940), e um dirigido por Raoul Walsh: “O Intrépido General Custer” (They Died with Their Boots On, 1941).

Errol Flynn e Olivia de Havilland | Foto: Reprodução

Sobre Michael Curtiz ela tinha a seguinte opinião: “Ele era um tirano, era abusivo, era cruel. Ah, ele era um vilão, mas eu acho que ele era muito bom. Na época, nós não pensávamos estas coisas dele, mas evidentemente ele era assim. [No entanto] ele sabia o que estava fazendo. Sabia contar uma história de maneira muito clara e sabia como manter as coisas funcionando”.

Entre os demais filmes memoráveis em que atuou estão “E o Vento Levou” (Gone with the Wind, 1939), “Nascida para o Mal” (In This Our Life, 1942), “Na Cova da Serpente” (The Snake Pit, 1948) e “Com a Maldade na Alma” (Hush… Hush, Sweet Charlotte, 1964).

Michael Curtiz dirigiu Olivia de Havilland em sete filmes | Foto: Reprodução

Ela foi homenageada com uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood.

Olivia Mary de Havilland nasceu em Tóquio, Japão, de pais ingleses. Seus dois casamentos terminaram em divórcio. Tinha um filho do primeiro casamento e uma filha do segundo.

Nota

Inicialmente, o saite IMDb informou que a morte da atriz teria ocorrido em 26 de julho, e depois corrigiu seu erro, alterando a data para 25 de julho. Nós, que tínhamos tirado as informações daquele saite, também fizemos a correção.

Herondes Cezar, crítico de cinema, é colaborador do Jornal Opção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.