Mostra celebra centenário do nascimento de Ingmar Bergman

De 21 a 25 de julho, Cine Cultura exibe filmes clássicos de todas as fases da carreira do diretor sueco, que completaria 100 anos neste sábado (14)

Bergman: estética e estilo inconfundíveis e obras intrigantes | Foto: Divulgação/Ingmar Bergman Foundation

Há 100 anos, no dia 14 de julho, nascia aquele que se tornaria um dos cineastas mais controversos e aclamados da história da Sétima Arte. Em comemoração ao centenário do nascimento do diretor sueco Ingmar Bergman, o Cine Cultura, com apoio da Embaixada da Suécia no Brasil, promoverá entre os dias 21 e 25 de julho, a mostra Centenário Ingmar Bergman, exibirá 5 longas-metragens que representam todas as fases da carreira do diretor.

Na mostra, o público goianiense poderá rever ou mesmo conhecer clássicos como O Sétimo Selo, Morangos Silvestres e Persona, além de filmes Sonata de Outono e Gritos e Sussurros. A mostra Centenário Ingmar Bergman, que tem apoio institucional da Embaixada da Suécia no Brasil e produção da distribuidora FJ Cines, é uma homenagem ao cultuado diretor que morreu em julho de 2007, aos 89 anos, e deixou uma extensa obra.

“Ingmar Bergman foi e é um gigante da cultura sueca, que representa um ponto de referência para os brasileiros conhecerem o país”, afirma o Embaixador da Suécia no Brasil, Per-Arne Hjelmborn. “Por isso, em parceria com Helen Beltrame Linné, ex-diretora do Centro de Bergman, em Fårö, vamos aproveitar a oportunidade que 2018 oferece e partilhar a obra e legado desse fantástico artista com novas audiências”, completa.

Ícone
Nascido em 1918 em Uppsala, ao norte da capital Estocolmo, filho de um pastor luterano, dirigiu cerca de 60 filmes entre 1946 e 2003, incluindo “Gritos e sussurros” (1972), “Cenas de um casamento” (1974), “Sonata de outono” (1978) e “Fanny e Alexander” (1982), sua obra testamento.

Com uma estética e estilo inconfundíveis e obras intrigantes, muitas vezes herméticas, Bergman inspirou cineastas como François Truffaut, Woody Allen e Stanley Kubrick. Consequentemente, conquistou a admiração da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas: recebeu nove indicações ao Oscar e faturou seis estatuetas, além de seis prêmios no Festival de Cannes e muitos outros em Berlim e Veneza.

Sua obra lançou ao estrelato nomes até então desconhecidos como Liv Ullmann, Bibi Andersson, Ingrid Thulin, Erland Josephson e Max von Sydow.

O cavaleiro e a morte disputando uma partida de xadrez no filme ‘O Sétimo Selo’ | Foto: Divulgação

Serviço:
Mostra Centenário Ingmar Bergman
Local: Cine Cultura (Centro Cultural Marieta Telles – Praça Cívica, Centro. Goiânia – GO)
Data: de 21 a 25 de julho
Entrada franca

Programação
21/07
– 16h30: SONATA DE OUTONO
– 18h30: MORANGOS SILVESTRES
– 20h30: O SÉTIMO SELO

22/07
– 16h30: O SÉTIMO SELO
– 18h30: PERSONA
– 20h30: GRITOS E SUSSURROS

23/07
– 16h30: GRITOS E SUSSURROS
– 18h30: SONATA DE OUTONO
– 20h30: PERSONA

24/07
– 16h30: PERSONA
– 18h30: O SÉTIMO SELO
– 20h30: MORANGOS SILVESTRES

25/07
– 16h30: MORANGOS SILVESTRES
– 18h30: GRITOS E SUSSURROS
– 20h30: SONATA DE OUTONO

Sinopses:

1) O SÉTIMO SELO (1957, 96 min, 12 anos)
De volta das Cruzadas, o cavaleiro Antonius (Max Von Sydow) tem dúvidas sobre a existência de Deus. Ao seu redor, encontra apenas sofrimento e destruição. A inquisição e a peste negra devastam sua terra. Em suas andanças, Antonius encontra a Morte, que o desafia para uma partida de xadrez.

2) MORANGOS SILVESTRES (1957, 91 min, 10 anos)
No caminho da Universidade de Lund, onde receberá um prêmio pelos 50 anos de carreira, o professor de medicina Isak Borg (Victor Sjöstrom) relembra os principais momentos de sua vida, temendo a morte que se aproxima. Acompanhado de sua nora Marianne (Ingrid Thulin) ele evoca memórias de sua família e de sua ex-namorada. Quanto mais Borg recorda as decepções e desilusões que viveu, mais se sente frio e cheio de culpa – sentimentos que se afloram quando ele encontra seu filho.

 

3) PERSONA (1966, 85 min, 14 anos)
Uma atriz teatral de sucesso, Elisabeth Vogler (Liv Ullmann), sofre uma crise emocional e emudece. Após 3 meses sem se recuperar, sua psiquiatra decide que ela deva ser mandada para uma isolada casa de praia, sob os cuidados da enfermeira Alma (Bibi Andersson), que a admira e tenta compreender a razão de seu silêncio. Isoladas, as duas mulheres desenvolvem uma relação de forte intensidade emocional. Persona tem atuações viscerais de Bibi Andersson e Liv Ullman.

 

4) GRITOS E SUSSURROS (1972, 91 min, 16 anos)
Numa casa de campo, no final do século 19, Karin (Ingrid Thulin) e Maria (Liv Ulman) cuidam de sua irmã Agnes (Harriet Andersson), que está morrendo de câncer. Neste ambiente claustrofóbico as vidas das três irmãs são contadas em flashback, revelando seus dramas, mentiras, traições, ressentimentos e paixões. Agnes procura conforto junto à Anna (Kari Sylwan), uma empregada que já perdeu um filho e lida melhor com o sofrimento.

 

5) SONATA DE OUTONO (1978, 93 min, 14 anos)
Uma pianista visita a filha, no interior da Noruega. Enquanto a mãe é um artista de renome internacional, a filha é tímida e deprimida. Esse encontro tenso, marcado por lembranças do passado, revela uma relação repleta de rancor, ressentimentos e cobranças. Ao som de Chopin, Bach Haendel e Schumann, Bergman tece uma amarga reflexão sobre as relações familiares.

 

(Com informações da Embaixada da Suécia no Brasil)

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.