Livro “O Tronco”, de Abílio Wolney Neto, é intensamente debatido em reunião de escritores, em Goiânia

A palestra foi proferida pelo escritor e magistrado Abílio Wolney Aires Neto, autor de vários livros sobre fatos históricos e neto do político Abílio Aires Wolney

Escritor e juiz Abílio Wolney (centro) | Foto: Divulgação

Os trágicos acontecimentos de janeiro de 1916, de Dianópolis (TO), então São José do Duro, foram tema de palestra seguida de debates ontem, no auditório da UBE-Goiás. A palestra foi proferida pelo escritor e magistrado Abílio Wolney Aires Neto, autor de vários livros sobre aqueles fatos históricos, é neto do político Abílio Aires Wolney, que teve atuação destacada na política de então, em Goiás e na Bahia.

Abílio Wolney era aliado ao Bulhonismo, a oligarquia liderada por Leopoldo de Bulhões. Foi deputado estadual, presidente do Congresso estadual (O Poder Legislativo continha, além da Assembléia, o Senado), teve o nome cogitado para a presidência do Estado de Goiás em 1909, justo no momento Lepoldo de Bulhões perdeu sua força política em vista da ascensão de Antônio Ramos Caiado, o Totó Caiado, ao domínio da política em Goiás. Tais fatos culminaram, em 16 de janeiro de 1909, com uma chacina praticada por forças policiais de Goiás, no centro do então lugarejo de pouco mais de 30 casas, resultando na execução sumária de 9 pessoas de uma mesma família, a de Abílio Wolney, cujo pai já havia sido executado sob o comando de um juiz de direito que virou desembargador.

Aqueles fatos serviram de subsídio ao escritor Bernardo Elis, autor de “O Tronco “,  laureado romance que combina ficção com fatos reais. Dois debatedores, o escritor Bariani Ortêncio e o jornalista Valterli Guedes, discorreram sobre o livro de Bernardo e os trágicos  acontecimentos políticos de então.

O jornalista Valterli Guedes, que é presidente da Associação Goiana de Imprensa (AGI), anunciou durante sua fala que nos próximos dias será inaugura no Anexo 1 da AGI, na sala 15 do edifício Palácio do Comércio, avenida Anhanguera-Centro de Goiânia, a Estante “Jornalista Abílio Wolney Aires”,  em homenagem ao destacado político e Jornalista que combateu, sem medir sacrifícios, os detentores do poder de então.  Abílio Wolney foi, além de jornalista e fazendeiro, advogado provisionado e prefeito das cidades de Barreiras, na Bahia, e de Dianópolis . Chegou a eleger-se deputado federal por Goiás e pela Bahia. A estante da AGI em sua homenagem está sendo organizada por Abílio Wolney Aires Neto, associado da AGI, magistrado estadual em Goiânia e autor de mais de 15 livros.

O evento na UBE, presidido pelo escritor Aldemir Luiz da Silva, contou com numerosa assistência, aí incluída a participação do prefeito de Dianópolis, padre Gleibson, que aproveitou para convidar os presentes a que visitem a região de Dianópolis, no Leste do Tocantins que, com seus mananciais, cachoeiras, paisagens deslumbrantes e povo acolhedor, é das regiões brasileiras com extraordinário potencial turístico.

Participaram do evento, também, o escritor Aidenor Aires, atual presidente da Academia Goianiense de Letras e ex-presidente da UBE-Goiás, jornalista e escritor Jales Naves, escritora Anunciata Spenciere, professora Maria Adenilia Machado Santana, escritor Eurico Barbosa, cineasta Antônio Eustáquio (Taquinho), entre várias outras personalidades.

*Abílio Wolney Aires Neto é escritor e magistrado em Goiás

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.