Léo Pincel abre exposição individual na cidade de Goiás

Artista volta à cena após 10 anos, com 15 telas que refletem sobre a questão ambiental e a conservação do patrimônio histórico nacional

Foto: Divulgação

Com mais de 30 anos de estrada como pintor e escultor, o artista plástico Léo Pincel abre nesta sexta-feira (22), no Café Jasmim, na Cidade de Goiás, sua nova mostra individual. O artista, que se diz avesso a exposições, volta à cena goiana depois de 10 anos trazendo inquietações que vêm dando o tom de suas produções nos últimos anos.

O novo trabalho é uma alerta sobre a ameaça de extinção do bioma Cerrado, – que já perdeu 46% de sua vegetação nativa e tem apenas cerca de 20% de sua área intocada – e a conservação da Cidade de Goiás. A exposição, assim, também suscita a importância da conservação do patrimônio histórico nacional. “Recentemente pegou fogo o Museu Nacional. Todo ano a Serra Dourada pega fogo. Parece coincidência, mas não é, isso é reflexo da desimportância que se dá para natureza e para história”, comenta o artista.

A Cidade de Goiás é um expoente de lugar que acolhe tanto a natureza, como patrimônio histórico e necessita de cuidado para preservação de ambos. Acostumado à pintura dos ambientes urbanos, Léo se aventura neste novo universo. “Aqui temos natureza linda e patrimônio rico. Vou mostrar essa minha leitura nas telas como um chamado à preservação. Não que arte tenha que ter motivo, mas às vezes tem”, brinca o artista.

Sobre o artista
Léo Pincel é pintor, escultor e um dos pioneiros em performance artística no estado. Dentre as cerca de 30 exposições e dezenas de prêmios destacam-se “80 metros de pintura”, na Multiarte Galeria, Goiânia (1984); “Projeto Antas” com o artista plástico Siron Franco (1987); Painel Salvador Daqui Sala Augusto Juká – DF (1988); “Guerra à Arte II”, na Multiarte Galeria, com show de Jorge Mautner (1990); “Banquete das Artes” – 1550 metros de pintura ao ar livre (1990); Exposição Individual Galeria Helena – Cuiabá (1991); Prêmio Incomum de Artes Plásticas na Bienal de Arte Incomum de Goiânia (1995); Exposição “Não Atire Para Matar”,Galeria Funart – São Paulo (1997); Prêmio Salão de Charges de Curitiba (1998); Individual “Santo do Pau Oco”,na Funart, São Paulo (1998); Individual “Abstrações”, na Embaixada do Brasil em Naputo, Moçambique (2000); Exposição Coletiva Goiás Contemporâneo, Câmara dos Deputados – Brasília/DF (2004); Coletiva e lançamento do livro “Arte Brasil”, da Galeria Murilo Castro, de Belo Horizonte (2008).

Serviço: Léo Pincel abre exposição individual
Local: Café Jasmin, Cidade de Goiás
Data: 22 de fevereiro, sexta-feira
Horário: 19 horas
Entrada franca

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.