“A Forma da Água” é ao mesmo tempo o grande vencedor e o fracasso da noite

Das 13 estatuetas a que concorria, o filme de Guillermo del Toro levou quatro, mas duas delas têm um grande peso: Direção e Filme; ganhou ainda Melhor Design de Produção e Trilha Sonora

“A Forma da Água” levou quatro estatuetas, das 13 a que concorria, entre elas, Melhor Filme e Melhor Diretor; não vai calar a boca de seus críticos, mas volta para casa de cabeça erguida

A noite do Oscar deste ano não teve grandes discursos políticos, como se esperava, nem grandes surpresas nas premiações. “Três Anúncios para um Crime”, que agitou as casas de apostas como favorito na categoria de Melhor Filme, perdeu para “A Forma da Água”, que também levou Melhor Direção, Trilha Sonora e Design de Produção (Direção de Arte). Mas tudo isso estava mais ou menos dentro das expectativas.

O filme de Guillermo del Toro concorria em 13 categorias. Neste sentido, ficou devendo. Mas ninguém se saiu bem no quesito número de prêmios. A segunda película com o maior número de indicações (oito), “Dunkirk”, levou apenas três prêmios técnicos (Melhor Mixagem de Som, Melhor Edição de Som e Melhor Montagem).

Terceiro filme mais indicado (sete), “Três Anúncios para um Crime” ficou com os Oscars de Melhor Atriz (Frances McDormand) e Melhor Ator Coadjuvante (Sam Rockwell). E só.

O Brasileiro Carlos Saldanha, diretor da ótima animação “O Touro Ferdinando” (produção americana), estava na festa com a expectativa de levar para casa o prêmio da categoria, mas quem ganhou foi “Viva – a Vida É um Festa”.

Este ano, a maior festa do cinema passou discretamente. O movimento Time’s Up (contra a violência sexual e a opressão feminina no universo corporativo do cinema e das empresas, de modo geral) divulgou um vídeo com depoimentos de artistas sobre diversidade, mas os discursos de aceitação dos prêmios da noite foram pacíficos.

Frances McDormand foi quem falou com mais ênfase em seu discurso de aceitação do prêmio de Melhor Atriz, e chamou as demais artistas para o palco, incluindo a diretora e roteirista de “Lady Bird”, Greta Gerwig, que não ganhou nada, e a diretora de fotografia de “Mudbound”, Rachel Morrison, a primeira mulher a ser indicada nesta categoria e toda a história do Oscar, que também não foi premiada.

O grande momento da diversidade esteve na vitória de filmes como “A Forma da Água”, que fala de poder e traz dois personagens femininos muito importantes na trama (Sally Hawkins e Octavia Spencer), “Viva – a Vida É uma Festa”, animação cujo tema é a cultura mexicana e sua memória dos mortos, e “Uma Mulher Fantástica”, como Melhor Filme Estrangeiro (Chile) – com direção de Sebastián Lelio, que conta a história de uma mulher (interpretada pela atriz transexual Daniela Vegas) que luta contra a opressão da família de seu marido morto.

Uma sombra de surpresa ficou com o Oscar de Melhor Roteiro Original para o filme “Corra!”, de Jordan Peele, deixando para trás produções como a própria “A Forma da Água”, “Lady Bird” e “Três Anúncios para um Crime”.

Veja lista completa dos vencedores do Oscar 2018

Melhor Filme

“A Forma da Água”, com produção de J. Miles Dale e Guillermo del Toro.

Melhor Direção

Guillermo del Toro (“A Forma da Água”).

Melhor Atriz

Frances McDormand (“Três Anúncios para um Crime”).

Melhor Ator

Gary Oldman (“O Destino de Uma Nação”).

Melhor Ator Coadjuvante

Sam Rockwell (“Três Anúncios para um Crime”).

Melhor Atriz Coadjuvante

Allison Janney (“Eu, Tonya”).

Melhor Roteiro Original

Jordan Peele (“Corra!”).

Melhor Roteiro Adaptado

James Ivory (“Me Chame pelo Seu Nome”).

Melhor Animação

“Viva – A Vida é uma Festa”, de Lee Unkrich e Darla K. Anderson.

Melhor Documentário em Curta-Metragem

“Heaven is a Traffic Jam on the 405”, de Frank Stiefel.

Melhor Documentário em Longa-Metragem

“Ícaro”, de Bryan Fogel e Dan Cogan, documentário da Netflix.

Melhor Filme Estrangeiro

“Uma Mulher Fantástica”, do Chile, com direção de Sebastián Lelio.

Melhor Curta-Metragem

“The Silent Child”, de Chris Overton.

Melhor Curta em Animação

“Dear Basketball”, de Glen Keane e Kobe Bryant.

Melhor Canção Original

“Remember Me”, de Viva – “A Vida é uma Festa”, composta por Kristen Anderson-Lopez e Robert Lopez. Cantada por Miguel, cantor e compositor negro americano.

Melhor Fotografia

“Blade Runner 2049”, com direção de fotografia do britânico Roger Deakins.

Melhor Figurino

“Trama Fantasma”, assinado por Mark Bridges.

Oscar de Melhor Maquiagem e Cabelo

“O Destino de Uma Nação”, com a assinatura de Ivana Primorac, Kazuhiro Tsuji, David Malinowski e Lucy Sibbick.

Melhor Mixagem de Som

“Dunkirk”, com mixagem assinada por Mark Weingarten, Gregg Landaker e Gary A. Rizzo.

Melhor Edição de Som

“Dunkirk”, com edição de Richard King e Alex Gibson.

Melhores Efeitos Visuais

“Blade Runner 2049”, com efeitos assinados por John Nelson, Paul Lambert, Richard R. Hoover e Gerd Nefzer.

Melhor Design de Produção (Direção de Arte)

“A Forma da Água”, com design de Paul Denham Austerberry (Decoração de Cenário de Shane Vieau e Jeff Melvin).

Melhor Montagem

“Dunkirk”, com montagem de Lee Smith.

Melhor Trilha Sonora

“A Forma da Água”, com trilha do compositor francês Alexandre Desplat.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.