Filmes de Mariani, Caru Alves e Ana Vaz selecionados para Berlim

“Cidade Pássaro” conta a viagem do músico nigeriano Amadi a São Paulo, em busca do seu irmão mais velho Ikenna

Rui Martins

O Festival Internacional de cinema de Berlim começará dia 20 de fevereiro, porém acabam de ser revelados os três primeiros filmes brasileiros selecionados para três mostras diferentes – Panorama, Geração e Forum Expanded – são “Cidade Pássaro”, “Meu Nome É Bagdá” e “Apiyemiyeki”?

A mostra Panorama revelou os 18 primeiros filmes selecionados, dos quais onze são estreias mundiais, como é o caso do filme brasileiro “Cidade Pássaro”. O tema principal da mostra é a situação dos imigrantes. Haverá na mostra Panorama um destaque para as mudanças provocadas na Alemanha com a chegada do milhão de imigrantes, um recorde de acolhimento entre os países europeus.

Cena do filme “Cidade Pássaro” | Foto: Divulgação

Pouco ainda se sabe do filme brasileiro, “Cidade Pássaro”, de Matias Mariani, que irá estrear em Berlim. O enredo resumido, divulgado pela Berlinale, conta a viagem do músico nigeriano Amadi a São Paulo, em busca do seu irmão mais velho Ikenna, do qual estava há muito tempo sem notícias. Porém, não há notícias de Ikenna, o filme tem ares de uma exploração enigmática em múltiplos níveis.

A mostra Geração, centrada principalmente nos jovens e suas buscas, revela os primeiros vinte filmes selecionados. Entre eles, o brasileiro “Meu Nome É Bagdá”, de Caru Alves de Souza, tem como foco o mundo das skatistas em São Paulo e o machismo com preconceito que ainda continuam a dominar em suas relações. Mas Bagdá e suas companheiras enfrentam o desafio.

Enfim, “Apiyemiyeki”?, da artista visual Ana Vaz, na mostra Forum Expanded, assume um tema capaz de desagradar o governo, ao que parece interessado em desmontar a cultura indígena. O tema é o povo indígena Waimiri-Atroari, obrigado a deixar suas terras em 1970 para ser construída a estrada que ligou Manaus a Boa Vista.

Não houve ainda revelação dos filmes selecionados para a principal competição internacional. Mas já se sabe qual será o filme de abertura do Festival. Será uma visão moderna de Pinóquio, pelo cineasta Matteo Garrone com Roberto Benigni no papel principal. Estará fora de competição.

Rui Martins, colaborador do Jornal Opção, estará no Festival de Cinema de Berlim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.