Estilista Karl Lagerfeld, da Chanel, morre aos 85 anos

Ele foi internado às pressas em Paris na segunda-feira. A causa da morte ainda não foi revelada

Karl com seu xodó, a gata Choupette. Foto: Reprodução/Facebook

Um dos maiores ícones do mundo da moda, o estilista alemão Karl Lagerfeld, morreu na manhã desta terça-feira (19), em um hospital de Paris, aos 85 anos. Segundo a revista Purepeople, Karl deu entrada em um hospital de Paris na segunda-feira (18) em uma internação de urgência. A causa da morte ainda não foi anunciada.

De acordo com a agência Reuters, uma fonte da Chanel confirmou a morte do designer, embora a empresa ainda não tenha feito nenhum comunicado oficial em suas redes sociais.

Segundo a publicação, a saúde de Karl já causava preocupações há algumas semanas. O diretor artístico da Chanel chegou a faltar em um dos desfiles da marca em janeiro. Na ocasião, a Chanel alegou que o motivo da ausência de Karl era “apenas cansaço”.

Lagerfeld nasceu em Hamburgo, Alemanha, em 1933. Ele alega que nasceu em 1938 de Elisabeth (nascida Bahlman) e Otto Lagerfeld. Insisita que ninguém sabia de verdade sua data de nascimento real. Sua marca registrada era o visual marcante: cabeleira branca, luvas de couro com os dedos à mostra e óculos escuros.

Criou sua própria maison de alta costura em 1984, sempre com a intenção perpetuar o espírito da estilista fundadora Coco Chanel, morta em 1971, e se tornou um ícone fashion.

Ao longo da carreira, passou por diversos nomes importantes da moda mundial: Balmain, Jean Patou, Tiziani e mais notadamente Chloé, de 1964 a 1988 (ele voltaria pra marca durante um breve período na década de 90), e Fendi, de 1972 até hoje, fora a própria Chanel.

Também se envolveu em várias polêmicas. Entre outras coisas, defendia a indústria de peles e do uso de peles na moda. Em 1994, usou um verso do Alcorão em sua coleção de alta-costura Primavera para a Chanel. Criou um furor internacional em 2012, quando disse que a cantora Adele era “um pouco gorda demais” e fez críticas à Pippa Middleton, irmã de Kate, Duquesa de Cambridge.

Lagerfeld também era fotógrafo. Ele produziu Visionaire 23: Roupa Nova do Imperador, uma série de fotos nuas de modelos e celebridades. Ele também fotografou pessoalmente Mariah Carey para a capa da V Magazine, em 2005. Além de seu trabalho editorial para Harper Bazaar, Numéro e edições russas e alemãs da Vogue, Lagerfeld fez campanhas publicitárias sob sua direção para casas como Chanel, Fendi, e sua grife homônima.

Lagerfield era também um aficionado por música. Diziam que mantinha mais de 100 iPods cheios de música e até empregou uma “babá do iPod” para manter os dispositivos atualizados.

Acreditando que “a música dá cor ao ar do momento”, ele recrutou nomes como Sir Elton John, Pharrell Williams e Chromatics para fazer a trilha sonora de seus desfiles. Ele também assinou o trabalho de arte para a divulgação do single “Shake It Out”, de Florence and The Machine.

Além disso, Lagerfield projetou roupas para Lady Gaga, Rihanna e Lily Allen. “Você me fez sentir como uma princesa”, escreveu Allen em um post de homenagem. “Eu nunca entendi o que você viu em mim, mas sou eternamente grata pelo apoio que você e a Chanel me deram nos últimos 15 anos. Descanse em paz Karl, você foi um verdadeiro gênio e sentirá muita falta. ”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.