Documentário conta a história de André Custódio, o dono do bar e restaurante Cliff

O empresário trouxe para brilhar em Goiânia Mercedes Sosa, Jean-Luc Ponty, The Platters, Jeff Cole, Martinho da Vila, Ney Matogroso, Elizeth Cardoso e Ivan Lins

O jornalista Marcos Gomes, autor do documentário “Bons Tempos Goiânia”, é um craque como diretor e roteirista. No sábado, 5, ele lança, no YouTube, o documentário “O Criador do Cliff” sobre André Luiz Alves Custódio, o Andrezinho.

O empresário André Custódio é uma lenda da noite goiana. Houve um tempo no qual, se não frequentasse o Cliff, a pessoa estava por fora do que havia de bom em Goiânia (comida, música, bons-papos).

Elizeth Cardoso cantou no Cliff um mês antes de morrer | Foto: Reprodução

Localizado no Setor Oeste, o Cliff era um bar e restaurante, que chegou a ser reconhecido pela revista “Quatro Rodas” — autora de um guia respeitado em todo o país —, registra Marcos Gomes, “como uma das melhores casas noturnas do país”.

Estrelas que brilharam no Cliff: Mercedes Sosa, Jean-Luc Ponty, The Platters, Jeff Cole, Martinho da Vila, Ney Matogrosso, Emílio Santiago, Ivan Lins, Beth Carvalho, Alcione, Nelson Gonçalves, Cauby Peixoto, João Caetano, Pádua, Fernando Perillo, Soila Steter, William José, Anete Teixeira, Bazú, Gilberto Corrêa, Valter Mustafé, Marcos Antônio, entre outros.

O cantor Emílio Santiago com a jornalista Ana Manuela e o empresário André Custódio, no Cliff, em Goiânia | Foto: Reprodução

Marcos Gomes sublinha que André Custódio era um empreendedor e, ao mesmo tempo, um humanista. “Ele acreditava em cultura”, postula o documentarista.

O documentário contém informações e depoimentos de familiares de André Luiz — como Margareth Custódio, sua viúva, Taciano Melo Custódio, filho mais velho, e Gustavo Pompeu, sobrinho e parceiro — e de jornalistas, cantores e instrumentistas. “Nós realçamos a importância do legado cultural, musical e gastronômico deixado por André Custódio”, sublinha Marcos Gomes.

Espera-se que, a partir do documentário, Marcos Gomes escreva um livro sobre André do Cliff.

Padecendo da Doença de Pick, “uma enfermidade degenerativa”, André Custódio morreu em 9 de janeiro de 2022.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.