Dez documentários para quem gosta de artes visuais

Filmes sobre Frida Kahlo, Joan Miró, David Hockney, Francisco Brennand e Rodin estão entre os destaques

Quem é apaixonado pelas artes visuais pode conhecer ou se aprofundar na vida, na obra e no processo criativo de artistas mais consagrados no Brasil e no mundo. Há um rico acervo de filmes sobre grandes nomes da pintura, escultura e instalações. As produções retratam também épocas e estilos diversos, do barroco ao contemporâneo, do século XVII à atualidade.

Confira dez destaques:

Cildo: Cildo Meireles é um dos principais artistas plásticos brasileiros. Conduzido pelas palavras do próprio Cildo, o filme dirigido por Gustavo Moura percorre suas obras, procurando entender o processo criativo e o pensamento do artista. Do ateliê onde trabalha às grandes exposições internacionais de Inhotim, em Minas Gerais, ao Tate Modern, em Londres do Cruzeiro do Sul ao Desvio para o Vermelho, o filme faz uma trajetória reflexiva e profundamente sensorial. Classificação: 10 anos.

O Mundo Segundo Anish Kapoor: Multicultural mágico, perfeccionista estético e engenheiro do impossível, o escultor Anish Kapoor avança em novos desafios artísticos e técnicos, como em sua enorme estrutura inflável, com a qual tomou conta do Grand Palais, em Paris, na exposição Monumenta 2011. Esse documentário, dirigido por Heinz Peter Schwerfel, recria o mundo de acordo com Kapoor, através de uma jornada desde seus estúdios em Londres até instalações permanentes de Chicago e Nápoles, passando por exposições em Bilbao, Bombaim e Deli. Classificação: 10 anos.

Diego Velázquez – Realismo Selvagem: O documentário, dirigido por Karim Ainouz, traz um olhar pouco explorado sobre a obra de Diego Velázquez, artista que buscou incessantemente o realismo humano através do tratamento da luz e do espaço ao redor dos personagens de suas obras. O filme escapa de qualquer recurso didático e tenta recriar a ligação emocional entre o trabalho de Velázquez e o olhar do público. Classificação: Livre.

Magritte, Noite e Dia: As memórias e os lugares que o artista visitou são evocados nesse documentário, dirigido por Henri de Gerlache e produzido pela ARTE France, que traz uma visão geral da vida pessoal e artística de Magritte. Classificação: Livre.

A Casa Azul de Frida Kahlo: A Casa Azul, localizada na Cidade do México, é onde Frida Kahlo nasceu (1907) e morreu (1954). Esse documentário relembra as aventuras ali vividas, não só por Frida e o pintor Diego Rivera, mas também por personalidades como Leon Trotsky, André Breton, Sergei Eisenstein, Pablo Neruda, Waldo Frank, Pablo Picasso, Marcel Duchamp, Vassily Kandinsky, entre outros. A Casa Azul consolidou arte e revolução do Surrealismo Mexicano, no velho e no novo mundo. A direção é de Xavier Villetard. Classificação: Livre.

Joan Miró de Perto: Joan Miró é uma figura icônica no mundo artístico. Quanto mais o tempo passa, mais seu trabalho se torna universal: ultrapassa fronteiras e gêneros, vai além de museus, está nas paredes de prestigiadas instituições e se estende ao design e à arquitetura. Este documentário, dirigido por Albert Solé, traz a excepcional presença de Joan Punyet Miró, seu administrador e neto, e acessa seu estúdio, revelando arquivos nunca vistos para descobrir a faceta menos conhecida do artista: sua privacidade. Classificação: Livre.

Maria – Não Esqueça que Eu Venho dos Trópicos: Os diretores Elisa Gomes e Francisco C. Martins investigam a vida e a arte de Maria Martins (1894-1973), hoje reconhecida como uma das maiores escultoras brasileiras e também celebrada por suas gravuras e textos. O filme revela a grandiosidade da obra de Maria e sua ousadia ao tratar da sexualidade a partir da perspectiva feminina, em uma poética transgressora e pioneira. Em paralelo, resgata sua vida como esposa de um importante diplomata e a ligação com Marcel Duchamp, em uma relação de colaboração mútua entre os dois artistas. Classificação: 10 anos.

David Hockney – Tempo Recuperado: Ele é uma figura importante no movimento pop art; um dos artistas mais populares e influentes de sua geração. O lado altamente pessoal e emocional de seu trabalho é muitas vezes negligenciado, assim como a intensidade e a individualidade que ele demonstrou em cada um de seus períodos e estilos sucessivos. Através de imagens, anedotas e detalhada análise pictórica, este documentário destaca como o renomado pintor desafia classificações e permanece misterioso de muitas maneiras: um artista intenso, profundo e infinitamente apaixonado. Classificação: Livre.

Francisco Brennand: Francisco Brennand é pintor, desenhista, escultor e ceramista. Desde 1971, viveu isolado em seu ateliê-oficina num bairro distante do centro da cidade do Recife. O filme, de Mariana Brennand Fortes, narra a trajetória do artista a partir do diário escrito pelo artista, onde ele reescreve sua vida há mais de 60 anos. Classificação: Livre

Rodin Em Seu Tempo:  Parte importante da efervescência cultural e intelectual da belle époque, Auguste Rodin concebeu obras envolvidas pela ousadia e genialidade de seu tempo. O filme, dirigido por Claire Duguet e Leslie F. Grunberg, traz não apenas a história do escultor, mas o espírito permanente que suas criações deixaram na sociedade. Classificação: Livre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.