De Caetano a Beatles, ÔÇ£Rosa BlancaÔÇØ marca nova etapa na carreira de Fernando Perillo

M├║sico Fernando Perillo: ÔÇ£O pa├¡s n├úo tem sabido se cuidar muito bem. Acabamos com o futebol, como temos acabado com a m├║sica. Precisamos reverter issoÔÇØ | Foto: Divulga├º├úo

M├║sico Fernando Perillo: ÔÇ£O pa├¡s n├úo tem sabido se cuidar muito bem. Acabamos com o futebol, como temos acabado com a m├║sica. Precisamos reverter issoÔÇØ | Foto: Divulga├º├úo

Com participa├º├Áes especiais, como Nila Branco, o ├ílbum mostra a jornada do m├║sico que tamb├®m ├® compositor e conhece as dificuldades de uma profiss├úo dura de se seguir

Cultivo una rosa blanca
en junio como enero
para el amigo sincero
que me da su mano franca

Y para el cruel que me arranca
el coraz├│n con que vivo
cardo ni ortiga cultivo
cultivo la rosa blanca
Jos├® Mart├¡

Yago Rodrigues Alvim

Filho de Palmeiras de Goi├ís, Fernando Perillo come├ºou a tomar gosto pela m├║sica e a tocar alguns instrumentos com os amigos. Logo formou com eles um corpo de baile e embalou, noite adentro, can├º├Áes da d├®cada de 1970. O of├¡cio livrou qualquer preconceito do m├║sico, que, mesmo com as suas prefer├¬ncias, agradava o p├║blico. ÔÇ£A m├║sica tem que ser boaÔÇØ, diz ele.

J├í na capital goiana, com os efervescentes festivais de m├║sica, passou a compor junto a nomes como Jo├úo Carlos, Jo├úo Caetano, Silvo Barbosa, Boror├│, Cesar Canedo e, ainda, Marcelo Barra. Mais que cantor e instrumentista, Perillo seguiu carreira al├®m das festas e festivais. Cantava em barzinhos, as famosas choperias da ├®poca, que muito ajudou os m├║sicos a se profissionalizarem, como diz ele ÔÇö ÔÇ£ganh├ívamos cach├¬sÔÇØ.

Ainda no in├¡cio dos anos 1980 e com a d├║vida do que fazer na vida, ele se decidiu por seguir a carreira de m├║sico. ÔÇ£Sinal de VidaÔÇØ, ├ílbum de estreia lan├ºado em 1982, deu in├¡cio ├á jornada de Perillo que, muito recentemente, mostrou ao p├║blico, hoje do mundo todo, seu novo trabalho, o intitulado ÔÇ£Rosa BlancaÔÇØ.

A estreia na carreira sinalizava um caminho frut├¡fero, pois o ÔÇ£muito bem aceitoÔÇØ disco deu a ele vontade de seguir na vida de m├║sico, sempre com shows e viagens que seguem at├® hoje, com o novo ├ílbum. Ele conta que, at├® ent├úo, n├úo tinha uma m├║sica goiana, feita na cidade, como se faz atualmente.

ÔÇö A m├║sica goiana ├® uma m├║sica autoral, a qual ├® muito dif├¡cil dar vida, pois nunca tivemos empres├írios que investissem pesadamente, como existe na m├║sica sertaneja atual. Ainda assim, seguimos sempre como artistas independentes. Por sorte, de um tempo para c├í, as leis nos t├¬m ajudado. O Brasil ├® um pa├¡s de culturas, mistura que d├í um resultado muito interessante e que ├® valorizado l├í fora, onde j├í fiz shows, como ├üustria e Fran├ºa, que t├¬m uma vis├úo muito boa da nossa m├║sica. Atualmente, perdemos muito em qualidade musical, como perdemos em tudo no Brasil; afinal, o pa├¡s n├úo tem sabido se cuidar muito bem. ├ëramos pentacampe├Áes de futebol, e hoje… Las┬¡tim├ível. Acabamos, portanto, com o futebol, como temos acabado com a m├║sica, que sempre foi fator de enobrecimento do pa├¡s, por seus grand├¡ssimos compositores. Percebemos isso tamb├®m quanto ├á renova├º├úo da m├║sica. No entanto, como renovar, se tev├¬s e r├ídios n├úo tocam as m├║sicas de novos artistas, j├í que ├® preciso um investimento que n├úo acontece? Vivemos uma perda lastim├ível no mundo da m├║sica.

Mundo este que deu a ele grandes influências. A música popular brasileira era riquíssima quando começou a carreira, conta ele. Vivia uma efervescência de artistas como Caetano, Gil, Tom, João Gilberto, Gonza­guinha, Bethânia, Simone, Gal, Roberto Carlos e muitos outros que foram fundamentais para que se tornasse músico.

Perillo diz que os copiava, uma vez que os bailes e os barzinhos exigiam um repert├│rio de m├║sicas estouradas da ├®poca. Aprendiam e apreendiam como compor. Al├®m dos citados nomes, Milton e cl├íssicos do rock in┬¡ternacional como os Beatles e Rolling Stones, al├®m da m├║sica caipira, com Ti├úo Carreiro, alimentavam Perillo. Ele conta ainda dos circos que levavam duplas sertanejas para os quatro cantos do pa├¡s. ÔÇ£Em Palmei┬¡ras, eu vivia pr├│ximo a uma pra├ºa, onde se instalavam os circos e, tamb├®m, os m├║sicos, com quem eu aprendiaÔÇØ, narra.

As misturas sonoras desaguaram nos seus diversos ├ílbuns. ÔÇ£Rosa BlancaÔÇØ nasceu de um poema de Jose Maria Mart├¡, de mesmo nome. Poeta revolucion├írio, Mart├¡ foi morto es┬¡quartejado em 1895, quando Cuba ainda era col├┤nia da Espanha. ÔÇ£Pac├¡fico poemaÔÇØ, m├║sica que tem a participa├º├úo de Nila Branco, resguarda o tom que borda o disco. ÔÇ£Ele tem disso, de paz.ÔÇØ Gravada em espanhol, a can├º├úo musicada por Perillo se junta as nove demais, que marcam a parceria com Nasr Chaul e Marcos Caiado.

Da primeira leva de parceiros, Chaul d├í a Perillo grande liberdade nas diversas formas que comp├Áem, seja come├ºando pela letra ou m├║sica. J├í Caiado, brinca Perillo, ├ás vezes fica bravo quando mexe muito no poema escrito por ele, que ├® ÔÇ£muito atualizado e de boas ideiasÔÇØ ÔÇö acrescenta o m├║sico.

ÔÇö O disco ├® muito importante para minha carreira. Eu fiquei muito contente de t├¬-lo feito, pois j├í h├í alguns anos, eu vinha gravado discos com o goiano e produtor da Globo, Ricardo Le├úo. Ele, que tem um bom est├║dio no Rio de Janeiro, n├úo pode gravar e me sugeriu que eu buscasse o Andr├® Vasconcellos, o que se deu em um disco aberto a novas sonoridades. Ele, co┬¡mo ├® um bom m├║sico e j├í tocou at├® com Djavan, levou para o est├║dio os melhores instrumentistas. Fizemos um disco diferente, pois todos estavam ao mesmo tempo no est├║dio; ent├úo, ├® sem nenhum retoque. Foi como um disco ao vivo. Uma experi├¬ncia t├®cnica e est├®tica.

Lan├ºado em junho, o ├ílbum ainda tem uma agenda cheia de shows. ÔÇ£AdultoÔÇØ, como lembrou Perillo da defini├º├úo do produtor Vasconcellos, o ├ílbum mantem a maneira do cantor e instrumentista de fazer m├║sica. ÔÇ£Segundo Paulo Rolim, ├® meu melhor discoÔÇØ, lembra ele, dono de uma blanca rosa que vale a pena apreciar.

Uma resposta para “De Caetano a Beatles, ÔÇ£Rosa BlancaÔÇØ marca nova etapa na carreira de Fernando Perillo”

  1. Parabéns, Yago, pela matéria. É preciso dizer aos fãs do Perillo que o disco – que vê seu fim nessa mídia CD – já está disponível no Deezer… Veja o link abaixo. Sinal de que Fernando está preparado p’ra um novo salto no futuro, uma nova etapa.
    http://www.deezer.com/track/124960120?utm_source=deezer&utm_content=track-124960120&utm_term=325568253_1471462767&utm_medium=web

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.