Contos marcianos (11): Problemas técnicos, de João Paulo Lopes Tito

Na Terra, telespectadores assistiam 24 horas por dia as aventuras do casal em Marte, no que se tornou conhecido como o primeiro reality show espacial

(Com o apoio do escritor e doutor em História Ademir Luiz, o Jornal Opção começa a publicar uma série do que se pode chamar de “contos marcianos” ou de contos galácticos. As viagens espaciais estão, afinal, na ordem do dia.)

Problemas técnicos

João Paulo Lopes Tito

Loreta despejou a água fervendo no filtro, e instantaneamente o cheiro de café tomou conta da cozinha. Nem três minutos depois, Otávio surgiu pela porta, puxando fundo o ar.

— Adoro o cheiro de café pela manhã. Ainda mais, passado pelo meu amor.

— Eu sei, minha vida. Conhece mais alguém que faz isso por você?

Riram juntos. Otávio deu duas goladas e mastigou a torrada crocante, fresquinha! Abriu o jornal e prostrou o olho na primeira capa. “Mortalidade sobe na periferia”. “Ministro alerta para o aumento do Cofins”. “Surita surge seminua em foto elogiada por fãs”. “Vila Nova perde mais uma”. Sempre a mesma baboseira.

— Muito serviço hoje, benzinho?

— Demais. Você nem imagina. Mas me espere para o jantar!

Pegou o capacete apressado, fixou na alça de pressurização e digitou o código de inicialização de sequência de ejeção. Aguardou a voz mecânica do robô Bishop sinalizar a autorização para destrave da câmara de desinfecção, e partiu para o serviço.

Loreta e Otávio, brasileiros, casados, sem filhos, foram sorteados dentre outros milhões de casais voluntários no mundo todo para a primeira missão terráquea de colonização de Marte. Numa parceria mais do que improvável entre a NasaA e as agências espaciais da China, da Rússia, de Java e o empresário multibilionário Melon Tusk, a Operação Vassilyev se tornou o grande trunfo da humanidade para salvar a espécie de uma terrível pandemia que já durava anos. A diretriz do comando espacial era para não divagarem do plano bíblico. Gênesis 9:7.

Na Terra, telespectadores assistiam 24 horas por dia as aventuras do casal em Marte, no que se tornou conhecido como o primeiro reality show espacial. E, naquela noite, a audiência bateu recordes, porque Otávio bebeu demais no posto avançado de descarte de estruturas ociosas, e chegou no iglu homeostático depois das dez.

— Otávio Mendonça de Araújo Júnior! Onde o senhor estava até essa hora?

— Em Marrrrte.

— Não me venha com ironias! Que estou te esperando desde às 5 para lavar as sondas!

— Moza, vozê é a quem mês?

— Otávio! Você não era assim! — colocou o rosto entre as mãos e saiu chorando para a cápsula conjugal.

Otávio sentou-se, reflexivo, recendendo vodca chinesa.

— Os homezzz zão de Marrrrte. As mulherez de Vênus. Aqui eu que mando!

O áudio do controlador no rádio do traje não deixava dúvidas: “Houston, temos um problema”. Mas no Twitter, um telespectador via oportunidades: “Fogo no parquinho! Marte já demanda seu primeiro advogado de família!”.

João Paulo Lopes Tito é escritor e crítico de cinema. É colaborador do Jornal Opção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.