Caprichoso e Garantido recebem título de Patrimônio Cultural do Brasil

Homenagens foram entregues pelo presidente, Michel Temer, e o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão. Solenidade teve apresentação da Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás 

Caprichoso e Garantido são agora Patrimônio Cultural do Brasil (Divulgação)

O presidente Michel Temer entregou nesta quarta-feira  (28) a Ordem do Mérido Cultural a 35 pessoas e entidades pelas realizações e atividades prestadas na área da cultura brasileira. O título é entregue desde 1995, período em que mais de 700 artistas e entidades já foram contempladas. Com o tema Cultura gera Futuro, o foco desta edição do evento foi a promoção do desenvolvimento econômico e social por meio da economia criativa no setor cultural.

Durante a cerimônia, os Bois-Bumbás Caprichoso e Garantido receberam o certificado de Patrimônio Cultural Brasileiro. Representantes das duas manifestações se apresentaram no Salão Nobre do Palácio do Planalto, onde ocorreu o evento. O atores Carlos Vereza e Milton Gonçalves, que já haviam sido agraciados em edições anteriores, foram promovidos à Classe Grã-Cruz, o mais alto grau da ordem.

O presidente Michel Temer entrega medalha da Ordem do Mérito Cultural. Durante a cerimônia, os Bois-Bumbás Caprichoso e Garantido, se apresentaram e receberam o certificado de Patrimônio Cultural Brasileiro.
O presidente Michel Temer entrega medalha da Ordem do Mérito Cultural. Durante a cerimônia, os Bois-Bumbás Caprichoso e Garantido se apresentaram e receberam o certificado de Patrimônio Cultural Brasileiro. – Wilson Dias/Agência Brasil

Na mesma categoria foi agraciado, em memória, o apresentador de televisão Chacrinha. Na classe Comendador, receberam a homenagem a mestra cirandeira paraibana Vó Mera, referência na divulgação do coco de roda, o produtor de cinema Carlos Saldanha, responsável pelas animações A Era do Gelo e Rio, a atriz e bailarina Eva Wilma e o integrante do grupo Os Trapalhões Dedé Santana. Na Classe Cavaleiro foram reconhecidas personalidades como o bailarino reconhecido internacionalmente Thiago Soares e a cantora Wanda Sá.

Dentre as instituições destacadas este ano estão o centenar Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, o Festival VillaMix, o Museu de Arte de São Paulo, a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais e o Museu da Gente Sergipana, primeiro museu interativo do Nordeste.

Após conceder os títulos, Temer reconheceu a importância de se trabalhar com o conceito da economia criativa e a participação de artistas no engrandecimento e divulgação da cultura do país. “Eu vejo esta solenidade como um tributo ao imenso talento e à imensa criatividade do Brasil e dos brasileiros. Não são poucos os nossos escritores, atores, comentaristas que têm presença significativa no nosso país, mas também uma extraordinária presença em outros países.

A homenagem, que é considerada a maior honraria concedida no setor cultural, contou com apresentações musicais da Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás.

Políticas culturais

A primeira-dama, Marcela Temer, e o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, participaram da solenidade. Além de defender como “eixo central” do retorno das políticas culturais no país o estímulo das atividades criativas, o ministro afirmou que a “arte e a cultura” são atividades “próprias dos indivíduos, e não do Estado”. “Nosso papel é estimular e fomentar, jamais fazer. Menos Estado significa mais desenvolvimento e mais liberdade”, disse.

Em uma espécie de balanço do período de um ano e quatro meses à frente da pasta, Sérgio Sá Leitão elogiou os trabalhos da equipe como “incansáveis” na busca da eficiência da gestão. “Em nossa área, presidente [Temer], o senhor vai entregar ao presidente eleito, Jair Bolsonaro, um ministério da Cultura muito mais estruturado e atuante. O passivo foi reduzido, a gestão aperfeiçoada, o dialogo ampliado, e os resultados elevados”, complementou.

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.