Berlinale seleciona filmes brasileiros

Brasil tem um lugar de destaque na mostra Panorama no Festival Internacional de Cinema de Berlim

Cena do filme “Bixa Travesty”, de Kiko Goifman e Cláudia Priscila

Rui Martins

O Brasil já tem um lugar de destaque assegurado na mostra Panorama, no próximo Festival Internacional de Cinema de Berlim (Berlinale, do 15 ao 25 de fevereiro).

Entre os onze primeiros filmes selecionados para essa mostra, sob o tema geral Desobediência, um é alemão em coprodução com o Brasil e a França, e dois são brasileiros.

O filme alemão é um documentário, ainda em realização, dirigido pelo cineasta brasileiro Karim Ainouz (de origem argelina) com filmagens do cotidiano de refugiados sírios e iraquianos recebidos pela Alemanha, vivendo nos hangares abandonados do antigo aeroporto de Tempelhof. O lugar onde esses refugiados esperam ter encontrado a segurança, é atualmente um parque de recreação para os berlinenses.

Karim Ainouz que, há três anos, participou da competição internacional da Berlinale com o filme “Praia do Futuro”, terminará o documentário “Aeroporto Central de Tempelhof” antes de fevereiro.

O segundo filme é “Ex-Pajé ou Ex-Xamã”, de Luiz Bolognesi, mostrando a iminência do etnocídio de um indígena Paiter Suruí, vivendo na bacia amazônica. É a história de um ex-xamã cristianizado, Perpera, que retorna aos espíritos que havia abandonado para preservar sua identidade cultural.

O terceiro é um filme de Kiko Goifman e Cláudia Priscila, “Bixa Travesty”, tratando da “política do corpo” e tendo com atriz a cantora transsexual Linn da Quebrada.

Deixe um comentário