Após 60 anos desaparecido, roteiro inédito de Stanley Kubrick é encontrado

Texto daquele que seria seu 14º longa-metragem seria uma adaptação do romance “Segredo Ardente”, escrito pelo austríaco Stefan Zweig em 1913

O diretor Stanley Kubrick | Foto: Reprodução

O despertar do ciúme e do conhecimento do que é a atração amorosa. Detalhe: em um garoto de apenas 12 anos! Manipulado por um homem que quer fazer dele um meio de se aproximar de sua bela mãe, o jovem sente o entusiasmo da amizade, a desilusão e o ciúme no ambiente de uma estância de veraneio onde quase não conhece mais ninguém.

A trama acima faz parte de uma adaptação, nunca filmada, do romance “Segredo Ardente”, escrito pelo austríaco Stefan Zweig em 1913. O roteiro foi escrito por ninguém menos que Stanley Kubrick e só agora, após cerca de 60 anos, foi finalmente encontrado, segundo informou o jornal inglês The Guardian.

O texto inédito daquele que seria seu 14º longa-metragem foi escrito pelo aclamado diretor em parceria com o romancista Calder Willingham, em 1956. Já haviam rumores sobre a sua existência desse há décadas, mas somente agora foi confirmada. Ainda segundo o The Guardian, há cerca de 100 páginas de material suficiente para a produção de um filme.

“É um roteiro completo, então pode ser finalizado por um cineasta atual”, disse Nathan Abrams, um estudioso da filmografia de Kubrick, ao Guardian. Esse “elo perdido” da história do cinema chegou às mãos de Nathan (vejam só) pelo Facebook. Ao consultar as mensagens inbox não lidas, se deparou com o arquivo, enviado pelo filho de um antigo colaborador de Kubrick.

De acordo com o jornal, as páginas estão marcadas com o selo do departamento de roteiros da MGM, que pode ter cancelado o projeto quando Kubrick quebrou seu contrato para filmar “Glória Feita de Sangue” (1957) na United Artists.

Abrams, no entanto, acredita que o enredo do adultério – que ele descreve como “o inverso da [adaptação de Kubrick de] Lolita” – poderia ter sido muito “arriscado” nos anos 1950, afirmando: “A criança age como um intermediário involuntário entre sua mãe e seu pretenso amante, criando uma história perturbadora a respeito da sexualidade e o abuso infantil sob sua superfície”. Imagine agora!

Apesar da história controversa, o proprietário do roteiro já afirmou que pretende vende-lo a grandes estúdios e, apesar de ainda não ter recebido ofertas, logo elas devem surgir. Afinal, estamos falando de Stanley Kubrick, considerado um dos melhores criadores da história. Dirigiu, entre outras coisas, nada menos que O Iluminado, Nascido para Matar, Spartacus, 2001: Uma Odisseia no Espaço e A Laranja Mecânica.

Deixe um comentário