Um estudo da Universidade Federal de Goiás (UFG) destacou a anatomia de oito espécies de orquídeas do gênero Cyrtopodium R. Br., popularmente conhecidas como sumarés, encontradas no Cerrado brasileiro (confira todas ao final). O artigo, publicado no periódico científico internacional Flora, foi um dos vencedores da sétima edição do Prêmio Internacional de Pesquisa em Ciência de Redes e Análise de Gráficos.

Os pesquisadores investigaram as estruturas dos órgãos vegetativos das plantas sob uma perspectiva taxonômica, macro e micromorfológica, evolutiva e ecológico-adaptativa, correlacionando-as com os ambientes em que as espécies ocorrem (Veredas, cerrado rupestre, matas ciliares, dentre outros). O objetivo foi levantar caracteres que permitam reconhecer melhor essas espécies e que reflitam as condições ambientais em que elas ocorrem.

O gênero Cyrtopodium compreende 50 espécies, das quais 37 são encontradas no Brasil, sendo 19 endêmicas. Algumas das espécies brasileiras são morfologicamente semelhantes, com formas de vida semelhantes, e são frequentemente confundidas em coleções de herbários (vegetais desidratados). Pela primeira vez para o gênero, foi relatado a presença de cristais em células epidérmicas, estrias e ceras epicuticulares, tricomas radiculares, espessamento phi e idioblastos espirais.

“Algumas [espécies] possuem uma cutícula mais espessa que as protegem da insolação e perda de água, outras um pseudobulbo aéreo ou enterrado, presença ou ausência de cristais ou tricomas na epiderme, alguns tipos e estruturas celulares peculiares, dentre outros. Cada característica pode revelar adaptações das espécies como, por exemplo, a proteção contra o fogo e contra a desidratação, comuns em regiões do Cerrado”, explica o pesquisador Igor Soares.

De acordo com o pesquisador, apesar de serem do mesmo gênero, algumas das espécies são facilmente reconhecidas, enquanto outras nem tanto, sendo confundidas, erroneamente identificadas ou mesmo não identificadas em coleções de herbários e em campo. Isso demonstra a importância das características levantadas pelos pesquisadores para a distinção das espécies e o entendimento das diferentes estratégias ecológico-adaptativas das orquídeas.

Quanto mais detalhes de cada espécie forem conhecidos, mais informações estarão disponíveis para reconhecê-las não só na natureza, mas em herbários, além de entender suas estratégias e adaptações aos ambientes em que vivem e sua história evolutiva.

Conheça algumas das espécies estudadas:

Cyrtopodium blanchetii Rchb. f.

Cyrtopodium blanchetii Rchb. f. | Foto: Arquivo Pessoal

Espécie ocorrente no Brasil e na Bolívia. Pode ser encontrada em campos rupestres, sujos ou limpos, e em cerrado rupestre, ralo ou denso. É terrestre e a única que apresenta pseudobulbos ovoides esbranquiçados enterrados, além de flores com calo do labelo lamelado.

Cyrtopodium confusum L.C. Menezes

Cyrtopodium confusum L.C. Menezes. | Foto: Arquivo Pessoal

Espécie endêmica do Cerrado do DF, GO, MG e SP. Cresce em matas de galeria. É terrestre com folhas largas, pseudobulbos ovoides vináceos e enterrados.

Cyrtopodium eugenii Rchb. f. & Warm

Cyrtopodium paludicolum Hoehne. | Foto: Arquivo Pessoal

Espécie ocorrente no Brasil e na Bolívia. É terrestre, sendo comumente encontrada em campos limpos, sujos em Veredas, solos usualmente hidromórficos. Apresenta pseudobulbos aéreos curto-fusiformes esverdeados e flores amarelas com pintas alaranjadas.

Cyrtopodium parviflorum Lindl

Cyrtopodium parviflorum Lindl. | Foto: Arquivo Pessoal

Espécie amplamente distribuída pelo Brasil, Guianas, Suriname, Trinidade e Tobago, e Venezuela. Cresce em campos sujos, limpos e rupestres. É terrestre com pseudobulbos aéreos curto-fusiformes verde-amarelados, folhas persistentes e flores vináceas.

Cyrtopodium saintlegerianum Rchb. f

Cyrtopodium saintlegerianum Rchb. f. | Foto: Arquivo Pessoal

Ocorre no Brasil e no Paraguai. É encontrada em matas ciliares, estacionais e em palmeirais, sendo a única espécie epífita de Goiás, que cresce sobre árvores e coqueiros e apresenta pseudobulbos longo-fusiformes e raízes emaranhadas em trash basket.

Cyrtopodium vernum Rchb. f. & Warm

Cyrtopodium vernum Rchb. f. & Warm. | Foto: Arquivo Pessoal

Espécie endêmica do Cerrado do DF, GO e MG. Pode ser encontrada em cerrado típico e em campos sujos e rupestres. É terrestre com pseudobulbos aéreos curto-fusiformes verde-amarelados e flores amarelo-avermelhadas.

Cyrtopodium withneri L.C. Menezes

Cyrtopodium withneri L.C. Menezes | Foto: Arquivo Pessoal

Espécie endêmica do Cerrado do DF, GO e MG. É a única de GO que cresce sobre rochas em áreas de floresta estacional com afloramentos rochosos, possui pseudobulbos longo-fusiformes e tricomas nas folhas.