O Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia) receberá investimentos do Governo de Goiás, por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás (Codego), de quase R$ 40 milhões em 2024. Hoje, aproximadamente 200 empresas estão instaladas no local e o objetivo é expandir o polo para a chegada de novas indústrias no município.

A Codego destinará recursos para melhorias no sistema de abastecimento de água e esgoto, drenagem, iluminação e pavimentação do Daia. Destas iniciativas, três licitações já foram lançadas: R$ 17 milhões para ampliação do Sistema de Abastecimento de Água do Daia, para a construção de reservatórios metálicos; R$ 7 milhões para reforma e ampliação da capacidade do sistema de tratamento de resíduos industriais em receber efluentes, que será de 250 l/s (o dobro da capacidade atual), e R$ 1,8 milhão na iluminação.

Conforme o edital, o eixo principal que corta o Daia, a GO-330, terá a iluminação revitalizada com luminárias em LED. O serviço será executado em aproximadamente seis quilômetros da rodovia estadual para promover mais segurança e conforto àqueles que transitam diariamente pelo polo.

DaiaPlam

A expectativa é garantir um salto de desenvolvimento para o estado, já que até 200 novos empreendimentos podem ser instalados no DaiaPlam, novo distrito de Anápolis, considerado uma expansão do Daia, que será implantado com 1,1 milhão de metros quadrados de área útil.

“Estamos preparando a expansão do Daia, que terá mais de 11 milhões de metros quadrados de extensão total. E seguindo uma determinação do governador Ronaldo Caiado, lançaremos uma licitação com um novo formato para a entrega das áreas do DaiaPlam, objetivando a transparência e a eficácia para que as obras das indústrias que serão instaladas comecem o mais rápido possível. Acreditamos que, assim, traremos mais empresas para Goiás, mais arrecadação e, acima de tudo, mais empregos e qualidade de vida para os goianos”, afirma o presidente da Codego, Francisco Júnior.

Investimentos no Daia

  • Valor total: R$ 38.837.000,00
    ✓ Ampliação do Sistema de Abastecimento de Água (construção de reservatórios metálicos): R$ 17 milhões
    ✓ Ampliação da iluminação pública do Eixo Principal: R$ 1.846.066,86
    ✓ Reforma e Ampliação da ETE: R$ 7.043.816,83
    ✓ Manutenção (impermeabilização e pintura) do reservatório elevado: R$ 217.767,09
    ✓ Troca do material filtrante da Estação de Tratamento de Água (ETA): R$ 317.828,82
    ✓ Complementação de Infraestrutura do Daia Norte (serviços de pavimentação, drenagem, água e esgoto): R$ 12.410.829,58

O que é o Complexo Daia

Com o apoio da União, o Governo de Goiás inaugurou o seu primeiro parque industrial planejado em Anápolis, em 9 de novembro de 1976. O evento contou com a presença do presidente da República à época, o general Ernesto Geisel, além de empresários e lideranças políticas.

Foram quase três anos de planejamento e obras para implantação do polo industrial, que nasceu com infraestrutura grandiosa, de primeiro mundo, e com capacidade para abrigar empresas de todos os portes.

O Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia) foi inaugurado com 80 mil metros quadrados de vias asfaltadas e 11 quilômetros de rede para drenagem de águas pluviais. Também foram construídas estações robustas de captação, tratamento e reservatórios de água, estações de coleta e tratamento de resíduos industriais, além de uma linha própria de alta tensão para abastecer as indústrias com energia elétrica e iluminação em todas as vias do Daia.

Pouco antes da virada do século, o Daia já contava com grandes empresas instaladas dos mais diversos segmentos, entre elas algumas do ramo farmacêutico. Atentos a essa demanda, o Governo de Goiás e a Codego têm promovido a expansão do maior distrito agroindustrial da região Centro-Oeste, que conta com um mix de quase 200 indústrias.

O Complexo Daia é formado pela área original e o Daia Norte, que somados chegam a 8,9 milhões de metros quadrados (m²), o Daia II, com 628 mil m², e o Daia Plam, que abrange o recém-integrado terreno de 1,7 milhão de m² da Plataforma Logística Multimodal.