Com informações de PH Mota

O plenário da Câmara Municipal de Goiânia aprovou em primeira votação na manhã desta quarta-feira, 14, por unanimidade, a proposta de Lei Orçamentária Anual (LOA 2023) do Executivo, que estima receita e fixa despesa para o orçamento municipal do próximo ano. A previsão é que a receita total da prefeitura chegue a quase R$7,3 bilhões. Ao todo, foram 481 emendas impositivas apresentadas pelos vereadores na Comissão Mista, com valor de R$ 2,18 milhões cada, com R$ 437 mil serão aplicados para a área de saúde. As emendas impositivas ficarão com R$ 76,4 milhões do orçamento municipal. A proposta segue para segunda votação da Casa.

A votação também fixou reserva de contingência em mais de R$ 109 milhões, R$ 461 milhões para investimentos e R$ 110 milhões para o subsídio do transporte público. Nesse caso, o valor será destinado ao custeio dos programas Bilhete Único, Passe Livre do Trabalhador e Meia Tarifa.

Além disso, a Lei Orçamentária Anual prevê para a área da saúde R$ 1,89 bilhão e para a educação, R$ 1,44 bilhão, cumprindo os percentuais definidos na Constituição.

Segundo o presidente da Comissão Mista, vereador Cabo Senna (Patriota), o acréscimo é de cerca de R$ 600 para cada parlamentar, o que irá permitir a realização de melhores feitos para o município. “Cada vereador saberá destinar seus recursos. No meu caso, será para construções de praças, campos de futebol e reconstrução ou melhoramento de cais, como em Campinas, por exemplo”, declarou ao Jornal Opção.