Em protesto contra o resultado das eleições presidenciais nesta quarta-feira, 2, bolsonaristas tumultuaram a região do Jardim Guanabara, zona norte de Goiânia, e atrapalharam o trânsito na Avenida Perimetral Norte, próximo ao Batalhão de Operações Especiais. No segundo turno, domingo, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) venceu Jair Bolsonaro (PL), mas os militantes mais radicais de extrema-direita não aceitam o resultado e promovem desordem desde o anúncio oficial.

Pedindo “intervenção militar” contra o veredicto das urnas, eles ocuparam a avenida e atrasaram viagens de carros, ônibus e caminhões. Muitos passageiros foram pegos de surpresa no meio do caminho, o que fez dobrar o tempo de alguns deslocamentos. Os manifestantes fecharam parcialmente a via. A Secretaria Municipal de Mobilidade (SMM) informou que acompanha o caso e que enviou agentes de trânsito ao local. As equipes serão responsáveis por garantirem a segurança viária e a fluidez do trânsito.

A manifestação desta quarta faz parte de um conjunto que começou nas rodovias no domingo, 30, após o resultado das eleições. Porém, após o Ministério Público de Goiás (MPGO) anunciar articulação para formar um plano de operação juntamente com às Forças de Segurança Pública para desobstruir rodovias que estão sendo palco de manifestações no estado, os trechos já foram liberados ainda na tarde desta terça-feira, 1º.

Ainda nesta terça-feira, 1º, o governo de Goiás informou que todas as vias foram liberadas e as rodovias já não estão mais sob manifestações da extrema-direita. O plano de operação definido foi acionado para desarticular ocupações e/ou interdições ao longo de rodovias estaduais e atendeu decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) encaminhada à Procuradoria Geral do Estado de Goiás (PGE-GO). Todas as desocupações se deram pacificamente.

A atuação das forças de segurança estaduais desmobilizou, nesta terça-feira, 1º, ocupação em 30 pontos diferentes de rodovias goianas em que militantes golpistas fomentavam o tumulto antidemocrático.