Durante os últimos dois anos, a Prefeitura de Goiânia anunciou que investiu cerca de R$ 200 milhões em obras de drenagem na capital. Ao mesmo tempo, em parceria com a Universidade Federal de Goiás (UFG), está sendo desenvolvido um Plano Diretor de Drenagem Urbana (PDDU). O estudo servirá para auxiliar na criação de políticas públicas e deve ser concluído em até 24 meses.

“Nosso compromisso é com a cidade, com as pessoas, é com Goiânia”, afirma o prefeito, ressaltando ainda a importância das obras de infraestrutura. “Buscamos a expertise da UFG para elaborar o Plano Diretor, que vai além do imediatismo adotado por outras gestões. Pela primeira vez, Goiânia terá um planejamento que abrangerá toda a cidade, com sistema de drenagem moderno, eficiente e eficaz na solução dos alagamentos para as próximas gerações”, acrescenta.

Segundo Cruz, a expectativa é de que o PDDU elaborado junto à UFG sirva para ajudar Goiânia durante os próximos 10 a 20 anos. Além de buscar a solução para 99 pontos de alagamento que estão sendo monitorados e mapeados, em parceria com a Defesa Civil. Até o momento, 70 dessas regiões já passaram por intervenções, incluindo o Jardim América, Bairro Feliz e Balneário Meia Ponte.

Com a chegada do período chuvoso, a capital tem um grande desafio pela frente. Além de finalizar as obras antes que as chuvas se intensifiquem, a cidade precisa evitar os alagamentos que ocorreram no último período. Em uma das ocasiões, um motoqueiro foi arrastado por uma enxurrada e foi encontrado morto no Córrego Cascavel.