A Polícia Civil (PC) prendeu nesta segunda-feira, 23, em Goiânia, um homem suspeito de extorquir uma mulher para liberar o filho dela de cativeiro. A corporação aponta que ele teria exigido dinheiro da família mesmo com a vítima morta. A investigação ainda está em curso para esclarecer se houve a participação de outra pessoa.

A apuração teve como ponto de partida um Registro de Atendimento Integrado (RAI) que comunicou o desaparecimento de Pedro Moreira da Silva Neto.

No dia 26 de junho deste ano, Pedro entrou em contato com a mãe pedindo a quantia de R$ 2 mil pois estaria sequestrado, mas não chegou a informá-la sobre o local do possível cativeiro.

Já no dia 15 de julho, a mãe da vítima recebeu novas mensagens via aplicativo WhastApp. A pessoa exigiu a quantia de R$ 3 mil para fins de libertação de Pedro, alegando que o valor exigido correspondia a uma suposta dívida de compras de drogas. Em decorrência das exigências, a vítima chegou a realizar duas transferências via chave pix. A primeira no valor de mil reais e a segunda no valor de R$ 700.

No entanto, o corpo de Pedro foi encontrado em estado de carbonização no dia 28 de junho no Setor Parque Oeste Industrial, em Goiânia, conforme laudo cadavérico e de confronto de DNA que identificou o cadáver como sendo do desaparecido.

Após investigação, a PC comprovou que o número utilizado para cometer os crimes de extorsão através do encaminhamento de mensagens por meio do aplicativo de WhatsApp pertence ao investigado, que foi preso. A prisão ocorreu quando ele chegava em seu apartamento, no Jardim Goiás, em Goiânia.