*Matéria publicada originalmente em 17 maio 2023

Goiânia é uma cidade repleta de opções para passeios pela cidade. Uma saída em barzinho, “rolê” em shoppings, caminhadas em parques e ainda visitas a museus. Escolhas não faltam e agradam todos os gostos, desde o mais boêmio ao mais culto.

Sabendo disso, o Jornal Opção resolveu preparar um pequeno guia com museus da cidade para se conhecer. Se você é goianiense e não sabia da existência de algum, ou se está como turista na cidade, não pode perder a oportunidade de aprender mais sobre a arte, história, literatura e cultura goiana.

Abaixo você encontra os nomes dos museus, bem como os horários de funcionamento, telefones para contato, o que cada um oferece e se há cobrança de ingresso ou não.

Instituto Histórico e Geográfico de Goiás

O Instituto Histórico e Geográfico de Goiás fica na Praça Dr. Pedro Ludovico Teixeira | Foto: Divulgação

Fundado em outubro de 1932, o Instituto tem como responsabilidade preservar uma variedade de materiais, como recortes de jornais e revistas, boletins informativos, acervo bibliográfico, acervo fotográfico, museológico, entre outros. Com isso, torna-se um excelente lugar para pesquisas de cunho histórico.

No site do instituto, há a Hemeroteca Digital IHGG, contendo diversos periódicos editados em 23 municípios. O destaque fica para a “Primeira Hora” (1957), jornal pioneiro a circular em Brasília.

É possível encontrar ainda relevantes jornais publicados em Itumbiara, Orizona, Jataí, Rio Verde, Goiandira, Caldas Novas, Ipameri, Anápolis, Buriti Alegre, Caçu, Catalão, Corumbá, Formosa, Goiânia, Goiás, Itaberaí, Morrinhos, Pirenópolis, Pires do Rio, Uberlândia (MG) e São Paulo (SP).

Além disso, foi disponibilizado ao público os números iniciais da “Revista de Educação” (1937), primeira do gênero em Goiás, e da “Revista Goiana de Jurisprudência e Legislação” (1939), do Tribunal de Justiça, além do exemplar número 1 da “Revista do IHGG” (1940).

Endereço: Praça Dr. Pedro Ludovico Teixeira, nº 455 – Setor Sul, Goiânia (GO) – 74083-010
Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira, de 8h às 17h
Valores e outras informações: (62) 3224-4622

Memorial do Cerrado

Memorial do Cerrado fica no Campus II da PUC-GO | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O Instituto do Trópico Subúmido, que é conhecido por Memorial do Cerrado, dispõe de uma representação do povo quilombola e de uma aldeia indígena, além de vilas cenográfica rural e urbana, que mostram, respectivamente, a estrutura de uma fazenda e como eram formadas as cidades do interior goiano.

Ademais, a fauna e a flora de Goiás são retratadas no memorial, que possui um viveiro de plantas nativas do Cerrado disponíveis para comercialização.

O local ainda abriga a estação Ciência São José do Instituto do Trópico Subúmido (ITS-UCG). Além da natureza preservada, os visitantes podem conferir a Vila Cenográfica de Santa Luzia, a réplica do Quilombo, a Fazenda Auto-sustentável e a Aldeia Timbira.

As construções de pau-a-pique representam as primeiras habitações do quilombo dos calungas. Ainda há animais empalhados para recriar a fauna do cerrado. No Museu de História Natural, pode ser visto objetos arqueológicos e de pesquisa.

Vale destacar que o cerrado é o segundo maior bioma do Brasil, ficandoa atrás apenas da Amazônia. O Memorial do Cerrado foi eleito ainda o lugar mais bonito de Goiânia em 2008.

Endereço: Câmpus 2 da PUC-GO – Av.Engler S/N, Setor Jardim Mariliza (próximo ao Parque Ateneu)
Horário de funcionamento: Segunda a sexta-feira, das 8h às 17h
Valor: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Para excursão, é necessário agendamento pelo e-mail [email protected]
Outras informações: 3946-1723

Museu Antropológico da UFG

Objetos exibidos no Museu Antropológico da UFG | Foto: Museu Antropológico UFG

Apesar de mais frequentado pela comunidade acadêmica, o Museu Antropológico da Universidade Federal de Goiás (UFG) também tem atrativos para o público em geral. Na última sexta-feira de cada mês, o local exibe uma sessão de cinema grátis para debater sobre o filme, discutindo relações com a sociedade atual.

O museu tem o objetivo de trazer discussões sobre a região Centro-Oeste. Para construir tal regionalidade, o local abriga imagens, sentimentos, símbolos e objetos significativos. Além do cinema, há eventos diversos, como seminários, oficinas, cursos, entre outros.

O visitante ainda tem a oportunidade de conferir achados científicos e grande acervo de objetos de tribos pré-colombianas. É um dos mais novos museus de Goiânia.

Endereço: Praça Universitária, Setor Universitário
Horário de funcionamento: terça a sábado, de 9h às 17h
Valor: entrada franca
Outras informações: 3209-6010

Museu de Arte Contemporânea

Museu de Arte Contemporânea (MAC) no Centro Cultural Oscar Niemeyer (CCON) | Foto: Leonardo Finotti/CCON

O Museu de Arte Contemporânea (MAC) possui um acervo de mais de 1,5 mil trabalhos. Eles são exibidos anualmente em mostras de longa duração.

O MAC está localizado no Centro Cultural Oscar Niemeyer (CCON), um complexo de espaços culturais construído em homenagem ao arquiteto brasileiro homônimo.

No local, além do MAC, tem a esplanada cultural Juscelino Kubitschek, uma praça de 26 mil m² que recebe exposições, eventos, shows, apresentações artísticas, entre outros. O museu é um dos edifícios presentes no CCON. Os outros são a Biblioteca Bernardo Élis e o Palácio da Música Belkiss Spenziere.

Endereço: Av. Deputado Jamel Cecílio, km 01, Chácaras Alto da Glória
Horário de funcionamento, valores e e outras informações: 3201-7610 ou 3201-8108

Museu de Arte de Goiânia (MAG)

(MAG abriga centenas de obras de artes visuais | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção)

Nos primeiros anos de sua inauguração, em 20 de outubro de 1970, o Museu de Arte de Goiânia (MAG) se localizava na Praça Universitária. Posteriormente, em 1981, ele foi transferido para o Bosque dos Buritis.

No acervo do MAG, é possível encontrar centenas de obras das artes visuais, das mais variadas linguagens artísticas, de nomes como Siron Franco, Antônio Poteiro, Frei Confaloni, DJ Oliveira, Gustav Ritter, Cleber Gouvêa, Amaury Menezes, Maria Guilhermina, entre outros.

Além disso, é opção ao visitante ainda oficinas de artes, biblioteca especializada, reserva técnica, conservação, restauração, intercâmbio e exposições.

Endereço: Rua 1, nº 605, Bosque dos Buritis, Setor Oeste
Horário de funcionamento, valores e outras informações: 3524-1190

Museu de Ciências da UFG

Museu de Ciências da UFG | Foto: UFG

O Museu de Ciências da UFG, também um dos mais novos da capital, trabalha com a comunidade acadêmica, mas também com o público geral.

O objetivo do museu é popularizar a ciência, a alfabetização científica e tecnológica, além da produção do conhecimento.

Endereço: Rua Samambaia, Chácaras Califórnia
Horário de funcionamento, valores e outras informações: (62) 3521-1329

Museu Frei Nazareno Confaloni

Fundado em 2019, o Museu Frei Nazareno Confaloni é o mais novo de Goiânia | Foto: Comunicação/Pref

Fundado em 2019, o Museu Frei Confaloni (MFC) tem o propósito de promover a ocupação permanente da recém-restaurada Estação Ferroviária de Goiânia. Para cumprir o objetivo, o local é repleto de traços culturais de Goiás, sobretudo do modernismo no estado, iniciado com o Frei Confaloni.

É uma construção em Estilo Art-Déco, o que faz com que seja uma das principais construções históricas de Goiânia. Além disso, é um dos mais importantes pontos turísticos goianiense.

No saguão principal, o visitante pode encontrar dois murais do artista italiano, Frei Confaloni, ambos pintados em 1953. São importantes obras por se tratarem de afrescos, feitos em areia, o que era bastante inovador para a época em Goiás.

Endereço: Rua 1, nº 605, Setor Oeste
Horário de funcionamento, valores e outras informações: (62) 3524-1196

Museu da Imagem e do Som (MIS)

Museu da Imagem e do Som de Goiânia, na Praça Cívica | Foto: Jornal Opção

O Museu da Imagem e do Som de Goiânia (MIS) faz parte do Centro Cultural Marieta Telles Machado, construído em 1933 ao estilo art déco. Abriga uma vasta coleção de discos, fitas, gravações e filmes, fitas magnéticas de áudio e vídeo, documentos fotográficos, textuais e bibliográficos, oferecendo um amplo acervo de material fonográfico.

A seção fonográfica conta com 40 mil discos, sendo parte deles doada pela Rádio Brasil Central. Além disso, o museu apresenta a história da TV em Goiás por meio de fitas pertencentes à Coleção Brasil Central, as quais estão passando por um processo de restauração e digitalização.

A coleção completa das dez edições do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica) também faz parte do acervo do museu, que foi estabelecido em 1988 pelo Decreto-Lei 3055.

Endereço: Centro Cultural Marietta Telles – Praça Cívica, Centro
Horário de funcionamento: Segunda a sexta-feira, das 9h às 17h
Valores: entrada franca
Outras informações: 3201-4625

Museu de Ornitologia José Hidasi

Fundador do museu José Hidasi | Foto: Reprodução/PUC

O local foi estabelecido há mais de quarenta anos e apresenta uma exposição permanente de animais e aves empalhados de diferentes regiões do mundo.

O fundador do museu é José Hidasi, um húngaro que se tornou brasileiro por naturalização, pioneiro na educação ambiental em Goiás.

São mais de 120 mil peças, em um acervo avaliado em US$ 15 milhões, considerado o maior do mundo.

Endereço: Avenida Pará, S/N – Campinas
Horário de funcionamento: segunda a domingo, das 8h às 18h
Valores: entrada franca
Outras informações: 3233-5773

Museu Pedro Ludovico Teixeira

Casa Pedro Ludovico
(Casa de Pedro Ludovico | Foto: Governo de Goiás)

Localizado na antiga residência do fundador de Goiânia, Pedro Ludovico Teixeira, o museu apresenta uma decoração característica dos anos 40, seguindo o estilo Art Déco.

Preservando seus móveis originais, um espaçoso quintal e um pomar exuberante com diversas árvores frutíferas, além de uma piscina agora coberta, a casa permanece intacta desde a época em que seu proprietário faleceu em 1979.

Restaurada, a biblioteca do museu abriga uma vasta coleção de livros, muitos deles doados pelo ex-governador Mauro Borges Teixeira, filho de Pedro Ludovico.

Os documentos passaram por um processo de higienização, catalogação e adequada preservação. No entanto, a consulta aos documentos é restrita a pesquisadores e historiadores autorizados.

Endereço: Rua Gercina Borges Teixeira (Rua 26), Centro
Horário de funcionamento: terça a sexta-feira, das 9h às 17h; sábado, domingo e feriados, das 9h às 12h e 13h às 17h
Valores: entrada franca
Outras informações: 3201-4678

Museu Professor Zoroastro Artiaga

Museu Zoroastro Artiaga (MUZA) fica localizado na Praça Cívica, Centro de Goiânia


O Museu Goiano Professor Zoroastro Artiaga, localizado em Goiás, é o mais antigo do estado. Sua fundação ocorreu em 5 de julho de 1946 por Zoroastro Artiaga, renomado estudioso goiano que se destacou por suas descobertas e defesa das riquezas minerais da região.

Além de suas contribuições como advogado, jornalista e professor, Artiaga também foi responsável por nomear árvores e sementes típicas de Goiás. Assim como o MIS, faz parte do Centro Cultural Marieta Telles Machado, construído em 1933 ao estilo art déco.

A exposição permanente do museu abrange uma variedade de aspectos arqueológicos, antropológicos, culturais e minerais, sendo grande parte desses acervos coletada pelo próprio historiador e pesquisador.

Entre os destaques, encontra-se uma valiosa coleção de oratórios, documentos e fotografias históricas que registram a rica história de Goiás.

Esses artefatos oferecem uma visão abrangente e fascinante da cultura material indígena, além de proporcionar um olhar aprofundado sobre a importância da mineração na região.

Endereço: Praça Cívica, Centro
Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. Sábados, domingos e feriados das 9h às 15h
Valores: entrada franca
Outras informações: 3201-4676