A Prefeitura de Goiânia estuda proposta de operação de crédito de R$ 1 bi ofertada pelo Banco do Brasil (BB). O empréstimo garantirá investimentos em diversas áreas no município de Goiânia. Por meio da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), o Governo Federal avaliou o município com nota B no índice de Capacidade de Pagamento (Capag).

As tratativas foram iniciadas pela instituição financeira, a partir da análise da capacidade do município conseguir um financiamento com garantia da União. Ou seja, a partir da avaliação do grau de solvência, a relação entre receitas e despesa correntes e a situação de caixa, Goiânia foi apontada com um diagnóstico da saúde fiscal positiva.

A dívida fundada do município no segundo quadrimestre de 2023 está em R$ 1.748.092.087,91, que representa, 25,53% do que é possível a este ente captar. Com uma gestão responsável e transparente, o município cumpre rigorosamente as resoluções do Senado Federal nº. 40 e 43 de 2001 – que definem os limites para operação de créditos com garantia da União, para os entes federativos.

“A análise dos dados mostra que, desde 2019, a dívida do município vem caindo. Nesse ano, para pagar a dívida, precisaríamos de todo o caixa da Prefeitura e ainda faltariam R$ 942 milhões. Em 2022, poderíamos pagar toda a dívida com o caixa, e ainda assim sobrariam R$ 213 milhões. Os números reforçam esse equilíbrio fiscal que foi conquistado para que o município tenha capacidade de pagamento B”, explica o titular da Secretaria Municipal de Finanças, Vinicius Henrique.

Segundo a Prefeitura de Goiânia informou, o projeto ainda não foi enviado para votação na Câmara Municipal.