O grupo de trabalho instituído pelo prefeito Rogério Cruz para tratar de assuntos que dizem respeito à Feira Hippie decidiu, na tarde desta sexta-feira, 21, que os feirantes vão se organizar na Praça do Trabalhador, a partir da próxima semana, da mesma maneira como se organizavam espacialmente antes do início da reforma da praça.

O titular da Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Economia Criativa (Sedec), Silvio Sousa, ressalta que o grupo de trabalho foi criado para discutir, da forma mais transparente e democrática possível, assuntos relacionados à feira.

Participam dele, por exemplo, representantes da Sedec, da Secretaria Municipal de Planejamento (Seplanh), Guarda Civil Metropolitana, Câmara Municipal e feirantes.

A Sedec submeteu, à avaliação do colegiado, a proposta de alocar bancas conforme o gênero do produto que vendem: lingeries, alimentos, vestuário esportivo, dentre outros. Mas, de acordo com o titular da Sedec, essa proposta não vingou. A maioria do grupo de trabalho optou pela retomada do que chamam de “mapa histórico”.

“Não existe mais sorteio. Vamos voltar a feira às origens. Estamos mostrando, com o novo layout, que é possível colocar o mapa histórico da feira dentro da Praça do Trabalhador”, afirma Silvio Sousa.

Entenda o assunto

Há algumas semanas, esse grupo de trabalho outorgou, aos trabalhadores da feira, o direito de decidir, por voto, se todos vão migrar para área interna da Praça do Trabalhador antes de a reforma da praça ser totalmente concluída. Embora as obras estejam em fase avançada, elas só terminarão em janeiro de 2023. Por 794 votos a 626, decidiram que a mudança acontecerá ainda neste ano.

O grupo estabeleceu que a transferência das bancas acontecerá antes das festas de fim de ano, até meados de novembro, de modo a não atrapalhar o trabalho dos feirantes. Antes, equipes da prefeitura promoverão adaptações estruturais provisórias para que as bancas se instalem ali.

Serão 13 blocos de 15 bancas, cada. Ao todo, a feira terá algo em torno de 3,7 mil bancas. Entre os blocos, haverá 15 corredores (que podem chegar a 16).

Outros detalhes do projeto arquitetônico já estão definidos, como, por exemplo, as cores das bancas. Estabeleceu-se, também, que serão ordenadas em quadras, e que essas quadras estarão separadas por “ruas” (que nada mais serão do que o passeio para trânsito de pedestres).