“A Coleta orgânica está normalizada em toda cidade. Percebe-se que essa situação é reflexo de ações de vândalos”, disse a Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) sobre o acúmulo de lixo na capital. Moradores dos setores Vila Nova e Leste Universitário relataram falta de coleta seletiva e acúmulo de lixo nas regiões.

A Comurg informou que no setor Leste Vila Nova a coleta é diária, sendo realizada sempre no período noturno. A foto, no entanto, foi tirada na manhã desta quarta-feira, 24, pela moradora Bárbara de Barros. “Não é diária porque amanheceu assim. Eu acredito que essa galera [vândalos] passa à noite fazendo isso mesmo. Um camelô recentemente disse em entrevista que ‘todos os dias eles fazem isso’. Mas a coleta não é diária. Acredito que é dia sim, dia não”, explicou Bárbara.

O serviço de coleta orgânica realizado pela Comurg recebeu o reforço de 15 novos caminhões compactadores. Os veículos foram entregues na última sexta-feira, 12, e entraram em operação nesta segunda, 15, chegando para ampliar a frota antiga que estava defasada. Mesmo com os novos veículos, a cidade ainda tem enfrentando problemas na coleta.

Inclusive nesta segunda-feira, 22, o Ministério Público de Contas (MPC) se posicionou a favor da medida cautelar concedida pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM-GO) suspendendo a licitação que terceiriza a coleta de lixo. A licitação segue em andamento e, nesta quarta-feira, 24, está prevista pela Secretaria Municipal de Administração (Semad) a abertura das propostas de preços feitas pelas empresas que avançaram na fase de análise técnica.

Três consórcios estão na disputa pelo contrato que engloba quatro serviços relacionados à limpeza urbana em Goiânia: coleta de lixo e seletiva, remoção de entulhos e varrição mecanizada. Atualmente, apenas a Companhia Municipal de Urbanização de Goiânia (Comurg) executa essas atividades em âmbito público, sendo que a varrição mecanizada não é realizada.

A Prefeitura de Goiânia estima um pagamento mensal de até R$ 20,5 milhões pelo vencedor para a prestação desses serviços. A decisão de terceirizar surgiu devido ao agravamento da crise na coleta de lixo a partir do segundo semestre de 2022, ocasionando reclamações da população e prejudicando a imagem do prefeito Rogério Cruz (Republicanos).