O Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Estado de Goiás (Sintego) anunciou, na manhã desta terça-feira, 14, a suspensão da greve dos servidores administrativos da rede municipal. A decisão foi tomada após uma assembleia da categoria. A greve, iniciada no dia 2 de outubro, já durava mais de 40 dias. 

LEIA TAMBÉM

Após audiência de conciliação, Sintego marca assembleia que pode dar fim à greve em Goiânia

Em dia nacional de paralisação, Sintego entrega ao Estado documento com reivindicações

A presidente do sindicato, deputada estadual Bia de Lima (PT), participou de audiência de conciliação realizada na tarde de segunda-feira, 13. As demandas foram apresentadas na reunião de hoje.

“Em Assembleia realizada pelo Sintego, administrativos da rede municipal de Educação de Goiânia suspendem a greve diante do acordo assinado no Tribunal de Justiça”, afirmou a entidade nas redes sociais. 

Medidas 

A Prefeitura de Goiânia afirmou que a proposta apresentada pelo município vai garantir o pagamento da data-base em dezembro e o reajuste do pagamento do auxílio locomoção de R$ 300 para R$ 500 para a partir do dia 16 de novembro, sendo que o pagamento proporcional de novembro será quitado em dezembro. Entre as medidas apresentadas pelo município, está a elaboração do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos da categoria. 

A primeira reunião para discutir e estabelecer o novo plano está agendada para o dia 22 de novembro. A proposta final será apresentada aos servidores no dia 13 de dezembro para que possa ser remetida, em seguida, à Câmara Municipal. 

“Já iniciamos o estudo de viabilidade e impacto a respeito do plano de cargos da categoria. A atual gestão tem um histórico de garantia de direitos para os servidores, e com a educação não é diferente”, afirma o secretário municipal de Educação, Rodrigo Caldas.