Em fim de mandato, o governo federal tem cortado recursos de ministérios para se adequar ao teto de gastos públicos. No entanto, os órgãos têm passado por um apagão na prestação de serviços ao público. Um dos casos é o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O órgão é responsável pelo pagamento de aposentadorias e pensões de milhões de brasileiros.

O presidente do INSS, Guilherme Gastaldello, enviou um comunicado ao governo federal alertando para o “grave prejuízo” ao funcionamento a partir desta quarta-feira, 7. “A falta dos recursos causará grave prejuízo ao funcionamento desta Autarquia, ocasionando suspensões de contratos, a partir da próxima quarta-feira, dia 7/12/2022, bem como deslocamentos de servidores de forma imediata, impactando, consequentemente, no atendimento à população e na prestação dos serviços essenciais do INSS”, cita trecho do alerta.

No entanto, o documento não detalha de que maneira a falta de recursos pode afetar diretamente a população. Por meio de nota oficial, o Instituto informou que os benefícios sociais serão pagos normalmente, sendo honrado o calendário. Além disso, não haverá fechamento de agências.

“O Ministério do Trabalho e Previdência e o INSS esclarecem que as restrições orçamentárias impostas neste fim de ano não ocasionarão interrupção dos serviços do INSS aos segurados. E que não haverá fechamento das unidades”, frisa.