O Governo Federal avalia uma reoneração parcial a respeito da situação do PIS e Confins na gasolina e no álcool. Após impasses envolvendo as alas política e econômica sobre manutenção ou retirada da desoneração, a medida adotada poderá ser um “meio termo”. A ideia foi discutida nesta sexta-feira, 24, em reunião entre a Casa Civil, Petrobras e ministérios da Fazenda, e de Minas e Energia.

Segundo os defensores do fim da desoneração dos impostos, o impacto de prorrogar a desoneração seria considerável para as contas públicas. Dessa forma, a cobrança de impostos deveria ser retomada integralmente após o encerramento do prazo. A medida provisória está marcada para terminar na segunda-feira, 28. 

Caso o “meio termo” seja adotado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), a previsão é de que a gasolina seja  reonerada em 71% do PIS e da Cofins. O que representaria R$ 0,69 por litro do combustível, com o governo cobrando R$ 0,49 por litro. Já no álcool seria menor, na casa dos 25%, com o governo cobrando R$ 0,06 dos R$ 0,24 cobrados por litro.